GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Piptadenia moniliformis Benth. SOB ESTRESSE HÍDRICO

Gilvaneide Alves de Azeredo, Rinaldo Cesar de Paula, Sérgio Valiengo Valeri

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509821112

O período de germinação e o estabelecimento de plântulas é um dos fatores mais importantes para a sobrevivência das espécies, principalmente nos locais em que a disponibilidade de água é limitada, como na região da Caatinga. Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do estresse hídrico sobre a germinação de sementes de Piptadenia moniliformis Benth. Foram utilizados três lotes (L1, L2 e L3), correspondentes aos anos de produção de 2006, 2007 e 2008, respectivamente. Antes do teste de germinação, as sementes foram escarificadas com ácido sulfúrico concentrado durante 30 minutos. Para induzir o deficit hídrico, foi utilizado o polietileno glicol (PEG 6000), nos seguintes potenciais osmóticos: - 0,3; -0,6; -0,9, -1,2 e -1,5 MPa e a água (0 MPa) sob as temperaturas de 25 e 30ºC. As características avaliadas foram: porcentagem de germinação e de plântulas normais, índice de velocidade de germinação e massa seca de plântulas. O processo germinativo de sementes de Piptadenia moniliformis Benth. é comprometido a partir de potenciais hídricos inferiores a -0,6 MPa a 25 e 30 °C; potenciais hídricos iguais ou inferiores a -1,2 MPa inibem a formação de plântulas normais nas duas temperaturas; a tolerância ao estresse hídrico simulado com PEG 6000 é variável entre lotes de sementes e temperaturas de germinação.


Palavras-chave


PEG; crescimento de plântulas; Caatinga.

Texto completo:

PDF

Referências


AGRA, P. F. M. Invasão biológica por Parkinsonia aculeata L. (Fabaceae) no semiárido paraibano: uma abordagem voltada para a ecofisiologia de sementes. 2010. 73 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Universidade Federal da Paraíba, Areia, 2010.

AL-KARAKI, G. N.; AL-AJMI, A.; OTHMAN, Y. Seed germination and early root growth barley cultivars as affected by temperature and water stress. American-Eurasian Journal Agricultural and Environmental Science, v.2, n.2, p.112-117, 2007.

AVILA, M. R. et al. Influência do estresse hídrico simulado com manitol na germinação de sementes e crescimento de plântulas de canola. Revista Brasileira de Sementes, Pelotas, v.29, n.1, p. 98-106, 2007.

AZERÊDO, G.A. et al. Superação de dormência de sementes de Piptadenia moniliformis Benth. Revista Brasileira de Sementes, v.32, n.2, p.49-58, 2010.

BARROS, M. F. C. et al. Recuperação de solos afetados por sais pela aplicação de gesso de jazida e calcário no Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.8, n.1, p.59-64, 2004.

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. New York: Prenum Press, 1994. 445 p.

BOTELHO, B. A.; PEREZ, S. C. J. G. A. Estresse hídrico e reguladores de crescimento na germinação de sementes de canafístula. Scientia Agricola, v.58, n.1, p.43-49, 2001.

BRACCINI, A. L. et al. Efeito do condicionamento osmótico na germinação e no vigor de sementes de soja. Revista Brasileira de Sementes, v.19 n.1, p.71-79, 1997.

BRACCINI, A. L. et al. Germinação e vigor de sementes de soja sob estresse hídrico induzido por soluções de cloreto de sódio, manitol, e polietileno glicol. Revista Brasileira de Sementes, v.18, n.1, p.10-16, 1996.

BRAGA, L. F. et al. Germinação de sementes de pinho-cuiabano sob deficiência hídrica com diferentes agentes osmóticos. Scientia Forestalis, v.36, n.78, p.157-163, 2008.

CARVALHO, C. J. R. Respostas de plantas de Schizolobium amazonicum (S. parahyba var. amazonicum) e Schizolobium parahyba (Schizolobium parahybum) à deficiência hídrica. Revista Árvore, v.29, n.6, p.907-914, 2005.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4.ed. Jaboticabal: FUNEP, 2000. 588 p.

ECHER, F. R. et al. Estresse hídrico induzido por manitol em cultivares de algodão. Revista Ciência Agronômica, v.41, n.4, p.638-645, 2010.

FONSECA, C. C. L.; PEREZ, S. C. J. G. A. Ação do polietilenoglicol na germinação de sementes de Adenanthera pavonina L. e o uso de poliaminas na atenuação do estresse hídrico sob diferentes temperaturas. Revista Brasileira de Sementes, v.25, n.1, p.1-16, 2003.

GENC, Y.; HU, Y. C.; SCHMIDHALTER, U. Reassessment of tissue Na+ concentration as a criterion for salinity tolerance in bread wheat. Plant, Cell e Environonment, v.30, p.1486-1498, 2007.

HARDEGREE, S. P.; EMMERICH, W. E. Seed germination response to polyethylene glycol solution depth. Seed Science and Technology, v.22, n.1, p.1-7, 1994.

JELLER, H.; PEREZ, S. C. J. G. A. Efeitos dos estresses hídrico e salino e da ação de giberelina em sementes de Senna spectabilis. Ciência Florestal, v.11, n.1, p.93-104. 2001.

KAPPES, C. et al. Germinação, vigor de sementes e crescimento de plântulas de milho sob condições de déficit hídrico. Scientia Agraria, v.11, n.2, p.125-134, 2010.

KISSMANN, C. et al. Germinação de sementes de Stryphnodendron Mart. osmocondicionadas. Revista Brasileira de Sementes, v.32, n.2, p. 26-35, 2010.

KRANNER, I. et al. What is stress? Concepts, definitions and applications in seed science. New Phytologist, v.188, n.3, p.655-673, 2010.

LIMA, B. G.; TORRES, S. B. Estresses hídrico e salino na germinação de sementes de Zizyphus joazeiro Mart. (Rhamnaceae). Revista Caatinga, v.22, n.4, p.93-99, 2009.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 2002. p.197.

MAIA, G. N. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. 1. ed. São Paulo: D & Z Computação Gráfica e Editora, 2004. 413 p.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid selection and evaluation for seedling emergence and vigour. Crop Science, v.2, n.2, p.176-177, 1962.

MANTOVANI, A.; IGLESIAS, R. R. The effect of water stress on seed germination of three terrestrial bromeliads from restinga. Revista Brasileira de Botânica, v.33, n.1, p.201-205, 2010.

MAYER, A. M.; POLJAKOFF-MAYBER, A. The germination of seeds. 4. ed. Great Britain: Pergamon Press, 1989. 210 p.

MENESES, C. H. S. G. et al. Germination of cotton cultivar seeds under water stress induced by polyethyleneglycol-6000. Scientia Agraria, v.68, n.2, p.131-138, 2011.

MORAES, G. A. F.; MENEZES, N. L. Desempenho de sementes de soja sob condições diferentes de potencial osmótico. Ciência Rural, v.33, n.2, p.219-226, 2003.

MURILLO-AMADOR B. R. et al. Comparative effects of NaCl and polyethylene glycol on germination, emergence and seedling growth of cowpea. Journal Agronomy Crop Science, v.188, p.235-247, 2002.

NASSIF, S. M. L.; PEREZ, S. C. J. G. A. Germinação de sementes de amendoim do campo (Pterogyne nitens Tul. – Fabaceae – Caesalpinoideae) submetidas a diferentes condições de estresse hídrico e salino. Revista Brasileira de Sementes, v.19, n.2, p.143–150, 1997.

OLIVEIRA, A. B. de.; GOMES-FILHO, E. Germinação e vigor de sementes de sorgo forrageiro sob estresse hídrico e salino. Revista Brasileira de Sementes, v.31, n.3, p.48-56, 2009.

PEREIRA, M.D.; LOPES, J.C. Germinação e desenvolvimento de plântulas de pinhão manso sob condições de estresse hídrico simulado. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.32, n.1, p.1837-1842, 2011.

PÔRTO, D. R Q. et al. Acúmulo de macronutrientes pela cebola ´Optima‘ estabelecida por semeadura direta. Horticultura Brasileira, v.24, n.4, p.470-475, 2006.

ROSA, L. S. et al. Avaliação da germinação sob diferentes potenciais osmóticos e caracterização morfológica da semente e plântula de Ateleia glazioviana Baill (Timbó). Cerne, v.11, n.3, p.306-314, 2005.

SANTOS, A. R. F dos.; SILVA-MANN, R.; FERREIRA, R. A. Restrição hídrica em sementes de jenipapo (Genipa americana L.). Revista Árvore, Viçosa, v.35, n.2, p.213-220, 2011.

SILVA, L. M. de M.. et al. Estresse hídrico e condicionamento osmótico na qualidade fisiológica de sementes de Cnidoscolus juercifolius. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.9, n.1, p.66-72, 2005.

SOUSA, M. P. et al. Estresse hídrico e salino no processo germinativo das sementes de Plantago ovata Forsk. (Plantaginaceae). Revista Árvore, v.32, n.1, p.33-38, 2008.

SOUZA, G. M.; CARDOSO, V. J. M. Efeccts of different environmental stress on seed germination. Seed Science and Technology, v.28, n.3, p. 621-630, 2000.

STEFANELLO, R. et al. Efeito da luz, temperatura e estresse hídrico no potencial fisiológico de sementes de funcho. Revista Brasileira de Sementes, v.28, n.2, p.135-141, 2006.

VILLELA, F. M.; DONI FILHO, L.; SEQUEIRA, E. L. Tabela de potencial osmótico em função da concentração de polietileno glicol 6000 e da temperatura. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.26, n.11/12, p. 1957-1968, 1991.

VIRGENS, I.O. et al. Comportamento fisiológico de sementes de Myracrodruon urundeuva fr. all. (Anacardiaceae) submetidas a fatores abióticos. Ciência Florestal, v.22, n.4, p.681-692, out.-dez., 2012.

YAMASHITA, O. M. et al. Fatores ambientais sobre a germinação de Emilia sonchiflora. Planta Daninha, v.27, n.4, p.673-681, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509821112

Licença Creative Commons