CRESCIMENTO E QUALIDADE DE MUDAS DE VINHÁTICO (Platymenia foliolosa Benth.) EM RESPOSTA À ADUBAÇÃO COM POTÁSSIO E ENXOFRE

Marcie Lelis Duarte, Haroldo Nogueira de Paiva, Marcela Oliveira Alves, Alex Ferreira de Freitas, Fábio Fernandes Maia, Lívia Mara Lima Goulart

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509817480

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de doses de potássio e enxofre sobre o crescimento e a qualidade de mudas de Platymenia foliolosa Benth. (vinhático), determinando a melhor dose desses nutrientes. Foi conduzido um experimento utilizando-se vasos de polietileno rígido com 1,5 dm³ de capacidade e como substrato um Latossolo Vermelho-Amarelo. Utilizou-se como tratamentos sete doses de potássio (0; 50; 100; 150; 200; 250 e 300 mg/dm³) combinadas com cinco doses de enxofre (0, 20, 40, 60 e 80 mg/dm³), as quais foram parceladas em quatro aplicações: 0, 30, 60 e 90 dias após o primeiro desbaste. Após 150 dias da semeadura foram colhidos dados de altura, diâmetro do coleto, matéria seca da parte aérea e de raiz, além das relações altura/diâmetro do coleto, altura/massa seca parte aérea, massa seca parte aérea/massa seca de raiz e o índice de qualidade de Dickson (IQD). A adição de doses crescentes de potássio ao substrato apresentou resposta significativa (quadrática) para todas as variáveis avaliadas, exceto para a relação altura da parte aérea/diâmetro de coleto, já as doses de enxofre não apresentaram resposta significativa para nenhuma das características avaliadas nesse experimento, sendo observada interação entre K e S para altura da parte aérea, nas mudas de vinhático aos 150 dias após a semeadura. Diante dos resultados obtidos recomenda-se para produção de mudas de vinhático (Platymenia foliolosa) a aplicação de 175 mg/dm³ de K e 45 mg/dm³ de S parceladas equitativamente em quatro aplicações aos 0, 30, 60 e 90 dias após o primeiro desbaste.


Palavras-chave


espécie florestal nativa; nutrição de plantas; propagação de plantas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ, V. et al. Poda de raízes e adubação para crescimento do cafeeiro cultivado em colunas de solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 30, n. 1, p. 111-119, 2006.

BALIEIRO, F. C.; OLIVEIRA, I. G.; DIAS, L. E. Formação de mudas de Acacia holosericea e Acacia auriculiformis: resposta a calagem, fósforo, potássio e enxofre. Revista Árvore, Viçosa, v. 25, n. 2, p. 183-191, abr./jun. 2001.

BERNARDINO, D. C. S. et al. Influência da saturação por bases e da relação Ca:Mg do substrtato sobre o crescimento inicial de jacarandá-da-Bahia (Dalbergia nigra (Vell.) Fr. All. ex Benth.). Revista Árvore, Viçosa v. 31, n. 4, p. 567-573, 2007.

CECONI, D. E. et al. Crescimento de mudas de açoita-cavalo (Luehea divaricata Mart.) sob influência da adubação fosfatada. Revista Cerne, Lavras, v. 12, n. 3, p. 292-299, jul./set. 2006.

CRUZ, C. A. F. et al. Resposta de mudas de Senna macranthera (dc. Ex collad.) H.s. Irwin & barnaby (fedegoso) cultivadas em Latossolo Vermelho-Amarelo distrófico a macronutrientes. Revista Árvore, Viçosa, v. 34, n. 1, p. 13-24, 2010.

CRUZ, C. A. F. et al. Resposta de mudas de Senna macranthera cultivadas em Argissolo Vermelho-Amarelo a macronutrientes. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 1, p. 63-76, 2011.

DIAS, L. E.; ALVAREZ V, V. H.; BRIENZA JR, S. Formação de mudas de Acacia mangium Willd: 2. Resposta a nitrogênio e potássio. Revista Árvore, Viçosa, v. 15, n. 1, p. 11-22, 1991.

DIAS, L. E. et al. Formação de mudas de táxi-branco (Sclerolobium paniculatum Voguel): II. Resposta a nitrogênio, potássio e enxofre. Revista Árvore, Viçosa, v. 16, n. 2, p. 135-143, 1992.

DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, v. 36, p. 10-13, 1960.

DUBOC, E. et al. Fertilização de plântulas de Copaifera langsdorffii Desf. (Óleo Copaíba). Revista Cerne, Lavras, v. 2, n. 2, p. 1-17, 1996.

FERNÁNDEZ, J. Q. et al. Crescimento de mudas de Mimosa tenuiflora submetidas a diferentes níveis de calagem e doses de fósforo, potássio e enxofre. Revista Árvore, Viçosa, v. 20, n. 4, p. 425-431, out./dez. 1996.

FERNANDES, A. R. et al. Crescimento e absorção de nutrientes por mudas de freijó (Cordia goeldiana Huber) em função de doses de fósforo e de zinco. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 4, p. 599-608, 2007.

FURTINI NETO, A. E. et al. Efeito do enxofre no crescimento de cinco espécies de eucalipto. Revista Árvore, Viçosa, v. 12, n. 1, p. 1-11, jan./jun. 1988.

GOMES, J. M. et al. Parâmetros morfológicos na avaliação da qualidade de mudas de Eucalyptus grandis. Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 6, p. 655-664, 2002.

GOMES, J. M.; PAIVA, H. N. de. Viveiros Florestais: propagação sexuada. Viçosa: UFV, 2011. 116 p.

GOMES, K. C. O. et al. Crescimento de mudas de garapa em resposta à calagem e ao fósforo. Revista Árvore, Viçosa, v. 32, n. 2, p. 387-394, 2008.

GONÇALVES, E.O. et al. Crescimento de mudas de sansão-do-campo (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) sob diferentes doses de macronutrientes. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 38, n. 88, p. 509-609, 2010.

GONÇALVES, E. O. et al. Crescimento de mudas de angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa (Benth.) Brenan) sob diferentes doses de macronutrientes. Revista Árvore, Viçosa, v. 32, n. 6, p. 1029-1040, 2008.

GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: IPEF, 2000. 427.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 4. ed. Nova Odessa: Plantarum. 2002. 368 p.

MARQUES, L. S. et al. Crescimento de mudas de jacaré (Piptadenia gonoacantha J. F. Macbr.) em diferentes tipos de solos e fontes e doses de nitrogênio. Revista Árvore, Viçosa,v. 33, n. 1, p. 81-92, 2009.

MISSIO, E. L. et al. Exigências nutricionais da grápia ao fósforo e enxofre em Argissolo Vermelho distrófico arênico: Efeito da adubação no crescimento. Ciência Rural, Sana Maria, v. 34, n. 4, p. 1051-1057, jul./ago. 2004.

REIS, M. G. F. et al. Exigências nutricionais de mudas de Dalbergia nigra (Vell.) Fr. Allem (Jacarandá-da-Bahia) produzidas em dois níveis de sombreamento. Revista Árvore, Viçosa, v. 21, n. 4, p. 463-471, 1997.

REIS, B. E. et al. Crescimento e qualidade de mudas de jacarandá-da-bahia (dalbergia nigra (vell.) Allemão ex benth.) Em resposta à adubação com potássio e enxofre .Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, n. 2, abr.-jun., 2012.

PAREDES F., J. Q. et al. Formação de mudas de Mimosa tenuiflora. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 25., 1995. Viçosa, MG. Resumos... Viçosa: SBCS, 1995, p.813-815, 1158 p.

PASSOS, M. A. A. Efeito da calagem e de fósforo no crescimento inicial da algaroba (Prosopis juliflora (SW) DC). 1994. 57 f.. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1994.

PEZZUTTI, R. V.; SCNUMACHER, M. V. ; HOPPE, J. M.. Crescimento de mudas de Eucalyptus globulus em resposta à fertilização NPK. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 9, n. 2, p. 117 – 125, 1999.

SILVA, I. R. et al. Crescimento inicial de quatorze espécies florestais nativas em resposta á adubação potássica. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 32, n. 2, p. 205-212, fev. 1997.

SOUZA, C. A. M. et al. Crescimento em campo de espécies florestais em diferentes condições de adubações. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 3, p. 243-249, 2006.

SOUZA, P. H. et al. Crescimento e qualidade de mudas de Senna macranthera (Dc. Ex Collad.) Irwin et Barn. em resposta à calagem. Revista Árvore, Viçosa, v. 34, n. 2, p. 233-240, 2010.

STATSOFT INC. Statistica data analysis system version 7.0. Tulsa: Statsoft Inc., 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509817480

Licença Creative Commons