A INCRÍVEL DOUTRINA DE UM CASO SÓ: ANÁLISE DO ESTADO DE COISAS INCONSTITUCIONAL NA ADPF 347

Breno Baía Magalhães

Resumo


O artigo pretende realizar uma análise dogmática da ADPF 347, precedente que inseriu a categoria Estado de Coisas Inconstitucional (ECI) no cânone interpretativo do Direito Constitucional brasileiro. A criação da categoria implica na delimitação de seus elementos para sua caracterização e aplicação em casos posteriores. Dessa forma, como método, o artigo pretende realizar uma análise dogmática dos elementos que perfazem a identificação de um ECI, de acordo com a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O estudo dogmático partiu de uma descrição de seus contornos constitucionais, ou seja, dos requisitos para a declaração do ECI e suas características, para, em seguida, contestar a caracterização constitucional da categoria em análise e realçar a mobilização dos ministros do STF no sentido de limitar sua aplicabilidade apenas ao caso do sistema carcerário. O estudo conclui que as categorias dogmáticas são problemáticas do ponto de vista de sua coerência argumentativa e sua aplicação se restringirá ao caso do sistema carcerário brasileiro.


Palavras-chave


Estado de Coisas Inconstitucional; Hipóteses de Cabimento; Supremo Tribunal Federal.

Texto completo:

PDF

Referências


AMANCIA, Natália Alves. O princípio da dignidade da pessoa humana na jurisprudência do STF. 2010. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Escola de Formação) - Sociedade Brasileira de Direito Público.

ANDRADE, Bruno Araújo de; TEIXEIRA, Maria Cristina. O Estado de Coisas Inconstitucional – Uma Análise da ADPF 347. In: Revista do Curso de Direito da Faculdade de Humanidades e ireito, v. 13, n. 13, 2016, p. 85-121.

ARGULHES, Diego Werneck; LEAL, Fernando. O argumento das 'capacidades institucionais' entre a banalidade, a redundância e o absurdo. In: Direito, Estado e Sociedade, v. 38, p. 6-50, 2014.

ARIZA, Libardo José. The Economic and Social Rights of Prisoners and Constitutional Court Intervention in the Penitentiary System in Colombia. In: MALDONADO, Daniel Bonilla. Constitutionalism of the Global South. The Activist Tribunals of India, South Africa and Colombia. New York: Cambridge University Press, 2013, p. 129-159.

BARCELLOS, Ana Paula de. Violência urbana, condições das prisões e dignidade humana. In: Revista de Direito Administrativo nº 254, 2010, p. 39-65.

BETANCUR HINCAPIE, Guillermo Leon. Activismo de la Corte Constitucional Colombiana- Argumentos que lo justifican. In: Nuevo Derecho, v.10, ano 14, p. 09 - 20, 2014.

BERNARDI, Renato; MEDA, Ana Paula. Da Tripartição de Poderes ao Estado de Coisas Inconstitucional e o Compromisso Significativo: A contemporânea atuação do Poder Judiciário na solução de conflitos que envolvem direitos sociais fundamentais. In: EM TEMPO, vol. 15, p. 11-34, 2016.

BUSTAMANTE, Gabriel. Estado de cosas inconstitucional y políticas públicas. Dissertação (Mestrado em Estudos Políticos) - Pontificia Universidad Javeriana, Colômbia, Bogotá, 2011.

BRASIL. Constituição Federal. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituiçao.htm. Acesso em: 9 jun. 2017

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Medida Cautelar na ADPF 347. ADPF nº 347. PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE. Relator: Ministro Marco Aurélio. 09 de Setembro de 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 de Setembro de 2017.

CAMPOS, Carlos Alexandre de Azevedo. Estado de Coisas Inconstitucional. Salvador: Juspodivm, 2016.

CAMPOS, Carlos Alexandre de Azevedo. Jota Mundo: Estado de Coisas Inconstitucional. Artigo publicado in: http://jota.info/jotamundo-estado-de-coisas-inconstitucional. Acesso em 03 set 2017.

CALDAS, Roberto Correia da Silva Gomes; NETO, Felipe Lascane. As condições das penitenciárias no brasil e o estado de coisas inconstitucional. In: Revista de Direito Penal, Processo Penal e Constituição v. 2, n. 2, p. 578 – 600, 2016.

CARVALHO, Gustavo Ferreira de; OLIVEIRA, Fábio de Souza, SANTOS, Júlio Edstron S. O estado de coisas inconstitucional: é possível sua efetivação no Brasil? In: Revista Acadêmica Conecta FASF. Vol. 2, nº 1, p.307-332, 2017.

CEPEDA-ESPINOSA, Manuel José. Judicial Activism in a Violent Context: The Origin, Role, and Impact of the Colombian Constitutional Court. In: Washington University Global Studies Law Review, Vol. 3, 2004, pp. 529/691.

CHIES, Luiz Antônio Bogo. A questão penitenciária. In: Tempo Social, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 15-36, jun. 2013.

DANTAS, Eduardo Sousa. Ações estruturais, direitos fundamentais e o estado de coisas inconstitucional. In: Revista constituição e garantia de direitos. Vol. 09, n. 02, 2016, p. 155-176.

DE GIORGI, Raffaele; FARIA, José Eduardo; CAMPILONGO, Celso. Estado de Coisas Inconstitucional. Artigo publicado in: Estadão em 19.09.2015. Disponível em: http://opiniao.estadao.com.br/estado-de-coisas-inconstitucional. Acesso em 01 set 2017.

DUARTE, Júlia Karolline Vieira; NETO, Júlio Gomes Duarte. O estado de coisas inconstitucional (ECI): o remédio estrutural para a efetivação dos direitos fundamentais perante um diálogo entre os poderes da união. In: Revista da ESMAL, n.1, p. 298-321, 2016.

FISHER, Louis; DEVINS, Neal. The Democratic Constitution. New York: Oxford University Press, 2004.

FISHER, Louis. Constitutional Dialogues: interpretation as political process. Princeton: Princeton University Press, 1988.

FERREIRA, Carolina Cutrupi; MACHADO, Maíra Rocha. Exclusão social como prestação do sistema de justiça: um retrato da produção legislativa atenta ao problema carcerário no Brasil. In: RODRIGUEZ, José Rodrigo. (Org.). In: Pensar o Brasil: Problemas nacionais à luz do direito. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 77-107.

GARCIA, L. S. Reflexões sobre o instituto da intervenção federal e a questão do sistema prisional brasileiro. In: Aracê: Direitos Humanos em Revista, v. 1, p. 4-207, 2014.

GUARNIZO, Diana; JARAMILLO, Juan Fernando; Uprimny, Rodrigo. Intervención judicial en las cárceles. In: Revista del Foro Constitucional Iberoamericano, n. 12, Octubre 2005 - Octubre 2006, pp. 129-163.

GLEZER, Rubens; MACHADO, Eloísa. Decide, mas não muda: STF e o Estado de Coisas Inconstitucional [online]. In: JOTA. Publicado em 9 de setembro de 2015. Disponível em: https://goo.gl/Xck1iL. Acesso em 24 set. 2017.

LANDAU, David. The Reality of Social Rights Enforcement. In: Harvard International Law Journal, Vol. 53, Number 1, 2012, p. 401-459.

LEAL, Fernando; ARGUELHES, Diego Werneck. Dois problemas de operacionalização do argumento das 'Capacidades Institucionais'. In: Revista de Estudos Institucionais , v. 2, p. 192-213, 2016.

MAGALHÃES, Breno Baía. O Estado de Coisas Inconstitucional na ADPF 347 e a sedução do Direito: o impacto da medida cautelar e a resposta dos poderes políticos. In: REVISTA DIREITO GV (ONLINE), v. 15, p. 1-37, 2019.

MEDA, Ana Paula; BERNARDI, Renato. Direito Fundamental à Moradia e a Sentença T-025/2004 da Corte Constitucional da Colômbia: Estado de Coisas Inconstitucional no Brasil. In: Revista de Direito Sociais e Políticas Públicas, v. 2, n. 1, p. 280-299, 2016.

MEDINA QUIROGA, Cecilia. Los 40 años de la Convención Americana sobre Derechos Humanos a la luz de cierta jurisprudencia de la Corte Interamericana. In: Anuario de derechos humanos, n° 05, Santiago, p. 15-34, 2009.

NEVES, Aécio. Diretrizes Gerais Plano de Governo – PSDB, 2014.

OLIVEIRA, Vitor Costa. Estado de coisas inconstitucional no direito fundamental à comunicação: análise do regime jurídico da radiodifusão audiovisual no Brasil. 2016. 121 f. Dissertação (Pós-Graduação em Direito) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2016.

PENNA, Bernardo Schmidt. Mais do ativismo judicial à brasileira: análise do estado de coisas inconstitucional e da decisão na ADPF 347. In: Revista Pensamento Jurídico. Vol. 11, nº 1, 2017, p. 09-19.

PEREIRA, Luciano Meneguetti. O Estado de Coisas Inconstitucional e a violação dos direitos humanos no sistema prisional brasileiro. In: RIDH, v. 5, n. 1, p. 167-190, 2017.

PICKERILL, J. Mitchell. Constitutional Deliberation in Congress: the Impact of Judicial Review in a Separated System. Durham: Duke University Press, 2004.

RODRÍGUEZ-GARAVITO, César. Beyond the courtroom: the impact of judicial activism on socioeconomic rights in Latin America. In: Texas Law Review, nº 89, 2011, p. 1669-1698.

RODRÍGUEZ-GARAVITO, César. ¿Cuándo cesa el estado de cosas inconstitucional del desplazamiento? Más allá del desplazamiento, o cómo superar un estado de cosas inconstitucional. In: Más allá del desplazamiento: políticas, derechos y superación del desplazamiento forzado en Colombia. coordinador César Rodríguez Garavito; Juan Carlos Guataquí. et al. Bogotá: Universidad de los Andes, Facultad de Derecho, Ediciones Uniandes, 2009, p. 434-494.

RODRIGUEZ, José Rodrigo. Estado de coisas surreal. Disponível em: https://jota.info/artigos/estado-de-coisas-surreal-25092015. Acesso em 26 set 2017.

RODRIGUEZ, J. R. Dogmática é conflito: a racionalidade jurídica entre sistema e problema. In: José Rodrigo Rodriguez; Flávia Portella Püschel, Marta Rodriguez Assis Machado. (Org.). Dogmática é conflito: uma visão crítica da racionalidade jurídica. 1ed.São Paulo: Saraiva, 2012, p. 21-32.

RODRIGUEZ, J. R.; PÜSCHEL, F. P.; MACHADO, M. R. A. O raciocínio jurídico-dogmático e suas relações com o funcionamento do Poder Judiciário e a democracia. In: José Rodrigo Rodriguez; Flávia Portella Püschel, Marta Rodriguez Assis Machado. (Org.). Dogmática é conflito: uma visão crítica da racionalidade jurídica. 1ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 33-54.

ROMERO PÁEZ, Nicolás Augusto. La doctrina del estado de cosas inconstitucional en Colombia novedades del neoconstitucionalismo y “la inconstitucionalidad de la realidad”. In: Revista Derecho Público Iberoamericano, Nº. 1, 2012, p. 243-264.

ROUSSEFF, Dilma. Mais Mudanças, Mais Futuro: Programa de Governo, 2014.

SANTOS et. al. Estado de Coisas Inconstitucional: Um Estudo Sobre os Casos Colombiano e Brasileiro. In: Quaestio Iuris, vol. 08, nº. 04, 2015, p. 2.596-2.612.

SILVA, Virgílio Afonso da. Deciding without deliberating. In: International Journal of Constitutional Law. Vol. 11, nº. 03, p. 557–584, 2013.

SILVA, Virgílio Afonso da. Direitos fundamentais: conteúdo essencial, restrições e eficácia. São Paulo: Malheiros, 2009.

SILVA, Virgílio Afonso da. Interpretação constitucional e sincretismo metodológico. In: SILVA, Virgílio Afonso da. (Org.). Interpretação constitucional. São Paulo: Malheiros, 2005, p. 115-143.

STRECK, Lenio Luiz. Estado de coisas inconstitucional é uma nova forma de ativismo [onli¬ne]. In: Revista Consultor Jurídico, 24 de outubro de 2015. Disponível em: https://goo.gl/ jk0ALM. Acesso em 24 set 2017.

SUELT COCK, Vanessa. El estado de cosas de inconstitucionalidade. In: 20 Años de la Constitución Colombiana: logros, retrocesos y agenda pendiente. INÉS ACOSTA, Juana -López. et al (eds.). Bogotá: Fundación Konrad Adenauer, 2012, p. 203-223.

SUNSTEIN, Cass; VERMEULE, Adrian. Interpretation and Institutions. In: Michigan Law Review, vol. 101, pp. 885-951, 2003.

TILLER, Emerson H.; CROSS, Frank B. What is legal doctrine? In: Northwestern University Law Review, v.100, n.1, p. 517-533, 2006.

UPRIMNY, Rodrigo. Judicialization of Politics in Colombia: Cases, Merits and Risks. In: Sur - International Journal on Human Rights, Vol. 6, 2007, p. 49-66.

WALDRON, Jeremy. Representative Lawmaking. In: Boston University Law Review. Vol. 89, 2009, p. 335-355.

WHITTINGTON, Keith E. Constitutional Construction: Divided Powers and Constitutional Meaning. Cambridge: Harvard University Press, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1981369432760

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REVISTA ELETRÔNICA DO CURSO DE DIREITO DA UFSM - Qualis A1

RECDUFSM  /  ISSN 1981-3694   /  Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/19813694  http://periodicos.ufsm.br/revistadireito

Revista Qualis A1 área de Direito /  Classificações de Periódicos Quadriênio 2013-2016 (CAPES)