Efeito do desbaste nas rachaduras de topo das toras de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden

Rômulo Trevisan, Clovis Roberto Haselein, Elio José Santini, Luciano Denardi, Darci Alberto Gatto

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509813336

O estudo teve como objetivo avaliar o efeito do desbaste nas rachaduras de topo das toras de Eucalyptus grandis aos 18 anos de idade. Para tanto, foi analisado um experimento situado próximo ao litoral do Rio Grande do Sul, instalado em delineamento blocos ao acaso com quatro repetições. Os sete tratamentos foram definidos devido ao número de desbastes aplicados e variaram de zero até seis intervenções. As árvores foram selecionadas, em cada tratamento, com base no diâmetro dominante de Assmann e no diâmetro da árvore central, sendo denominadas de árvores dominantes e centrais, respectivamente. Após o abate foram selecionadas as toras localizadas entre as posições do DAP (diâmetro a altura do peito) e 25%; 25% e 50%; 50% e 75%; 75% e 100% da altura comercial para o estudo das rachaduras de topo. Os resultados indicaram que o índice médio de rachadura de topo das árvores dominantes e centrais foi maior na segunda tora amostrada, evidenciando que a toragem das árvores deve ser realizada em conjunto com técnicas que minimizem as tensões de crescimento, principalmente quando o seccionamento for realizado próximo à metade da altura comercial. O desbaste induziu a variação do índice médio de rachadura de topo das toras, tanto nas árvores dominantes quanto nas centrais; porém, não foi verificada uma tendência clara positiva ou negativa, podendo-se concluir que alterações na taxa de crescimento não afetaram esse parâmetro de maneira uniforme.


Palavras-chave


eucalipto; tratos silviculturais; qualidade da madeira

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, T.F. Qualificação tecnológica da madeira de Eucalyptus para serraria: Aspectos genéticos e de manejo. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO SOBRE MANEJO FLORESTAL, 1., 2000. Santa Maria, UFSM, Anais... Santa Maria: Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal , 2000. p. 59-80.

BARISKA, M.A method for predicting timber quality in eucalypts. In: VON GADOW, K.; BREDENKAMP, B. V. Management of Eucalyptus grandis in South Africa. Stellenbosch: Southern African Institute of Forestry, 1990. p.215-228.

BREDENKAMP, B. The CCT concept in spacing research – a review. In: THE IUFRO SYNPOSIUM. 1984, Pietermaritzburg. Proceedings... Pietermaritzburg: IUFRO, 1984.

CALONEGO, W.F.; SEVERO, D.T. E. Efeito da vaporização de toras na redução dos defeitos associados a tensão de crescimento de Eucalyptus grandis, Ciência Florestal, n.4, v.15, p.431-440, out./dez. 2005.

CHAFE, S.C. Variation in longitudinal growth stress, basic density and modulus of elasticity with height in the tree. Australian Forest Research, Canberra, v. 11, n.1, p. 79-82. 1981.

CHAFE, S.C. Variation in longitudinal growth stress with height in trees of Eucalyptus nitens Maiden. Australian Forest Research, Canberra, v. 15, n.1, p. 51-55. 1985.

DEL MENEZZI, C.H. Utilização de um método combinado de desdobro e secagem para a produção de madeira serrada de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden e Eucalyptus cloeziana F. Muell. 1999. 77 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)–Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 1999.

FERRAND, J.C. Growth stresses and silviculture of eucalypts. Australian Forest Research, Canberra, v. 13, n. 1, p. 75-81. 1983.

GARCIA, J.N. Técnicas de desdobro de eucalipto. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE UTILIZAÇÃO DE EUCALIPTO PARA SERRARIA, 1, 1995, Piracicaba. Anais... Piracicaba: IPEF, 1995, p.59-67.

GONÇALEZ, J.C. et al. Características tecnológicas da madeira de Eucalyptus grandis W.Hill ex Maiden e E. Cloeziana F.Muell visando ao seu aproveitamento na indústria moveleira. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 3, p. 329-341, jul./out. 2006.

HASELEIN, C.R. et al. Características tecnológicas da madeira de árvores matrizes de Eucalyptus grandis. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 14, n. 2, p. 145-155, abr./jun. 2004.

HILLIS, W.E. Chemical aspects of heartwood formation. Wood Science and Technology, Madison, v. 2, n. 4, p. 241-259, Dec. 1968.

JANKOWSKY, I.P. Equipamentos e processos para a secagem de madeiras. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE UTILIZAÇÃO DA MADEIRA DE EUCALIPTO PARA SERRARIA, 1995, São Paulo. Anais... São Paulo: IPEF/IPT/IUFRO/LCF/ESALQ/USP, 1995, p. 109-118.

KUBLER, H. Growth stresses in trees and related wood properties. Forestry Abstracts, Oxford, v. 48, n.3, p. 131-189, 1987.

LATORRACA, J.V.F.; ALBUQUERQUE, C.E.C. Efeito do rápido crescimento sobre as propriedades da madeira. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 7, n. 1, p. 279-291. jan./dez. 2000.

LIMA, I.L. Variação de propriedades indicativas da tensão de crescimento em função da posição na árvore e da intensidade de desbaste. 2000. 90 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)–Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2000.

LIMA, I.L.; GARCIA, J.N.; NOGUEIRA, M.C.S. Influência do desbaste nas tensões de crescimento de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 58, p. 111-125, dez. 2000.

LIMA, I.L.; GARCIA, J.N.; STAPE, J.L. Influência do desbaste e da fertilização no deslocamento da medula e rachaduras de extremidade de tora de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. Cerne, Lavras, v. 13, n. 2, p. 170-177, abr./jun. 2007.

MALAN, F.S. Relationships between growth stress and some tree characteristics in South African grown Eucalyptus grandis. South African Forestry Journal, Pretoria, n. 144, p. 43-46. 1988.

MALAN, F.S. The control of end splitting in sawlogs: a short literature review. South African Forestry Journal, Pretoria, n. 109, p.14-79, 1979.

MELLADO, E.C.E.R. Contribuição ao desenvolvimento tecnológico para a utilização de madeira serrada de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden na geração de produtos com maior valor agregado. 1993. 133 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)–Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1993.

MIRANDA, J.A.C.; NAHUZ, M.A.R. Estudo do espaçamento de plantio de Eucalyptus saligna Smith nos índices de rachamento após o desdobro e após a secagem. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 55, p. 107-116, jun. 1999.

NUTTO, L.; MAESTRI, R. Growth rate and growth stresses in brazilian eucalypts: preliminary results of growth and quality modeling on an individual tree basis. In: IUFRO DIVISION 5.01.04 – BIOLOGICAL IMPROVEMENT OF WOOD PROPERTIES. Proceedings… Harrison Hot Springs, 2002.

OLIVEIRA, J.T.S. et al. Caracterização da madeira de sete espécies de eucaliptos para a construção civil. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 56, p. 113-124, dez. 1999.

PURNELL, R.C. Variation in wood properties of Eucalyptus nitens in a provenance trial on the eastern Transvaal highveld in South Africa. South African Forestry Journal, Pretoria, n. 144, p. 10-22, 1988.

REINSTORF, L. O. The influence of stand density on growth of Pinus elliottii. 1970. 62 f. Dissertação (Mestrado)–University of Stellenbosch, Stellenbosch, 1970.

SANTOS, P.E.T. Avaliação de características tecnológicas de madeira para serraria em progênies de polinização aberta de eucalipto e implicações para o melhoramento genético. 2002. 153 f. Tese (Doutorado em Agronomia)–Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002.

SAS – STATISTICAL ANALYSIS SYSTEM: Programa de computador, ambiente VM. Cary, 1993. Versão 6.08.

SCHACHT, L.; GARCIA, J.N. Variação entre e intra clones nas rachaduras de topo em Eucalyptus urophylla. In: CONFERÊNCIA IUFRO SOBRE SILVICULTURA E MELHORAMENTO DE EUCALIPTOS, 1997, Salvador. Anais... Colombo: EMBRAPA/CNPF, 1997. p.401-404.

SCHACHT, L.; GARCIA, J.N.; VENCOVSKY, R. Variação genética de indicadores de tensão de crescimento em clones de Eucalyptus urophylla. Scientia Forestalis, Piracicaba v. 54, p. 55-68, dez. 1998.

TREVISAN, R. Efeito do desbaste nos parâmetros dendrométricos e na qualidade da madeira de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden. 2010. 174f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.

TREVISAN, R. et al. Variação radial da massa específica básica da madeira de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden. Revista Floresta, Curitiba, v. 38, n. 3, p. 553-559, jul./set. 2008.

TRUGILHO, P.F. et al. Avaliação da tensão de crescimento em clones de Eucalyptus. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 9, n. 1, p. 38-44, jan./dez. 2002.

TRUGILHO, P.F. et al. Efeitos da idade e classe diamétrica na deformação residual longitudinal em árvores de Eucalyptus dunnii Maiden. Revista Árvore, Viçosa, v. 28, n. 5, p. 725-731, set./out. 2004.

WILKINS, A.P.; KITAHARA, R. Silvicultural treatments and associated growth rates, growth strains and wood properties in 12,5-year-old Eucalyptus grandis. Australian Forestry, Yarralumla, v. 54, n. 1/2, p.99-104, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509813336

Licença Creative Commons