Produção de materiais educativos para o Parque Estadual do Camaquã(RS/Brasil): Estratégias de divulgação e educação ambiental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2236499444185

Palavras-chave:

Áreas Protegidas, educação geográfica, fascículo didático, infografia

Resumo

O Rio Grande do Sul é um dos estados brasileiros menos abrangidos por áreas protegidas e 52% de suas unidades de conservação não possuem ações efetivas de conservação ambiental. O Parque Estadual do Camaquã é uma unidade de conservação integral do estado do Rio Grande do Sul criada em 12 de março de 1975. Até o momento não conta com plano de manejo, regularização fundiária e/ou demais ações de educação ambiental. O objetivo deste trabalho é desenvolver materiais educativos e de divulgação do Parque Estadual do Camaquã, a fim de evidenciar suas problemáticas ambientais e subsidiar estratégias de educação ambiental. Foram elaborados dois infográficos, um referente à situação das unidades de conservação da natureza no estado do Rio Grande do Sul e outro que aborda especificamente do Parque Estadual do Camaquã (área, potencialidades e fragilidades frente às formas de ocupação). Um fascículo didático de caráter geográfico também foi desenvolvido para apresentar as características espaço-temporais e as problemáticas ambientais da área. O fascículo é voltado ao público escolar e pode ser trabalhado por educadores formais (professores) e informais (guarda parque). O material elaborado reforça o papel da Geografia como ciência capaz de promover o debate e o raciocínio ecológico e espacial, formando sujeitos conscientes do patrimônio ambiental do meio ao qual estão inseridos.

Biografia do Autor

Ândrea Lenise de Oliveira Lopes, Programa de Pós-graduação em Geografia Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil

Mestre em Geografia (linha de pesquisa "Análise Ambiental") pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Pelotas (2017). Doutoranda em Geografia pela Universidade Federal de Santa Maria na linha de pesquisa de "Dinâmicas da Natureza e Qualidade Ambiental do Cone Sul".

Liz Cristiane Dias, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, Brasil

Atua como professora na Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Geografia na Universidade Federal de Pelotas/UFPel e como professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - POSGEA/UFRGS. É professora Associada do Departamento de Geografia do Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal de Pelotas, Pós-doutorado em Educação na Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2018 - 2019).

Adriano Luís Heck Simon, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, Brasil

Adriano Simon é professor Associado II na Universidade Federal de Pelotas onde atua nos cursos de Graduação em Geografia (Licenciatura e Bacharelado) e Pós-graduação em Geografia (Mestrado). Atualmente é chefe do Departamento de Geografia (2020-2022) e coordenador do Laboratório de Estudos Aplicados em Geografia Física - LEAGEF/UFPEL. 

Referências

BENTO, I. P.; OLIVEIRA, K. A. T. Elaboração de Material Didático: O Espaço Urbano e a Violência Na Região Metropolitana de Goiânia/Brasil. Revista Geográfica de América Central, vol. 2, p.1-11, jul/dez. 2011.

BRASIL, Lei n° 9.985 de 18 dejulho de 2000. Institui o Sistema de Unidades de Coservação da Natureza. Brasília, DF, 18 de julho, 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9985.htm Acesso em: 10 de abr. 2020.

BRASIL, Lei nº 9.795 de 27 de abril de 1999. Institui a Política Nacional de Educação Ambiental, DF, 27 de abril, 1999. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=321 Acesso em: 26 de abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 6 6.938 de 31 de agosto de 1981. Política Nacional de Meio Ambiente. Brasília, DF, 31 de agosto de 1981. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6938.htm Acesso em: 07 mai 2018.

BRASIL. Ministério das Minas e Energia. Secretaria Geral. Programa de Integração Regional. RADAMBRASIL. Levantamento de Recursos Naturais. Folha SH. 22 Porto Alegre e parte das folhas SH. 21 Uruguaiana e SI 22 Lagoa Mirim. Rio de Janeiro, 1986. v. 33.

BRENTANO, B.; FOLLMANN, F. M. FOLETO, E. Contextualização das Unidades de Conservação no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Ciência e Natura, Santa Maria, v.37, n.4, 2015. p. 536-554.

BUTZKE, I.C; PEREIRA, G.R.; NOEBAUER, D. Sugestão de indicadores para avaliação do desempenho das atividades educativas do sistema de gestão ambiental. SGA da Universidade Regional de Blumenau, FURB, 2007.

CASTELLAR, S. M. V. Raciocínio geográfico e a Teoria do Reconhecimento na formação do professor de Geografia. Signos Geográficos, Goiânia, vol. 01, p. 01 – 02. 2019.

CAVALCANTI, L. S. Geografia e práticas de ensino. Goiânia: Editora Alternativa, 2002, 127p.

CERATI, T. M.; LAZARINI, R. A. de M. A pesquisa-ação em Educação Ambiental: Uma experiência no entorno de uma unidade de conservação urbana. Revista Ciência e Educação, Bauru, vol. 15, n. 2, p. 383 – 392. 2009.

COIMBRA, A. de S. Interdisciplinaridade e educação ambiental: integrando seus princípios necessários. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, vol. 14, p. 115 – 121, jan/jun. 2005.

EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Divisão de Áreas Protegidas, Informativo Atribuição das Terras no Brasil, 2017. Disponível em: https://www.embrapa.br/gite/projetos/atribuicao/170602 Acesso em: 28 de abril de 2018.

GARCIA, L. V. M.; MOREIRA, J. C.; BURNS, R. Conceitos Geográficos na Gestão das Unidades de Conservação Brasileiras. GEOgraphia. Niterói, vol. 20, n. 42, p. 53 – 62, jan/abr. 2018.

HANSEN, M. A. F. Unidades de Conservação Ambiental: Delta do Camaquã e Matas e Banhados da Pacheca, RS (estudo de caso). São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2007. 256p.

ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Educação Ambiental em unidades de conservação: ações voltadas para comunidades escolares no contexto da gestão pública da biodiversidade, 2016; 66p. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/comunicacao/publicacoes/publicacoesdiversas/DCOM_ICMBio_educacao_ambiental_em_unidades_de_conservacao.pdf Acesso em: 12 de maio de 2018.

LOPES, A. L. O.; TRENTIN, G.; SIMON, A. L. H. Análise da dinâmica de coberturas e usos da terra como subsídio ao planejamento ambiental de unidades de conservação: aplicações no Parque Estadual do Camaquã (RS-Brasil). Ra’ega - O Espaço Geográfico em Análise, Curitiba, vol. 46, n. 2, p. 152-170. 2019.

LOPES, Â. L. O. Zoneamento Ambiental do Parque Estadual do Camaquã/RS: Subsídios ao Plano de Manejo. 2017. 166p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.

LOPES, Â. L. O. SIMON, A. L. H. Cartografia geomorfológica do Parque Estadual do Camaquã (RS): subsídios à elaboração do zoneamento ambiental. In: SIMON, A. L. H.; LUPINACCI, C. M. A cartografia geomorfológica como instrumento para o planejamento. Pelotas: Editora da UFPel, 2019. p. 132-147.

MUHLE, R. P. Ações de Educação Ambiental em Unidades de Conservação Estaduais do Rio Grande do Sul. 2012. 46p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Biologia Animal) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PALMIERI, M. L.B. Educação Ambiental em áreas protegidas do Estado de São Paulo e sua contribuição à escola. 2018. 289p. Tese de Doutorado (Doutorado em Ciências) – Universidade de São Paulo, Piracicaba.

QUEIROZ E.D.; QUINTANILHA, L. S. As Unidades de Conservação e os riscos: o papel da educação ambiental par a comunidade do entorno. In: Geografia e os riscos socioambientais. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2020.p. 133-152.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto Estadual 23.798, 12 de março de 1975. Cria Parques Estaduais e Reservas Biológicas, e dá outras providências. Porto Alegre, 12 de março de 1975. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/cepsul/images/stories/legislacao/Decretos/1975/dec_23798_1975_criaparquesestaduais_reservasbiologicas_rs.pdf. Acesso em: 10 abr 2015.

RIO GRANDE DO SUL. Decreto Estadual 38.814 de 26 de agosto de 1998. Regulamenta o Sistema Estadual de Unidades de Conservação, e dá outras providências. Porto Alegre, 26 de agosto de 1998. Disponível em: http://www.ciflorestas.com.br/arquivos/lei_decreto_38.8141998_24241.pdf

RIO GRANDE DO SUL. Decreto de Lei Estadual 53.037 de 20 de maio de 2016. Institui e regulamenta o Sistema Estadual de Unidades de Conservação. Porto Alegre, 20 de maio de 2016. Disponível em: http://www.al.rs.gov.br/filerepository/repLegis/arquivos/DEC%2053.037.pdf

RODRIGUES, G. S. S. C. Educação Ambiental e Hipermídia: a construção de um material didático para o Parque Municipal Victório Siquierolli, Uberlândia, MG. 2007. 171p. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

RODRIGUES, G. S. S. C.; COLESANTI, M. T. M. Materiais didáticos para educação ambiental em unidades de conservação: as possibilidades de uso da hipermídia. Boletim Goiano de Geografia, vol. 35, n. 2, p. 289 – 304, mai/ago. 2015.

SEMA, SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E INFRAESTRUTURA. Unidades de Conservação, disponível em: https://www.sema.rs.gov.br/unidades-de-conservacao-2016-10 Acesso em: 28 de abril de 2020.

SCHERER, M. W.; ETGES, H. A.; A infografia como recurso para promover educação: uma análise da revista Horizonte Geográfico. In: XVI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sul, Anais evento regional. Joinville.2014. p.1-15. Disponível em: http://www.portalintercom.org.br/anais/sul2015/resumos/R45-0725-1.pdf

SOUZA, J. A. C. Infográfico: modos de ver e ler ciência na mídia. Bakhtiniana, São Paulo, vol. 11, n. 2, p. 190 - 206, mai/ago. 2016

TABANEZ, M. F.; PÁDUA, S. M.; SOUZA, M. G. Avaliação de trilhas interpretativas para educação ambiental. In: PÁDUA, S. M.; TABANEZ, M. F. Educação ambiental: caminhos trilhados no Brasil. Brasília: IPE, 1997. P. 89 – 102.

TEIXEIRA, R. S.; SOUZA, R. O. L. Análise de materiais educativos utilizados como ferramenta para a educação ambiental de estudantes de escolas públicas do Rio de Janeiro. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, vol.19, n. 2, p. 1032 – 1037, mai/ago. 2015.

TEIXEIRA, T. Infografia e Jornalismo: conceitos, análises e perspectivas. Salvador: EDUFBA, 2010.

Downloads

Publicado

2021-07-12

Como Citar

Lopes, Ândrea L. de O., Dias, L. C., & Simon, A. L. H. (2021). Produção de materiais educativos para o Parque Estadual do Camaquã(RS/Brasil): Estratégias de divulgação e educação ambiental. Geografia Ensino & Pesquisa, 25, e15. https://doi.org/10.5902/2236499444185

Edição

Seção

Meio Ambiente, Paisagem e Qualidade Ambiental