Educação ambiental e sistemas de ensino: estudo de caso em uma escola pública do município de Lauro Müller-SC

Nilzo Ivo Ladwig, Jaqueline Cristiane Pandini, Viviane Kraieski Assunção

Resumo


A obrigatoriedade da Educação Ambiental – EA está garantida na educação escolar por meio da legislação, que ressalta a importância da interdisciplinaridade. Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa, caracterizada como um estudo de caso, sobre concepções e práticas de EA no sexto ano do Ensino Fundamental de uma escola pública do município de Lauro Müller (SC). No ano em que a pesquisa foi realizada, o sistema apostilado passou a ser utilizado em todas as disciplinas do 6o ano das escolas municipais. Por meio da investigação, apresentam-se, aqui, (1) as dificuldades e potencialidades apontadas pelos professores que lecionam nesta série para a realização da EA; (2) a presença de conteúdos de EA nas apostilas, por meio da análise dos textos e exercícios que as compõem. Conclui-se que os professores necessitam de formação continuada em EA que possibilite a construção de alternativas de forma a integrar as áreas de conhecimento.


Palavras-chave


Interdisciplinaridade; Sistema de Ensino; Material didático

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ADRIÃO, T.; GARCIA, T.; BORGHI, R.; ARELARO, L. Uma modalidade peculiar de privatização da educação pública: a aquisição de “sistemas de ensino” por municípios paulistas. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 108, p. 799-818, out. 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BOFF, L. A ética da vida. São Paulo. Letraviva, 1999.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 28 out. 2014.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm. Acesso em: 15 abr. 2014.

BRASIL. Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina: formação integral na formação básica. Estado de Santa Catarina, Secretaria do Estado da Educação. 2014.

BRASIL. Resolução n°2, de 15 de junho de 2012. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental. Disponível em: http://conferenciainfanto.mec.gov.br/images/pdf/diretrizes.pdf. Acesso em: 15 abr. 2014.

BRITTO, T F. O Livro Didático, o Mercado Editorial e os Sistemas de Ensino Apostilados. Textos para discussão, n. 92. Centro de Estudos da Consultoria do Senado, 2011. Disponível em: http://www.abrale.com.br/wp-content/uploads/Livro-did%C3%A1tico-o-mercado-editorial-e-os-sistemas-apostilados.pdf

BUNZEN, C. O antigo e o novo testamento: livro didático e apostila escolar. Ao pé da letra, 3.1:35-46, 2001

CARVALHO, I. C. de M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

DIAS, G. F. Ecopercepção: um resumo didático dos desafios socioambientais. São Paulo: Gaia, 2004.

FAZENDA, I. C. A. Reflexões metodológicas sobre a tese: "interdisciplinaridade - um projeto em parceria". In: FAZENDA, I. C. A. (Org.). Metodologia da pesquisa educacional. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2010, p.161-179.

FREITAG, B, et. al. O Livro didático em questão. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GRÜN, M. Ética e educação ambiental: a conexão necessária. Campinas: Papirus, 1996.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental: No consenso um embate? Campinas: Papirus, 2000.

LAURO MÜLLER (Município). Lei 1.507/2008, de 02 de abril de 2008. Política de Proteção, Conservação e Recuperação do Meio Ambiente. Disponível: Secretária Municipal de Agricultura e Meio

Ambiente. Acesso: 21 jul. 2014.

LOPES, A. (Org.) Lauro Müller, a história. Orleans: Gráfica do lelo, 2008.

MARCATTO, C. Educação ambiental: conceitos e princípios. Belo Horizonte: FEAM, 2002.

MAYHÉ-NUNES, E. R. Educação Ambiental: princípios e objetivos. Revista de Educação, Brasília, n. 68, p. 19-28, abr./jun. 1988.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2002.

MOTTA, C. E. S. Indústria cultural e o sistema apostilado: a lógica do capitalismo. Caderno Cedes, Campinas, v. 21, n. 54, p.82-89, 2001.

NASCIMENTO, D. do. Ferrovia e carvão: a Ferrovia Teresa Cristina no sul do Estado de Santa Catarina. In: FILHO, A. G. (Org.). Memória e cultura do carvão em Santa Catarina. Florianópolis: Cidade

Futura, 2004.

PEREIRA, C. C.; MARCOMIN, F. E. Contribuições de Paulo Freire para a educação ambiental escolar. In: MARTINS, M. da C.; FROTA, P. R. de O. (Orgs.). Educação ambiental: a diversidade de um paradigma. Criciúma: UNESC, 2013. p. 167-188

PPP. Projeto Político Pedagógico. Lauro Müller: Escola Municipal Lígia Chaves Cabral, 2015.

ROSA, C. I. da. Contribuições de Paulo Freire para a educação ambiental escolar. In: MARTINS, M. da C.; FROTA, P. R. de O. (Orgs.). Educação ambiental: a diversidade de um paradigma. Criciúma:

UNESC, 2013. p. 53-68

SANTA CATARINA (Estado). Lei 13.558, de 17 de novembro de 2005. Política Estadual de Educação Ambiental. Disponível em: www.sed.sc.gov.br/secretaria/. Acesso em: 15 abr. 2014.

SARIEGO, J. C. L. Emprego de revistas de divulgação científica como instrumento na Educação Ambiental. 1995. 195 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

SATO, M. Educação Ambiental. São Carlos: Rima, 2003.

SEBRAE/SC. Santa Catarina em números: Lauro Müller. Florianópolis: SEBRAE/SC, 2010.

SHEIBE, L. F. Diagnóstico Preliminar da Qualidade Ambiental do Município de Lauro Müller, SC. Revista GEOSUL v.8, nº10, ano VIII – p. 99 -107, 2º semestre 1993.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236499440570

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexações e Bases Bibliográficas