DIVERSIDADE GENÉTICA E ESTRUTURA POPULACIONAL DE JATOBÁ: UMA ESPÉCIE COM POTENCIAL ECONÔMICO PARA A AMAZÔNIA

Poliana Vicente Tiago, Ana Aparecida Bandini Rossi, Adriano Aygnes Carpejani, Auana Vicente Tiago, Vinicius Delgado da Rocha, José Martins Fernandes, Ivone Vieira da Silva

Resumo


O jatobá (Hymenaea courbaril L.) é uma espécie que apresenta importância ecológica e ocorre em diferentes regiões geográficas do Brasil. Conhecer e avaliar a existência de locais com maior variabilidade genética pode auxiliar em programas e ações de conservação. Neste contexto, o presente estudo objetivou avaliar a diversidade genética e a estrutura em populações naturais de jatobá com ocorrência na Amazônia mato-grossense por meio de marcadores ISSR. Foram amostrados 54 indivíduos em 3 populações, sendo uma no município de Marcelândia (MA=24) e duas no município de Alta Floresta (Comunidade Central AF=17 e Pista do Cabeça PC=13 indivíduos. DNA genômico total foi extraído de tecido foliar pelo método CTAB. Os 54 indivíduos foram genotipados com 10 primers ISSR. Foram amplificados um total de 110 fragmentos, sendo 78,2% polimórficos. Os maiores índices de diversidade foram encontrados na população de MA (H=0.25; I=0.37 e %P=65.45). A distância genética foi maior entre as populações dos dois municípios (0.17 entre MA e AF; 0.16 entre MA e PC). A análise de variância molecular (AMOVA) indicou que 31.79% da variância total está entre populações e 68.21% dentro de populações. Há diversidade genética nas populações nativas de jatobá na Amazônia mato-grossense. Recomenda-se que sejam preservados indivíduos de ambas as populações, a fim de garantir a manutenção da variabilidade genética e a conservação efetiva da espécie na Amazônia mato-grossense.


Palavras-chave


Hymenaea courbaril; variabilidade genética; ISSR; conservação.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


ALVES, R. M. et al. High levels of genetic divergence and inbreeding in populations of cupuassu (Theobroma grandiflorum). Tree Genetics & Genomes, Heidelberg, v. 3, n. 4, p. 289-298, oct. 2007.

BAWA, K. S. Breeding systems of tree species of a lowland tropical community. Evolution, New York, v. 28, n. 1, p. 85-92, mar. 1974.

BOTSTEIN, D. et al. Construction of a genetic linkage map in man using restriction fragment length polymorphisms. American journal of human genetics, Chicago, v. 32, n. 3, p. 314-331, may 1980.

BUSATTO, P. C. et al. Superação de dormência em sementes de jatobá (Hymenaea courbaril L.). Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Mossoró, v. 8, n. 1, p. 154-160, mar. 2013.

CARVALHO, P. E. R. et al. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Brasília: EMBRAPA; CNPF; SPI, 1994.

CATAUDELLA, R. et al. Genetic variability of Austropotamobius italicus in the Marches region: implications for conservation. Aquatic Conservation: Marine and freshwater ecosystems, Nova Jersey, v. 20, n. 3, p. 261-268, mar. 2010.

CRUZ, C. D. Programa GENES: aplicativo computacional em genética e estatística. Viçosa, MG: UFV, 2008.

DOYLE, J. J.; DOYLE, J. L. A rapid DNA isolation procedure for small amounts of fresh leaf tissue. Phytochemical Bulletin, California, v. 19, p. 11-15, 1987.

ESTOPA, R. A. et al. Diversidade genética em populações naturais de candeia (Eremanthus erythropappus (DC.) MacLeish). Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 70, p. 97-106, abr. 2006.

EVANNO, G.; REGNAUT, S.; GOUDET, J. Detecting the number of clusters of individuals using the software STRUCTURE: a simulation study. Molecular ecology, Oxford, v. 14, n. 8, p. 2611-2620, fev. 2005.

EXCOFFIER, L.; LAVAL, G.; SCHNEIDER, S. An integrated software package for population genetics data analysis, version 3.01. Switzerland: University of Berne, 2006.

EXCOFFIER, L.; SMOUSE, P. E.; QUATTRO, J. M. Analysis of molecular variance inferred from metric distances among DNA haplotypes: application to human mitochondrial DNA restriction data. Genetics, Bethesda, v. 131, n. 2, p. 479-491, jun. 1992.

GIBBS, P. E.; OLIVEIRA, P. E.; BIANCHI, M. B. Postzygotic control of selfing in Hymenaea stigonocarpa (Leguminosae‐Caesalpinioideae), a bat‐pollinated tree of the Brazilian cerrados. International Journal of Plant Sciences, Chicago, v. 160, n. 1, p. 72-78, jan. 1999.

GIUSTINA, L. D. et al. Population structure and genetic diversity in natural populations of Theobroma speciosum Willd. Ex Spreng (Malvaceae). Genetics and Molecular Research, Ribeirão Preto, v. 13, n. 2, p. 47-53, fev. 2014.

LEWIS, G. et al. Legumes of the world. Kew: Royal Botanic Gardens, 2005.

LIMA, A. L. D. S.; ZANELLA, F.; CASTRO, L. D. M. D. Growth of Hymenaea courbaril L. var. stilbocarpa (Hayne) Lee et Lang. e Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong (Leguminosae) under different shading levels. Acta Amazonica, Manaus, v. 40, n. 1, p. 43-48, mar. 2010.

MATO GROSSO. Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral. Unidades Climáticas do Estado de Mato Grosso. Cuiabá: PRODEAGRO, 2006. CD-Rom.

MELO, M. G. G.; MENDES, A. M. S. Jatobá (Hymenaea courbaril L.). Manaus: Rede de sementes da Amazônia, 2005. 2 p. (Informativo Técnico, 9).

NEI, M. Estimation of average heterozygosity and genetic distance from a small number of individuals. Genetics, Bethesda, v. 89, n. 3, p. 583-590, jul. 1978.

PAIVA, J. R. Melhoramento genético de espécies agroindustriais na Amazônia: estratégias e novas abordagens. Brasília: Embrapa SPI; Fortaleza: Embrapa CNPAT, 1998.

PRITCHARD, J. K.; STEPHENS, M.; DONNELLY, P. Inference of population structure using multilocus genotype data. Genetics, Bethesda, v. 155, n. 2, p. 945-959, jun. 2000.

PRITCHARD, J. K.; WEN, W. Documentation for structure software: version 2.1. [s. l.: s. n.], 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2016.

RIVAS, L. H. et al. Genetic diversity in natural populations of Theobroma subincanum Mart. in the Brazilian Amazon. Genetics and Molecular Research, Ribeirão Preto, v. 12, n. 4, p. 4998-5006, out. 2013.

ROSA, R. D.; PERIN, C. L.; ROSA, R. D. Colonizador e colonos: na fronteira da terra o limite dos sonhos de um futuro promissor. Revista do Programa de Ciências Agro-Ambientais, Alta Floresta, v. 2, n. 1, p. 71-82, 2003.

ROSSI, F. S. et al. Diversidade genética em populações naturais de Mauritia flexuosa L. f. (Arecaceae) com uso de marcadores ISSR. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 42, n. 104, p. 631-639, dez. 2014.

SANTANA, I. B. B. et al. Variabilidade genética entre acessos de umbu-cajazeira mediante análise de marcadores ISSR. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 33, n. 3, p. 868-876, fev. 2011.

SMOUSE, P. E.; SORK, V. L. Measuring pollen flow in forest trees: an exposition of alternative approaches. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 197, n. 1, p. 21-38, aug. 2004.

YEH, F. C.; YANG, R.; BOYLE, T. POPGENE. Microsoft Windows-based freeware for population genetic analysis. Release 1.31. Edmonton: University of Alberta, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509832033