Estrutura e padrões de distribuição espacial de espécies arbóreas em uma amostra de Floresta Ombrófila Mista em Nova Prata, RS.

André R. Terra Nascimento, Solon Jonas Longhi, Doádi Antônio Brena

Resumo


Este estudo objetiva descrever a estrutura da vegetação e os padrões de distribuição espacial das espécies arbóreas e arvoretas de uma amostra de um hectare de Floresta Ombrófila Mista, localizada no município de Nova Prata, estado do Rio Grande do Sul. Utilizando o método de área fixa, foram instaladas vinte unidades amostrais de 10 x 50 m (500 m²), perfazendo uma amostra de 100 x 100 m (10000 m2) e mensurados todos os indivíduos com DAP ³ 9,6 cm (30 cm de circunferência), que compõem o dossel da floresta. A amostra de vegetação estudada apresentou uma diversidade mediana de espécies arbóreas e arvoretas (55 espécies com DAP ³ 9,6 cm) e uma elevada densidade de indivíduos por hectare (848 ind./hectare), similares aos encontrados em florestas secundárias, no domínio da Floresta Ombrófila Mista. A vegetação, na amostra, apresentou-se com maior proporção de espécies com distribuição agregada ou com tendência à agregação (46,7 %), revelando que as maiores populações arbóreas formam pequenas manchas ou agrupamentos na vegetação, com maiores valores obtidos para a Razão Variância/Média. Este estudo, mesmo se tratando de uma análise em pequena escala espacial (10000 m²), destaca a densidade e a distribuição das espécies arbóreas a arbustivas em um trecho de floresta que sofreu exploração comercial, fragmentos importantes das florestas atuais do estado do Rio Grande do Sul, Brasil.


Palavras-chave


distribuição espacial; Floresta Ombrófila Mista; fitossociologia.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, P.L.C. Estudo Fitossociológico de uma floresta tropical úmida no Planalto de Curuá-una, Amazônia Brasileira. 1986. 147p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

BELEM, M. Structure and dynamics of two gallery forests in the Biosphere Reserve of the Hipopotamous Pool; Burkina Faso, West Africa. In: INTERNATIONAL SIMPOSIUM ON ASSESMENT AND MONITORING OF FORESTS IN TROPICAL DRY REGIONS WITH SPECIAL REFERENCED TO GALLERY FORESTS, 1997, Brasília. Anais... Brasília: UnB, 1997. p.329-337.

BRENA, D. A. et al. Inventário florestal da Fazenda Tupi Nova Prata, RS. Santa Maria: CEPEF/FATEC/UFSM, 1990. 68 p.

CAIN, S. A.; CASTRO, G. M. O.; PIRES, J. N. et al. Application of some phytosociological techniques to Brazilian rain forests. Amer. J. Bot., New York, v.43, n.3, p.911-941, 1956.

CALDATO, S.L. Dinâmica populacional de Ocotea porosa (Lauraceae) na Floresta Ombrófila Mista em Caçador, SC. 1998, 89 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

CARVALHO, J.O. P. de. Abundância, freqüência e grau de agregação de Pau-rosa (Aniba duckei) na Floresta Nacional do Tapajós. Belém: Embrapa-CPATU, 1983. 24 p. (Boletim de Pesquisa, 53).

CARVALHO, J.O. P. de. Structure and dynamics of a logged over Brazilian Amazonian rain forest. 1992. 215 p. Thesis (D. Phil.) - University of Oxford, Oxford.

CONDES, S.; MARTINEZ-MILLAN, J. Comparacion entre los índices de distribuicion espacial de arboles mas usados en el ambito forestal. Invest. Agr.: Sist. Recur. For., v.7, n.1/2, p.173-187, 1998.

CRISTÓBAL, L.L.; GRANCE, L.A; MAIOCCO, D.M. et al. Estructura e composicion floristica del bosque nativo, en el predio guarani. Yvyraretá. Missiones-Argentina, p.30-36, 1996.

DAJÓZ, R. Ecologia geral. São Paulo: Vozes, 1972. 472 p.

DAUBENMIRE, R. Plant communities: a textebook of plant synecology. New York: Harper & Row, 1968. 300 p.

FINOL, H. Nuevos parametros a considerarse en el analisis estructural de las selvas virgenes tropicales. Ver. For. Venez., Mérida, v.14, n.21, p.29-42, 1971.

HOWE, H.F. Scater-and-clump-dispersal and seedling demography: hypothesis and implications. Oecologia, v. 79, p.417-426, 1989.

HOWE, H.F.; WESTLEY, L.C. Ecological relationships of plants and animals. New York: University Press, 1988.

HUSTON, .M.A. Biological Diversity: the coexistence of species on chanching landscapes. Cambridge: Cambrige University Press, 1994.

INOUE, M. T.; RODERJAN, C.V.; KUNIYOSHI, Y.S. Projeto madeira do Paraná. Curitiba: FUPEF/UFPR, 1984. 260 p.

JANKAUSKIS, J. Avaliação de técnicas de manejo florestal. Belém: SUDAM, 1990. 143 p.

JARDIM, F. C. S. Distribuição espacial de espécies arbóreas da Floresta Equatorial de Terra Firme. Acta Amazônica, Manaus, v.19, p.371-382, 1989.

JARDIM, F. C. S. A relação entre abundância e freqüência na Floresta Equatorial de Terra Firme. Acta Amazônica, Manaus, v.20, p.185-192, 1990.

JARENKOW, J. A. Composição florística e estrutura da Mata com Araucária na Estação Ecológica de Aracuri, Esmeralda, Rio grande do Sul. 1985. 82 p. Dissertação (Mestrado em Botânica) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

JARENKOW, J. A.; BATISTA, L.R.M. Composição florística e estrutura da Mata com Araucária na Estação Ecológica de Aracuri, Esmeralda, Rio Grande do Sul. Napaea, n 3, p.9-18, 1987.

KLEIN, R.M. Importância sociológica das mirtáceas nas florestas riograndenses. In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 34., 1984, Manaus. Anais... Manaus: Sociedade Botânica do Brasil, 1984. p.367-375.

LAMPRECHT, H. Ensayo sobre unos metodos para el analisis estructural de los bosques tropicales. Acta Cientifica Venezolana, Mérida, v.13, n.2, p.57-65, 1962.

LEITE, P.F.; KLEIN, R.M. Vegetação. In: IBGE.Geografia do Brasil: Região Sul. Rio de Janeiro, 1990. p.113-150.

LONGHI, S.J. A estrutura de uma floresta natural de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze., no sul do Brasil. 1980. 198 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

LONGHI, S.J. Agrupamento e análise fitossociológica em comunidades florestais na sub-bacia hidrográfica do Rio Passo Fundo- RS. 1997. 198 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

McGHINESS, W.C. The relationships between frequency index and abundace as applied to plant populations in a semi-arid region. Ecology, v.15, p.263-382, 1934.

MARCHIORI, J.N.C. Dendrologia das gimnospermas. Santa Maria: UFSM, 1996. 158 p.

MARTINS, F. R. Estrutura de uma floresta mesófila. Campinas: UNICAMP, 1991. 246 p.

MUELLER-DOMBOIS, D.; ELLENBERG, H. Aims and methods of vegetation ecology. New York: John Wiley & Sons, 1974. 547 p.

NASCIMENTO, A.R.T. Análise estrutural e padrões de distribuição espacial de uma amostra de floresta Ombrófila Mista. 2000. 90 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

NASI, R. Analysis of the spatial structure of a rattan population in a mixed dipterocarp forest of Sabah (Malaysia). Acta Oecologica, v.34, n.1, p.73-85, 1993.

NEWBERY, D. Mc. C.; RENSHAW, E.; BRÜNIG, E. F. Spatial pattern of trees in Kerangas forests, Sarawak. Vegetatio, v.65, p.77-89, 1986.

RAMBO, B. O elemento andino pinhal rio-grandense. Anais Botânicos do Herbário Barbosa Rodrigues, v.3, n.3, p.3-39, 1951. RAMBO, B. A fisionomia do Rio Grande do Sul: ensaio de monografia natural. 3. ed. São Paulo, 1956.

SCHIMIDT, H.; TORAL, M.; BURGOS, P. Aspectos de estructura y regeneracion natural para el manejo de los bosques de Araucaria-lenga en el Chile. In: PROBLEMAS FLORESTAIS DO GÊNERO ARAUCARIA / FOREST PROBLEMS OF THE GENUS ARAUCARIA, 1979, Curitiba. Anais... Curitiba: FUPEF, 1980. p.159-166.

SENNA, R.M.; WAECHTER, J.L. Pteridófitas de uma floresta com Araucária. 1- Formas biológicas e padrões de distribuição geográfica. Iheringia, Porto Alegre, n.48, p.41-58, 1997.

SILVA, J.N.M.; LOPES, J.C.A. Distribuição espacial de árvores na Floresta Nacional de Tapajós. Belém: EMBRAPA-CPATU, 1982. 14 p. Documentos, 26.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098499

Licença Creative Commons