O TRABALHADOR DO CAMPO E DA CIDADE NA LÓGICA DO CAPITAL AGROINDUSTRIAL: SANTA CATARINA E PARANÁ

Marilucia Ben, Valdir Skrzypczak, Marli Terezinha Szumilo Schlosser, Carmen Rejane Flores Wizniewsky

Resumo


Esse trabalho é resultado de estudos coletivos de integrantes do Laboratório de Ensino de Geografia (LEG) em parceria com as Universidades – Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) e UFSM (Universidade Federal de Santa Maria), orientado e debatido pelas docentes Marli Terezinha Szumilo Schlosser e Carmem Rejane Flores Wizniewsky- que visa entender as relações de qualificação/desqualificação através da Educação (in) formal, voltada para o capital/consumo com vistas ao agronegócio. Trata-se de dois trabalhos unidos pela correlação, sendo um voltado para a região Oeste de Santa Catarina e o outro para o Oeste do Paraná, que por ocasião, têm como base à dependência de grandes grupos econômicos agroindustriais, como a BRF (Brasil Foods) e Aurora em Chapecó (SC), Diplomata S/A Industrial e Comercial em Xaxim (SC), e Cooperativa Agroindustrial Lar em Medianeira (PR), essas empresas e cooperativas, dominam o setor de carnes de aves/suínos e seus derivados. Na relação dialética entre o campo/cidade/agroindústria, o trabalhador da cidade e do campo (integrado), vêm constantemente se qualificando/desqualificando para atender aos interesses da (re) produção do capital, impostas pelos complexos agroindustriais e também às exigências do mercado internacional. Ao mesmo tempo em que o trabalhador se qualifica/desqualifica, vive processos contraditórios e de confronto nas relações sociais de produção. Sendo assim o capital ao exigir maior escolarização do trabalhador, simplifica sua atividade, o torna flexível e polivalente, desenvolvendo a pedagogia das habilidades e competências, maximizando a extração da mais valia e submetendo-o ao ritmo da máquina e da produção. Compreender como as famílias integradas/associadas e também os trabalhadores da agroindústria são escolarizados para atender os interesses do capital agroindustrial da região Oeste catarinense e paranaense, é o objetivo geral do trabalho. A área de estudo compreende os municípios de Xaxim e Chapecó no Oeste de Santa Catarina e Medianeira no Oeste do Paraná, caracterizados pela forte presença agroindustrial, além do significativo setor de comércio e serviços, voltados em parte para atender as demandas das agroindústrias. O período pesquisado data entre 1960 a 2010, caracterizado por profundas transformações no campo e na cidade, resultado da reestruturação produtiva entre capital/trabalho.

 

Palavras-chave: trabalho; educação; precarização; cidade; campo; agroindústria.

 

 

DOI: 10.5902/2236499413663


Texto completo:

PDF

Referências


ALBA, Rosa Salete (Org.). Estudos de geografia agrária do oeste catarinense. Chapecó: Argos, 2008. 173 p.

_____. Espaço Urbano: os agentes da produção em Chapecó. Chapecó: Argos, 2002. 184p.

ANTUNES, Ricardo (org.). A Dialética do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

ARROYO, Miguel Gonzáles; FERNANDES, Bernardo Mançano. A educação básica e o movimento social do campo. Brasília: [s.n.], 1999.

ARROYO, Miguel Gonzáles; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica Castagna (org.). Por uma educação do campo. 4ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: A degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

BOUFLEUER, José Pedro. Pedagogia da ação comunicativa: uma leitura de Habermas. Ijuí: UNIJUÍ, 1997.

CRUZ, Dulcinéia da.A Formação do ‘Total Trabalhador SADIA’: Um estudo de caso sobre o processo de qualificação dos trabalhadores na Sadia S/A. 2000,150 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-Graduação do Centro de Educação. UFSC. Florianópolis.

GADOTTI, Moacir. Pensamento pedagógico brasileiro. 2. ed., São Paulo: Ática, 1988.

GOHN, Maria da Gloria. Educação não-formal e cultura política. São Paulo: Cortez, 1999.

GREGORY, Valdir. Os Eurobrasileiros e o Espaço Colonial: migrações no Oeste do Paraná (1940 -1970). Cascavel: edunioeste, 2002. 306p.

KUENZER, Acácia Zeneida. Pedagogia da Fábrica: As relações de produção e a educação do trabalhador. 8ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. [tradução de Rubens Eduardo Frias]. Textos sobre educação e ensino. 4ª ed. São Paulo: Centauro, 2004.

MARX, Karl. [tradução de Reginaldo Sant’Anna].O capital: crítica da economia política. Livro l. 29ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011. v. 1.

MÉSZÁROS, I. Marx: a teoria da alienação. Tradução: Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

MÉSZAROS, István. [tradução Isa Tavares]. A educação para além do capital. 2ª ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MIZUSAKI, Márcia Yukari. Território e reestruturação produtiva na avicultura. Dourados, MS: Editora da UFGD, 2009.

PAULINO, Eliane Tomiasi. Por uma geografia dos camponeses. 2ª ed. São Paulo: Editora Unesp, 2012.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. São Paulo. Ática, 1993.

RIBAS, Alexandre Domingues; SPOSITO, Eliseu Savério; SAQUET, Marcos Aurélio. Território e desenvolvimento: diferentes abordagens. Francisco Beltrão: Unioeste, 2004.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 5ª ed. São Paulo: Edusp, 2008.

SCHNEIDER, J. Elmo. O cooperativismo agrícola na dinâmica social do desenvolvimento periférico dependente: o caso brasileiro. In: LOUREIRO, M. Rita (Org.). Cooperativas agrícolas e capitalismo no Brasil. São Paulo: Cortez, 1981.

SCHLOSSER, Marli Terezinha Szumilo. Rádio, consensos e dissensos: o reverso do discurso e a crise da especialização agrícola (extremo oeste do Paraná). Presidente Prudente, 2005. 259p.

SINGER, Paul. O capitalismo: Sua evolução, sua lógica e sua dinâmica. 6ª ed. São Paulo: Moderna, 1991.

SKRZYPCZAK, Valdir. A educação/qualificação dos trabalhadores do campo e da cidade na lógica do capital agroindustrial, na cidade de Xaxim (SC). 2013, 148f. Dissertação (Mestrado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia. Unioeste. Francisco Beltrão – PR.

SKRZYPCZAK, Valdir. Entrevista realizada com N. P. F., camponês integrado da indústria Diplomata de Xaxim (SC). Xaxim, 21 de out. de 2012.

TESTA, Vilson M. et al. O desenvolvimento sustentável do Oeste Catarinense: proposta para discussão. Florianópolis: EPAGRI, 1996.




DOI: https://doi.org/10.5902/2236499413663

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas