A produção de microcontos no Twitter: escrita literária em rede e mobilização de aprendizagens

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1984644448175

Palavras-chave:

Tecnologia Educacional, Cibercultura, Twitteratura.

Resumo

No contexto da educação na cibercultura e da popularização das redes sociais na internet, vivemos o fenômeno das narrativas dos sujeitos conectados. Uma dessas narrativas é a produção de textos literários no Twitter. Nesse cenário, o objetivo do artigo foi investigar manifestações de aspectos distintivos da escrita interativa em rede na produção de microcontos no Twitter. O método usado foi o qualitativo, de cunho analítico e interpretativo. Para a análise dos dados foram usadas a técnica de Análise Textual Discursiva - ATD e princípios da Análise de Redes Sociais – ARS.  O argumento central é que a twitteratura, a produção literária no Twitter, é uma pedagogia da escrita em rede que se constrói, principalmente, através da experiência compartilhada e da mobilização online de aprendizagens. O artigo conclui que a produção do texto literário em rede contribui para a circulação de modos de ser e de compartilhar conteúdos estéticos, construindo e mobilizando pedagogias como uma forma de produção das culturas contemporâneas.

.

Biografia do Autor

Raphaelle Nascimento Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA/Barreiras

Doutora em Educação - UFBA

Professora no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA/Barreiras

Edvaldo Souza Couto, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Professor Titular na Faculdade de Educação na Universidade Federal da Bahia - UFBA

Doutor em Educação - UNICAMP

Pós-Doutorado em Educação - UFRGS

Bolsista em Produtividade de Pesquisa - PQ-2

Referências

ÁLVARES, Cristina. Quatro dimensões do microconto como mutação do conto: brevidade, narratividade, intertextualidade, transficcionalidade. Guavira Letras (PPG-Letras), v. 1, n. 15, 2015. Disponível em: http://websensors.net.br/seer/index.php/guavira/article/view/284. Acesso em: 2 jul. 2020.

AMARAL, Adriana; MONTARDO, Sandra Portella. Pesquisa em Cibercultura e Internet: Estudo exploratório comparativo da produção científica da área no Brasil e nos Estados Unidos. In: Anais do IV Colóquio Brasil-EUA de Ciencias da Comunicação, Intercom 2010, Set. de 2010. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conexao/article/view/618. Acesso em: 2 jul. 2020.

ASSMANN, Hugo. Reencartar a educação. Rumo à sociedade aprendente. Petrópolis: Vozes, 1998.

BARTHES, Roalnd. . A Aventura Semiológica. Lisboa. Edições 70, 1987.

BERTOCCHI, Sônia. Literatura de alta velocidade, 2013. Disponível em: http://lousadigital.blogspot.com.br2012/07/literatura-de-alta-velocidade.html. Acesso em: 7 jun. 2014.

BOLTER, Jay David; GRUSIN, Richard. Remediation: Understanding New Media. Cambridge: MIT, 2000.

BOURRIAUD, Nicolas. Pós-produção como a arte reprograma o mundo contemporâneo. Traduação: Denise Boltimann. São Paulo: Martins, 2009.

BURKE, Séan. The Death and Returno f the Author: Criticism and Subjectivity in Barthes, Foucault and Derrida. 2ª ed. Edimburgo: Edinbugh University press, 1998.

CAMPOS, Luciene Lemos de. Entre frinchas, a poética do microconto brasileiro. Carandá, v. 4, p. 299-321, 2011. Disponível em: http://www.abralic.org.br/eventos/cong2011/AnaisOnline/resumos/TC0674-1.pdf. Acesso em: 2 jul. 2020.

CORTÁZAR, Julio. Alguns aspectos do conto. Valise de cronópio, v. 2, p. 63-147, 1974.

COUTO, Edvaldo Souza et al. Da cultura de massa às interfaces na era digital. Revista entreideias: educação, cultura e sociedade, v. 13, n. 14, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/1185/1/2657.pdf. Acesso em: 2 jul. 2020.

COUTO, Edvaldo Souza. Pedagogias das conexões: compartilhar conhecimentos e construir subjetividades nas redes sociais digitais. In: PORTO, C., e SANTOS, E., orgs. Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2014, pp. 47-65. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/entreideias/article/view/3216/0. Acesso em: 2 jul. 2020.

CRESWELL, John W. Educational research: planning, conducting, and evaluating quantitative and qualitative research. 4th ed. Fourth Edition, 2011.

CRUZ, Jazmín González. Tres características mínimas del Minicuento. Razón y palabra, n. 83, p. 727-744, 2013. Disponível em: https://www.razonypalabra.org.mx/N/N83/V83/31_Gonzalez_V83.pdf. Acesso em: 2 jul. 2020.

CURY, Maria Zilda Ferreira. 2007. Novas Geografias Narrativas. In: Letras de Hoje. Porto Alegre, v.42, n. 4, p. 7‐17, dezembro de 2007. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/279663481_Novas_geografias_narrativas. Acesso em: 2 jul. 2020.

DEMARY, Mensah. “In Search of Lost Tweets: On Being a Writer on Twitter”, in Electric Literature. (2015). Disponível em: http://electricliterature.com/in-search-of-lost-tweets-on-being-a-writer-on-twitter/. Acesso em: 21 abr. 2017.

ECO, Umberto. Os limites da Interpretação. 2ª ed. São Paulo Perspectiva, 2004. [1990]

ELM, Malin S. How do various notions of privacy influence decisions in qualitative internet research? In: MARKHAM, Annette N.; BAYM, Nancy. Internet inquiry. Conversations about method. Los Angles: Sage, 69-87, 2009.

FERNANDES, Leonor Rosado. Twitteratura – a rede social twitter enquanto plataforma literária. 2017. Dissertação de Mestrado. UNIVERSIDADE DE LISBOA. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/27251. Acesso em: 2 jul. 2020.

FRAISSE, Emmanuel. Internet e Literatura. In: Livros e Telas/ Aracy Alves Martins [et al.], organizadoras. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FREEMAN, Linton. The development of social network analysis. Vancouver: Empirical Press, 2004.

GOMES, Rosely Costa Silva. Do conto ao microconto: entre a tradição e a modernidade. Revista Investigações. ISSN: 2175-294X, 2013, v. 26, n. 1. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/INV/article/view/388. Acesso em: 2 jul. 2020.

HINE, Christine. Virtual Ethnography. London: Sage, 2000.

JONES, Steve. Studying the Net. Intricacies and Issues. In: JONES, S. (ed). Doing Internet Research. Critical Issues and Methods for Examining Net. London: Sage, 1999.

LAGMANOVICH, David. (Org.). La otra mirada. Antología del microrrelato hispánico. Palencia: Menoscuatro, 2005.

LAGMANOVICH, David. El microrrelato. Teoría e historia. Polencia: Menoscuarto, 2006.

LAGMANOVICH, David. Microrrelato. Buenos Aires - Tucumán: Cuadernos de Norte y Sur, 2003.

LASTA, Elisangela; BARRICHELLO, Eurgenia M. Rocha. Proposta de uma matriz de analise de estrategias sociotecnicas de visibilidade e legitimidade presentes em blogs corporativos. In: Intercom – RBCC. São Paulo, v.36, n.1, p. 249-268, jan./jun. 2013. Disponivel em: http://www.scielo.br/pdf/interc/v36n1/13.pdf. Acesso em: 20 abr. 2014.

LEMOS, André. Cultura da mobilidade. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, v. 1, n. 40, 2009. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/6314/4589. Acesso em: 2 jul. 2020.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LIMA, Elizabeth Gonzaga de. Geração blogueira: a literatura na web. In: Modos de ler: oralidades, escritas e mídias. Curitiba: Arte e Letra, 2015.

LUIJPEN, William. Introdução à fenomenologia existencial. São Paulo: EPU, 1973. 400p.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso literário. 2006. Trad. Adail Sobral. São Paulo: Contexto.

MARTINS, Beatriz Cintra. Autoria em rede. Mauad Editora Ltda, 2014.

MARTINS, Waleska Rodrigues de Matos Oliveira. 2011. Intensidade, brevidade e coalescência: das vertentes do conto, o microconto. In: Carandá: Revista do Curso de Letras do Campus do Pantanal – UFMS. n.4 , Corumbá‐MS, nov. 2011, p.274‐298. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/89570492/Caranda-n%C2%BA-4-CPAN-UFMS-Novembro-2011. Acesso em: 2 jul. 2020.

MONTIEL, Daniel Escandell. Tuiteratura: la frontera de la microliteratura en el espacio digital. Iberic@ l, n. 5, p. 05-05, 2015. Disponível em: http://iberical.paris-sorbonne.fr/wp-content/uploads/2014/04/05-05.pdf. Acesso em: 2 jul. 2020.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva. Editora Unijuí, 2016.

MUÑOZ, R. y RIVEIRO, A. (2009), “Entrevista: Jack Dorsey”, El País, http://tecnologia.elpais.com/tecnologia/2009/03/25/actualidad/1237973279_850215.html. Acesso em: 10 fev. 2016.

NAVARRO, P.; DIAZ, C. Análisis de contenido. In: DELGADO, J. M.; GUTIERREZ, J. Métodos y técnicas cualitativas de investigación em ciências sociales. Madrid: Sintesis, 1994.

PATO, Ana. Literatura expandida: arquivo e citação na obra de Dominique Gonzalez Foerster. Edições SESC SP, 2012.

PERES, Marcelo Spalding. Os cem menores contos brasileiros do Século e a reinvenção do miniconto na literatura brasileira contemporânea. 01/04/2008 81 f. Mestrado em LETRAS Instituição de Ensino: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Biblioteca Depositária: BSCSH. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/13816/000651683.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 2 jul. 2020.

PIGLIA, Ricardo. Formas breves. Tradução José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Sulina, 2011.

RECUERO, Raquel; BASTOS, Marco; e ZAGO, Gabriela. Análise de Redes para Mídia Social. Porto Alegre: Sulina, 2015.

RECUERO, Raquel; ZAGO, Gabriela. “RT, por favor”: considerações sobre a difusão de informações no Twitter. Fronteiras-estudos midiáticos, v. 12, n. 2, p. 69-81, 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/259338496_RT_por_favor_consideracoes_sobre_a_difusao_de_informacoes_no_Twitter. Acesso em: 2 jul. 2020.

ROAS, David. (Org.) Poéticas del microrrelato. Madrid: Arco Libros, 2010.

ROAS, David. El microrrelato y la teoria de los géneros. In: ANDRES- -SUÁREZ, Irene; RIVAS, Antonio (Eds.). La era de la brevidade. El microrrelato hispânico. Polencia: Menoscuarto, 2008.

RODRIGUES, Rauer Ribeiro Rodrigues. 2011. Apontamentos sobre o microconto. In: Carandá: Revista do Curso de Letras do Campus do Pantanal – UFMS. n.4 , Corumbá‐MS, nov. 2011, p.248‐251. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/89570492/Caranda-n%C2%BA-4-CPAN-UFMS-Novembro-2011. Acesso em: 2 jul. 2020.

ROJO, Violeta. Breve manual para reconocer minicuentos. Azcapotzalco, México: Universidad Autónoma Metropolitana, 1997.

SANTAELLA, Lúcia; LEMOS, Renata. Redes sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, v. 137, 2010.

SANTANA, Camila Lima Santana E. Visibilidade mediada: estratégias e ações docentes no Twitter' 12/08/2014 257 f. Doutorado em Educação. Instituição de Ensino: Universidade Federal da Bahia, Salvador. Biblioteca Depositária: Biblioteca Anísio Teixeira-FACED. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/17242. Acesso em: 2 jul. 2020.

SANTANA, Camila Lima; COUTO, Edvaldo Souza. Estratégias de visibilidade e ações docentes no twitter. Revista Educação (UFSM), v. 42, n. 2, 435-450, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/22553 . Acesso em: 6 jul. 2020.

SANTOS, Alkmar Luiz dos. Um programador na loja de cristais, ou um poeta no laboratório. In: GOULART, Sandra et al. Mobilidades culturais. Belo Horizonte: Veredas e Cenários, 2009, pp. 43-59.

SEABRA, Carlos. A onda dos microcontos. Revista Língua Portuguesa, edição de abril de 2010. Disponível em: https://www.esccrevendo ofu-turo.org.br. Acesso em: 7 jun. 2014.

SILVA, Márcia Rios da. Abrindo as portas da pasticharia: leituras e leitores na contemporaneidade. In: Leitura e Literatura do centro às margens: entre vozes, livros e redes. CORDEIRO, Verbena Maria Rocha. GONÇALVEZ, Luciana Sacramento Moreno. LIMA, Elizabeth Gonzaga de. (ORG.). Campinas: Pontes Escritores, 2016.

SOUZA, Fabrina Martinez de; RODRIGUES, Rauer Ribeiro. 2011. Uma introdução historiográfica ao estudo do microconto brasileiro. In: Carandá: Revista do Curso de Letras do Campus do Pantanal – UFMS. n.4, Corumbá‐MS, nov. 2011, p.253‐273. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/89570492/Caranda-n%C2%BA-4-CPAN-UFMS-Novembro-2011. Acesso em: 2 jul. 2020.

TORRES BEGINES, Concepción. Literatura en Twitter. A propósito del Twitter Fiction Festival. Castilla. Estudios de Literatura. Vol. 7, 2016.

ZAVALA, Lauro. "El cuento ultracorto: Hacia un nuevo canon literario", en Sara Poot Herrera (ed.), El cuento mexicano. Homenaje a Luis Leal, México: Universidad Nacional Atónoma de México (UNAM), 1996. Disponível em: http://webs.uolsinectis.com.ar/rosae/breve10.htm. Acesso em: 2 jul. 2020.

ZAVALA, Lauro. El cuento ultracorto: hacia un nuevo canon literario. In: Nouvelles, Cuentos, Short Stories. Universidad autónoma metropolitana, Xochimilco, México, 2006. Disponível em: http://www.fl.ulaval.ca/cuentos/lzcorto.html . Acesso em: 10 abr. 2010.

ZAVALA, Lauro. Para analisar a minificção. Minguante. 2011. In: http://www.minguante.com/intro.asp (este site foi desativado).

Downloads

Publicado

2022-05-31

Como Citar

Silva, R. N., & Couto, E. S. (2022). A produção de microcontos no Twitter: escrita literária em rede e mobilização de aprendizagens. Educação, 47(1), e41/ 1–29. https://doi.org/10.5902/1984644448175

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)