Branqueamento de polpa de eucalipto com sequências curtas

Flaviana Reis Milagres, Jorge Luiz Colodette, Marcos Sousa Rabelo, Danila Morais de Carvalho

Resumo


A polpa kraft de Eucalyptus spp., em razão do elevado conteúdo de ácidos hexenurônicos, é relativamente fácil de ser branqueada Dessa forma, estudos têm sido feitos para diminuir o número de estágios de branqueamento na planta, minimizando assim importantes custos do processo. Este estudo teve como objetivo a avaliação de sequências curtas de branqueamento ECF (Elemental Chlorine Free) e TCF (Totally Chlorine Free): PMoDP (Peróxido de hidrogênio catalisado com molibdênio, seguido por estágios de dióxido de cloro e peróxido de hidrogênio), PMoD/P (Peróxido de hidrogênio catalisado com molibdênio, dióxido de cloro e peróxido de hidrogênio, sem lavagem entre os dois últimos estágios), PMoD(PO) (Peróxido de hidrogênio catalisado com molibdênio, dióxido de cloro e peróxido de hidrogênio pressurizado), D(EPO)DP (Dióxido de cloro, extração oxidativa com oxigênio e peróxido de hidrogênio, dióxido de cloro e peróxido de hidrogênio), PMoQ(PO) (Peróxido de hidrogênio catalisado com molibdênio, quelante e peróxido de hidrogênio pressurizado) e XPMoQ(PO) (Enzima, peróxido de hidrogênio catalisado com molibdênio, quelante e peróxido de hidrogênio pressurizado), com polpas kraft de Eucalyptus spp., buscando uma alvura de 90% ISO. Foram realizados estágios de branqueamento com tratamentos menos usuais tais como: peróxido ácido catalisado com molibdênio (PMo) e xilanase (X). Entre as sequências opcionais ECF, a sequência com dois estágios PMoD/P, mostrou um custo efetivo alto, no entando, sem afetar a qualidade da polpa em relação à sequência tradicional D(EPO)DP e obteve melhor qualidade do efluente também em relação à referência. Porém, a sequência de quatro estágios, XPMoQ(PO), alcançou a alvura desejada utilizando a tecnologia TCF. Essa sequência não teve um custo efetivo baixo, embora tenha produzido uma polpa de qualidade aceitável.

Palavras-chave


Polpa ECF; polpa TCF; xilanase; peróxido catalisado

Texto completo:

PDF

Referências


BUCHERT, J. et al. Significance of xylan and glucomannan in the brightness reversion of kraft pulps. Tappi Journal, Atlanta, v. 80, n. 6, p. 165-171, 1997.

CHAKAR, F. S. et al. Influence of hexenuronic acids on U.S. bleaching operations. Tappi Journal, v. 83, n. 11, p. 62-68, 2000.

COSTA, M. M. et al. Branqueamento ECF de baixo investimento para a produção de 1 milhão adt/ano na CENIBRA. In: CONGRESSO IBEROAMERICANO DE INVESTIGACION EN CELULOSA Y PAPEL, 2000, Iguazu, Argentina. Proceedings... Iguazu: CIADICYP, 2000. Não paginado.

COSTA, M. M.; COLODETTE, J. L. Influência dos ácidos hexenurônicos na branqueablilidade da polpa kraft – O2 de Eucalyptus spp. In: CONGRESSO ANUAL DE CELULOSE E PAPEL, 34., 2001, São Paulo. Proceedings... São Paulo: ABTCP, 2001. Não paginado.

FORSSKÅHL, I. Papermaking science and technology.Atlanta: Tappi, 2000. 350 p.

GELLERSTEDT, G. et al. The distribuition of oxidizable structure in unbleached and bleached kraft pulps. In: EUCEPA CONFERENCE. SUSTAINABLE DEVELOPMENT FOR THE PULP AND PAPER INDUSTRY, 28., 2003, Lisboa. Proceedings... Tomar: Tecnicelpa, 2003. p. 58-64.

HÄMÄLÄINEN H. et al. Mill-scale application of a molybdate-activated peroxide delignification process in ECF and TCF production of softwood and hardwood kraft pulps. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON WOOD AND PULPING CHEMISTRY, 12., 2003, Madison. Proceedings... Madison, 2003. p. 81-84.

KRAFT, P. Titulação de soluções e residuais de branqueamento. In: MCDONALD, R. G. (Ed.). Pulp & paper manufacture. New York: McGraw-Hill Book, 1967. v. 1, p. 628-725.

LI, J., GELLERSTEDT, G.: On the structural significance of kappa number measurement. Nordic Pulp and Paper Research Journal, v. 13, n. 2, p. 153-158, 1998.

LOREIRO, P. E. G. et al. Comparação das cinéticas de branqueamento no estágio final de peróxido de hidrogênio das sequências de branqueamento DEopDP e PQ(PO)DP. O Papel, São Paulo, v. 70, n. 05, p. 56-68, maio 2009.

MILANEZ, A. F. et al. Condições ótimas para branquear polpa kraft de eucalipto com uma sequência em três estágios. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 36, n. 78, p. 105-113, jun. 2008.

RABELO, M. S. Tecnologias avançadas para pré-branqueamento de polpa kraft de eucalipto. 2006. 242 p. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2006.

ROBLES, Y. A. M. et al. Avaliação de diferentes tecnologias de branqueamento para obtenção de polpa kraft de eucalipto. O Papel, São Paulo, n. 7, p. 62-78, jul. 2006.

RONCERO, M. B. et al. The effect of xilanase on lignocellulosic components during the bleaching of wood pulps. Bioresource Technology, v. 96, p. 21-31, 2005.

SACON, V. M.; YANG, J. L. Branqueamento de celulose de eucalipto com seqüências contendo oxigênio, xilanase, Ozônio e Peróxido. In: CONGRESSO ANUAL DE CELULOSE E PAPEL DA ABTCP, 26.; 1993, São Paulo. Anais... São Paulo, 1993, p.14.

SUESS, H. U. et al. Alvura superior no branqueamento de pasta kraft de eucalipto. O Papel, São Paulo, n. 3, p. 78-86, mar. 2001.

TAPPI - Technical Association of the Pulp and Paper Industry. Standard methods of technical association of the pulp and paper industry. Atlanta, 2002.

VENTORIM, G. et al. M. Influência do número kappa, dos ácidos hexenurônicos e da lignina no desempenho da deslignificação com oxigênio. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 71, p. 87-97, ago. 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982758