RELAÇÃO ENTRE FAIXAS DE RENDA E O PERFIL DOS CONSUMIDORES DE CARNE BOVINA DA REGIÃO SUL DO BRASIL

Jackeline Karsten Kirinus, Ana Paula Burin Fruet, Ana Carolina Kohlarausch Klinger, Andréa Cristina Dörr, José Laerte Nörnberg

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/2236130810424

A carne bovina está presente na alimentação dos brasileiros e sua demanda está ligada a diversos fatores como: preço, qualidade, preferência, sabor e, principalmente, padrões socioeconômicos dos consumidores. O objetivo deste trabalho foi relacionar a renda assim como, caracterizar outros fatores que determinam e influenciam o consumo de carne bovina na população de Santa Maria, RS, Brasil. Foram aplicados 797 questionários semi-estruturados por 16 entrevistadores devidamente treinados. Após aplicação dos questionários, os dados foram tabulados e analisados. Dentre os entrevistados, 98,37% consomem carne bovina. A costela é o principal corte de preferência, no entanto, os consumidores compram efetivamente o coxão mole. O maior percentual de entrevistados auferem de 1 a 3 salários mínimos mensais. A escolha pelo local de compra do produto cárneo é atribuída preferencialmente a proximidade da residência dos entrevistados. Os consumidores estariam dispostos a pagar mais por uma carne certificada pela maciez. Existe uma tendência a aumentar o consumo e valor pago por quilograma de carne bovina na medida em que aumenta o poder aquisitivo do consumidor. Desta forma, é possível inferir que o poder aquisitivo da população interfere na compra dos diferentes cortes bovinos consumidos.


Palavras-chave


condições socioeconômicas; cortes bovinos; poder aquisitivo; preferência do consumidor

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130810424

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.