Utilização da madeira de canafístula (<i>Peltophorum dubium</i> (Spreng.) Taub.) na confecção de chapas de madeira aglomeradas

Autores

  • Karina Soares Modes UFSM
  • Magnos Alan Vivian
  • Daniela Silva Lilge
  • Rafael Rodolfo de Melo
  • Elio José Santini
  • Clovis Roberto Haselein

DOI:

https://doi.org/10.5902/198050985087

Palavras-chave:

Peltophorum dubium, chapas aglomeradas, tanino-formaldeído, ureia-formaldeído

Resumo

http://dx.doi.org/10.5902/198050985087

A presente pesquisa objetivou avaliar preliminarmente o potencial de uso da madeira de canafístula (Peltophorum dubium (Spreng.) Taub.), para produção de chapas de partículas aglomeradas, coladas com adesivos à base de tanino e ureia-formaldeído, utilizados numa proporção de 9% com base no peso seco das partículas. Para cada tratamento, foram confeccionadas três chapas com densidade nominal de 0,63 g/cm³ de onde se extraíram corpos de prova para verificação das propriedades físicas de absorção d'água em peso e volume e inchamento em espessura por 2 e 24 horas de imersão em água, e as propriedades mecânicas de flexão estática (MOE e MOR), arrancamento de parafusos (RAP) e ligação interna (LI), segundo dimensões e procedimentos prescritos pela norma ASTM D-1037. Os resultados dos ensaios físico-mecânicos foram comparados com o padrão estabelecido pelas normas ANSI A208.1-1987 e DIN 68761 (1)-1961, (3)-1971. De uma maneira geral, o uso de adesivo à base de ureia resultou em chapas com tendência a maior absorção d'água, ao passo que os valores de inchamento em espessura para ambos os tratamentos, se mantiveram de acordo com a norma. Com exceção do MOR, os demais valores de resistência dos painéis confeccionados com adesivo à base de ureia-formaldeído ficaram abaixo do mínimo exigido pela norma. Para o adesivo à base de tanino, todas as propriedades foram superiores, com exceção da RAP. Esses resultados evidenciam que a madeira de canafístula, quando agregada com adesivo à base de tanino-formaldeído, pode ser uma fonte alternativa de matéria-prima para a produção de chapas aglomeradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-03-2012

Como Citar

Modes, K. S., Vivian, M. A., Lilge, D. S., Melo, R. R. de, Santini, E. J., & Haselein, C. R. (2012). Utilização da madeira de canafístula (<i>Peltophorum dubium</i> (Spreng.) Taub.) na confecção de chapas de madeira aglomeradas. Ciência Florestal, 22(1), 147–159. https://doi.org/10.5902/198050985087

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>