Efeitos da formação inicial de professores em Tecnologia Assistiva através de metodologia problematizadora

Carolina Rizzotto Schirmer, Leila Regina d’Oliveira de Paula Nunes

Resumo


O estudo teve como objetivos planejar, implementar e avaliar os efeitos de um programa de formação inicial de professores para atuar com recursos de Tecnologia Assistiva (TA) e de Comunicação Alternativa (CA) nas concepções sobre deficiência desses futuros professores e em sua atuação educacional junto a alunos com deficiência e Transtorno do Espectro Autista (TEA). Uma pesquisa-ação foi conduzida com 37 alunos da graduação do curso de Pedagogia, 26 alunos com deficiência sem fala articulada, e cinco professoras de uma escola especial da rede pública de ensino. Os procedimentos metodológicos envolveram: a) aplicação de questionário aos graduandos no início e ao final do programa; b) oferta de aulas expositivas e desenvolvimento de atividades de ensino pelos graduandos junto aos alunos com deficiência e TEA, de acordo com a Metodologia da Problematização — observação da realidade, seleção de problema pedagógico, reflexão sobre os determinantes do aluno, elaboração de hipóteses, pesquisa bibliográfica, elaboração, implementação e avaliação de plano de ensino. Os dados mostraram efeitos positivos nas concepções dos graduandos em relação aos conceitos de deficiência, TA e CA, e atendimento educacional bem-sucedido, com emprego de muitos recursos e estratégias de CA, material pedagógico adaptado e recursos de acesso ao computador. O estudo beneficiou, ainda, os professores da escola especial, que passaram a conhecer tais recursos, e os alunos com deficiência, que ampliaram as oportunidades de comunicação e interação social.


Palavras-chave


Formação inicial de professores; Tecnologia assistiva; Metodologia da problematização.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BARBOSA-VIOTO, J.; VITALIANO, C. R. Educação inclusiva e formação docente: percepção de formandos em pedagogia. Magis: revista internacional de investigación em educacion, v.5, n.11, p. 353-373, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1997.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Interface Comun Saúde Educ; v.2, p. 139-154, 1998.

BERSCH, R. Tecnologia assistiva: metodologia para estruturação de serviço em escolas públicas. 2009. Dissertação (Mestrado em Design) - Programa de Pós-Graduação em Design, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

BROWN, S; KING, F. Constructivist Pedagogy and how we learn: Educational Psychology meets international studies. International Studies Perspectives, v1, p. 245–254, 2000.

BUENO, J. G. S. A educação inclusiva e as novas exigências para a formação de professores: algumas considerações. In: BICUDO, M.A.; SILVA Jr., C.A. (Orgs.) Formação de educadores e avaliação educacional. São Paulo: UNESP, 1999, p. 146-164.

BUENO, J. G. S; MARIN, A. J. Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e a formação de professores: 10 anos depois. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: formação de professores em foco, São Paulo, 5., 2009. Anais... São Paulo: ABPEE, 2009.

CANDAU, V. M. F. Formação Continuada de professores: tendências atuais. In: REALI, A.M.M.; MIZUKAMI, M.G.N. (Orgs.). Formação de professores: tendências atuais. São Carlos: EDUFSCar, 2007, p.139-182.

CORREA NETTO, M. M. F. A Comunicação Alternativa e a aprendizagem de crianças com autismo, Asperger e Angelman: formação continuada de profissionais de Educação e Saúde. 2012. 404f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2012.

CORTES L.F., PADOIN S.M.M., BERBEL N.A.N. Problematization Methodology and Convergent Healthcare Research: praxis proposal in research. Rev Bras Enferm. [Internet]. v.71(2), p.440-445, 2018.

CUNHA, M. I.; MARSICO H.L., BORGES F.A., TAVARES P. Inovações pedagógicas na formação inicial de professores. In: Fernandes C.M.B.; Grillo M. (Org.). Educação superior: travessias e atravessamentos. Canoas: Editora da ULBRA, 2001. p.33-90.

CYRINO, E. G.; TORALLES-PEREIRA, M. L. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad. Saúde Pública, vol.20 no.3. Rio de Janeiro, p.780-788, May/June, 2004.

DARIUS, R.P.P.; STANGE LOPES, B. J. O uso da metodologia da problematização para o desenvolvimento de projeto integrador no curso de pedagogia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. 2, p. 983-1004, 2017.

DELIBERATO, D. Comunicação Alternativa: recursos e procedimentos utilizados nos projetos temáticos de classes especiais. In: AUTOR 2; PELOSI, M.; GOMES, M.. (Orgs.). Um retrato da comunicação alternativa no Brasil: relatos de pesquisas e experiências. 1. ed. Rio de Janeiro: Quatro Pontos, 2007. v. 2, p. 61-64.

FARIA, P.M.F.; CAMARGO, D. As Emoções do Professor Frente ao Processo de Inclusão Escolar: uma Revisão Sistemática. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v. 24, n. 2, p. 217-228, Apr. 2018.

FERREIRA, J. R. Políticas e práticas de educação inclusiva. In: GÓES. Políticas e práticas de educação inclusiva. Campinas: Associados, 2004.

FLAVELL, J. H.; MILLER, P.H., MILLER, S.A. Desenvolvimento cognitivo. Porto Alegre: Artmed; 3. ed., 1999.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1975.

GALVÃO FILHO, T. A. Tecnologia assistiva: favorecendo o desenvolvimento e a aprendizagem em contextos educacionais inclusivos. In: GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (Orgs.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012. p. 65-92.

GALVÃO FILHO, T. A.; MIRANDA, T. G. Tecnologia assistiva e paradigmas educacionais: percepção e prática dos professores. In: Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 34., 2011, Natal. Anais... Natal: ANPEd, 2011.

GIJSELAERS, W. Connecting problem-based practices with educational theory. New Direction for Teaching and Learning, v.68, p.13-21, 1996.

GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. Educação especial, formação de professores e o uso das tecnologias de informação e comunicação: a construção de práticas pedagógicas inclusivas. In: GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (Orgs.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária ; São Paulo: Cultura Acadêmica , 2012. p. 11-24.

GLAT, R. Integração dos portadores de deficiência: uma questão psicossocial. Revista Temas em Psicologia, n. 2, p. 88-94, 1995.

GLAT, R.; PLETSCH, M. D. O papel da universidade frente às políticas públicas para Educação Inclusiva. Revista Benjamim Constant, Rio de Janeiro ano 10, n. 29, p. 3-8, 2004.

GLAT, R.; ANTUNES, K. C. V. Pesquisa em educação especial: reflexões sobre sujeitos, ética e metodologia. In: TAQUETTE, S. R.; CALDAS, C. P. (Org.). Ética e pesquisa com populações vulneráveis. Rio de Janeiro: Eduerj, 2012, p. 267-292.

GREGUOL, M.; GOBBI, E.; CARRARO, A. Formação de professores para a educação especial: uma discussão sobre os modelos brasileiro e italiano. Rev. bras. educ. espec., Marília, v. 19, n. 3, p. 307-324, Sept. 2013.

LOURENÇO, G. F. Avaliação de um programa de formação sobre recursos de Alta Tecnologia Assistiva e Escolarização. 2012. Tese (Doutorado em Educação Especial) -Programa de Pós-Graduação em Educação Especial, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

MESQUITA, A.M.A. Discutindo A Formação Inicial de Professores no Contexto da Inclusão. Londrina, 2009.

MORAES, K. C.; BERBEL, N. A. O uso da metodologia da problematização para a investigação sobre avaliação da aprendizagem. O que há de específico para o ensino superior? Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 27, n.2, p. 169-186, jul./dez. 2006.

NUNES, L. R. O. P. Acessibilidade comunicativa para alunos com deficiência: formação inicial e continuada de professores. Projeto de pesquisa financiado pela FAPERJ (proc. E 26/111794/2008), 2008.

NUNES, L. R. O. P. Dando a voz através de imagens: comunicação alternativa para indivíduos com deficiência. Relatório de pesquisa aprovado pela FAPERJ (proc. E 26/110235/2007), 2009.

OMOTE, S. A concepção de deficiência e a formação do profissional em educação especial. In: MARQUEZINE, M. C.; ALMEIDA, M. A.; TANAKA, E. D. O. (Org). Perspectivas Multidisciplinares em Educação Especial II, Londrina: Ed. UEL, 2001. p.45-52.

PELOSI, M. B. Inclusão e Tecnologia Assistiva. 2008. 303 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

PELOSI, M. B.; NUNES, L. R. O. P. Caracterização dos professores itinerantes, suas ações na área de tecnologia assistiva e seu papel como agente de inclusão escolar. Rev. bras. educ. espec., vol.15, p. 141-154, 2009.

PLETSCH, M. Repensando a Inclusão escolar de pessoas com deficiência mental: diretrizes políticas, currículo e práticas pedagógicas. Tese (Doutorado em Educação) Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo a Pesq. do Estado do Rio de Janeiro. 2009.

POKER, R. B.; VALENTIM, F. O. D.; GARLA, I. A. Inclusão escolar e formação inicial de professores: a percepção de alunos egressos de um curso de Pedagogia. Revista Eletrônica de Educação, v.11, n.3, p.876-889, set./dez., 2017.

PRADO, M. L. et al. Arco de Charles Maguerez: refletindo estratégias de metodologia ativa na formação de profissionais de saúde. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 172-177, Mar. 2012.

ROCHA, A. N. D. C.; DELIBERATO, D. Tecnologia assistiva para a criança com paralisia cerebral na escola: identificação das necessidades. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília: ABPEE, v. 18, n. 1, p. 71- 92, jan./mar. 2012.

SCHIRMER, C.R.; WALTER, C. C. F.; NUNES, L. R. O. P. Formação Inicial de professores: da pesquisa à prática. In: AUTOR 2 et al. (Org.) Comunicar é preciso: em busca das melhores práticas da educação do aluno com deficiência. Marília: ABPEE, 2011, v.1, p. 13-23.

SEABRA JUNIOR, M. O.; LACERDA, L. C. Z. Atendimento Educacional Especializado: planejamento e uso do recurso pedagógico. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 23, e230016, 2018.

SOUZA, V. L.V. Ações colaborativas em comunicação alternativa para crianças com deficiência no ensino infantil. 2015. 315 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

VENTURELLI, J. Educación médica: nuevos enfoques, metas y métodos. Washington, DC: Organización Panamericana de la Salud/Organización Mundial de la Salud; 1997.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X36505

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________