Alocação de nutrientes ao longo do tronco em Pinus taeda L. aos 17 anos de idade

Rudi Witschoreck, Mauro Valdir Schumacher

Resumo


Este trabalho, realizado em um povoamento de Pinus taeda de 17 anos de idade no município de Cambará do Sul - RS, em Cambissolo Húmico alumínico típico, teve por objetivo estudar o padrão de alocação dos nutrientes ao longo do tronco e suas implicações para a amostragem na estimativa do estoque de nutrientes. Foram amostradas 18 árvores, distribuídas em 6 classes diamétricas, com coleta de amostras, de casca e madeira, nas seguintes alturas relativas (por cento da altura total): h0,1 (10%), h0,3 (30%), h0,5 (50%), h0,7 (70%) e h0,9 (90%). O padrão de alocação dos nutrientes ao longo do tronco foi estudado mediante comparação de médias e ajuste de equações de regressão, correlacionando concentração de nutrientes e a altura de coleta das amostras. Testaram-se diferentes estimadores da concentração de nutrientes: teor médio aritmético (TM), teor médio ponderado pelo diâmetro da secção (TMPD) e teor médio ponderado pela biomassa da secção (TMPB); tendo este como tratamento padrão. Com exceção de Mn e Ca na madeira, todos os nutrientes apresentaram maior teor na porção superior do tronco (h0,9), podendo ser para P 2,7 vezes superior na madeira e 5 vezes superior na casca, em relação a base do tronco (h0,1). O elemento Ca na madeira apresentou comportamento inverso, ou seja, maior teor na base do tronco (h0,1); enquanto Mn não diferiu estatisticamente entre os pontos de coleta. Entre os estimadores da concentração de nutrientes testados, o TM apresentou os maiores valores, exceto para Ca na madeira, o que acarreta superestimação do estoque de nutrientes. Para as condições do estudo, considerando o TMPB como melhor estimador da concentração de nutrientes, o intervalo de confiança para altura relativa de coleta de amostras foi estimado em 35 – 53% para madeira e 38 – 46% para casca.


Palavras-chave


Ciclagem de nutriente; Nutrição Florestal; Amostragem de Biomassa

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRAE, F. Segundo inventário de biomassa e nutrientes de um povoamento de Eucalyptus saligna Smith no sul do Brasil. In: ANDRAE, F.; KRAPFENBAUER, A. Pesquisa austríaco-brasileira (1973-1982). Santa Maria, 1983. p. 86-112.

ANDRAE, F.; KRAPFENBAUER, A. Inventário de um reflorestamento de araucária de 17 anos em Passo Fundo – RS: inventário de nutrientes. In: ANDRAE, F.. Pesquisa austríaco-brasileira (1973-1982). Santa Maria: [s.n.], 1983a. p. 30-55.

ANDRAE, F.; KRAPFENBAUER, A. Estudos da situação da biomassa e nutrientes de um reflorestamento de quatro anos com Eucalyptus saligna Smith em Santa Maria – RS. In: ANDRAE, F.. Pesquisa austríaco-brasileira (1973-1982). Santa Maria: [s.n.], 1983b. p. 68-85.

ATTIWILL, P. M. Nutrient cycling in a Eucalyptus obliqua (L’Hérit.) forest: IV nutrient uptake and nutrient return. Australian Journal of Botany, East Melbourne, v. 28, p. 199-222, 1980.

BELLOTE, A. F. J.; SILVA, H. D. Sampling techniques and nutritional evaluations in eucalypt plantations. In: GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. (Ed.). Forest nutrition and fertilization. Piracicaba: IPEF, 2004. p. 113-139.

BURGER, L. M.; RICHTER, H. G. Anatomia da madeira. São Paulo: Nobel, 1991. 154 p.

FREITAS, R. A. Estudo da biomassa e do conteúdo de nutrientes em um povoamento de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden plantado em solo sujeito à arenização no município de Alegrete - RS. 2000. 60 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2000.

HOPPE, J. M. Biomassa e nutrientes em Platanus x acerifolia (Aiton) Willd. estabelecido no município de Dom Feliciano – RS. 2003. 143 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) –

Universidade de Santa Maria, Santa Maria, 2003.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (Brasil). Oitavo Distrito de Meteorologia. Seção de observação e meteorologia aplicada. Relatório n° 027/2008, protocolado sob n° 4294, 24/03/2008. Porto Alegre: INMET, 2008. 4 p.

LANDSBERG, J. J. Physiological ecology of forest production. London: Academic Press, 1986. 198 p.

MARSCHNER, H. Mineral nutrition of higher plants. San Diego: Academic Press, 1995. 889 p.

MIYAZAWA, M. et al. Análises químicas de tecido vegetal. In: SILVA, F. C. (Org.). Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia, 1999. p. 171-224.

MORO, L. et al. Modelos matemáticos para estimativa de exportação de nutrientes em povoamentos de Pinus taeda L. Floresta, Curitiba, v. 37, n. 2, p. 223-230, maio/ago. 2007.

PALLARDY, S. Physiology of woody plants. San Diego: Academic Press, 2008. 454 p.

PEREIRA, A. R. et al. Concentração e distribuição de nutrientes em Eucalyptus grandis em função da idade, cultivado na região do cerrado. Brasil Florestal, Brasília, n. 59, p. 27-37, 1984.

REIS, M. G. F.; BARROS, N. F. Ciclagem de nutrientes em plantios de eucalipto. In: BARROS, N. F.; NOVAIS, R. F. (Ed.). Relação solo eucalipto. Viçosa, MG: Ed. Folha de Viçosa, 1990. p. 265-302.

RUBILAR, R. A.; ALLEN, H. L.; KELTING, D. L. Comparison of biomass and nutrient content equations for successive rotations of loblolly pine plantations on an Upper Coastal Plain Site. Biomass and Bioenergy, Oxford, v. 28, n. 6, p. 548-564, jun. 2005.

SAIDELLES, F. L. F. Determinação da biomassa e altura de amostragem para a quantificação de nutrientes em Acacia mearnsii De Wild. 2005. 97 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2005.

STRECK, E. V. et al. Solos do Rio Grande do Sul. 2. ed. Porto Alegre: EMATER/RS; ASCAR, 2008. 222 p. WARING, R. H.; SCHLESINGER, W. H. Forest ecosystems: concepts and management. San Diego: Academic Press, 1985. 340 p.

WITSCHORECK, R. Biomassa e nutrientes no corte raso de um povoamento de Pinus taeda L. de 17 anos de idade no município de Cambará do Sul – RS. 2008. 80 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2008.

WITSCHORECK, R.; SCHUMACHER, M. V. Teor e alocação de nutrientes em plantio de Platanus x acerifolia (Aiton) Willd. em Dom Feliciano-RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 4, p. 667-678, out./dez. 2013.

ZEN, S.; POGGIANI, F.; COUTO, H. T. Z. Variação na concentração de nutrientes ao longo do caule de Eucalyptus saligna: implicações na utilização energética dos resíduos florestais. Piracicaba: IPEF, 1981. 7 p. (Circular Técnica, 136).




DOI: https://doi.org/10.5902/198050985212

Licença Creative Commons