Pensar a cidade, as crianças e sua educação

Vania Carvalho de Araújo

Resumo


Este artigo, sob forma de ensaio, problematiza a participação da criança na cidade, colocando em suspeição se a sua exclusão nos espaços sociais mais amplos ocorre porque a cidade – a pólis, tal como os gregos a denominavam – foi perdendo as referências legadas pelo passado como a organização mais elevada do convívio humano. Considera que o reconhecimento da criança como partícipe na cidade não significa desvinculá-la de uma experiência social compartilhada com outras categorias geracionais e nem torná-la refém de uma autonomia, cuja infância autocentrada (CUSTÓDIO, 2016) pode muito bem expor certos particularismos que a desvincula de uma rede de relações humanas mais amplas e complexas, destituindo os adultos de suas responsabilidades públicas com aqueles que chegam ao mundo. Dialogando, fundamentalmente, com o pensamento de Hannah Arendt (2011, 2010, 2007, 1987) sobre o que ela depreende da experiência grega da pólis, procura transpor prerrogativas usualmente dominantes sobre a participação das crianças na cidade, chamando a atenção para o papel da educação na compreensão da cidade como uma experiência cujo legado das tradições culturais e heranças simbólicas seja uma referência importante e permanente na formação das novas gerações.


Palavras-chave


Cidade, educação e criança. Hannah Arendt e educação. Pólis e a educação das crianças.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

AGUIAR, Odílio Alves. Filosofia, política e ética em Hannah Arendt. Ijuí: Ed. Unijuí, 2009.

ALMEIDA, Vanessa Sievers de. Educação em Hannah Arendt: entre o mundo deserto e o amor ao mundo. São Paulo: Cortez, 2011.

ARENDT, Hannah. Sobre a revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2007.

ARENDT, Hannah. O que é política? Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

ARENDT, Hannah. Homens em tempos sombrios. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

ASSY, Bethânia. Faces privadas em espaços públicos: por uma ética da responsabilidade. In: ARENDT, Hannah. Responsabilidade e julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. p. 31-60.

CARVALHO, José Sergio Fonseca de. Educação, uma herança sem testamento: diálogos com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Perspectiva: Fapesp, 2017.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Por uma pedagogia da dignidade: memórias e reflexões sobre a experiência escolar. São Paulo: Summus, 2016.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Política e educação em Hannah Arendt: distinções, relações e tensões. Educação e Sociedade, Campinas, v. 35, n. 128, p 813-828, jul./set. 2014.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Reflexões sobre educação, formação e esfera pública. Porto Alegre: Penso Editora Ltda., 2013.

CENPEC. Carta das Cidades Educadoras. Cadernos Cenpec | Nova série, [S.l.], v. 1, n. 1, mai 2006. ISSN 2237-9983. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2017.

CIDADES AMIGAS DA CRIANÇA: uma iniciativa internacional que promove a participação da criança nos governos locais. Disponível em . Acesso em: 20 ago. 2017.

CUSTÓDIO, Crislei de Oliveira. A infância no espelho da pedagogia: mundo infantil, regimes de temporalidade e individualização no discurso pedagógico. 2016. 272 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

FERREIRA, Educação em Esparta e em Atenas: dois métodos e dois paradigmas. In: LEÃO, Delfim Ferreira; FERREIRA, José Ribeiro; FIALHO, Maria do Céu. Cidadania e paideia na Grécia antiga. São Paulo: Annablume Editora, 2011. p. 11-45.

FIALHO, Maria do Céu. Rituais de cidadania na Grécia antiga. In: LEÃO, Delfim Ferreira; FERREIRA, José Ribeiro; FIALHO, Maria do Céu. Cidadania e paideia na Grécia antiga. São Paulo: Annablume Editora, 2011. p. 111-114.

FREITAS, Monica Silva de. A hospitalidade em Homero. Ítaca: Revista de Pós-Graduação em Filosofia. Rio de Janeiro: IFCS – UFRJ, n. 27, p. 33-42, 2014. Disponível em: . Acesso em: 2 abr. 2017.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

MATOS, Olgária. Walter Benjamin: polis grega, metrópolis modernas. In: SOUZA, Solange Jobim e; KRAMER, Sonia. (Org.). Política, cidade e educação: itinerários de Walter Benjamin. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2009a. p. 61-86.

MATOS, Olgária. Contemporaneidades. São Paulo: Lazuli/Companhia Editora Nacional, 2009b.

MATOS, Olgária. Ethos e amizade: a morada do homem. Revista Psicanálise e Cultura, São Paulo, v. 31, n. 46, p. 75-79, 2008.

MATOS, Olgária. Discretas esperanças: reflexões filosóficas sobre o mundo contemporâneo. São Paulo: Nova Alexandria, 2006.

NASCIMENTO, Mariângela M. A esfera pública na democracia brasileira: uma reflexão arendtiana. In: CORREIA, Adriano; NASCIMENTO, Mariangela. (Org.). Hannah Arendt: entre o passado e o presente. Juiz de Fora: UFJF, 2008.

ORTEGA, Francisco. Para uma política da amizade: Arendt, Derrida, Foucault. Rio de Janeiro: Sinergia: Relume Dumará, 2009.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Introdução. Criança, cidade e cidadania. Atas do Colóquio Internacional, Guimarães/Portugal, dez. 2016. Edição Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELOS, Vera M.; SARMENTO, Manuel Jacinto (Org.). Infância (in)visível. Araraquara: Junqueria e Marin, 2007. p. 25-49.

SARMENTO, Manuel Jacinto. As culturas da infância nas encruzilhadas da segunda modernidade. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; CERISARA, A. B. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto/Portugal: Edições ASA, 2004.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

TELLES, Vera da Silva. Direitos sociais: afinal do que se trata? Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644429034

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar