Aspectos da composição florística e categorias sucessionais do estrato arbóreo de três subseres de uma Floresta Estacional Decidual, no município de Santa Tereza (RS).

Sandro Vaccaro, Solon Jonas Longhi, Doádi Antônio Brena

Resumo


No presente trabalho foi efetuada a análise da composição florística e das categorias sucessionais do estrato arbóreo de três subseres denominadas Capoeirão, Floresta Secundária e Floresta Madura, de uma Floresta Estacional Decidual, no município de Santa Tereza, região Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul. Utilizou-se o método de amostragem de área fixa, processo de amostragem estratificada e distribuição sistemática das unidades amostrais. O diâmetro mínimo considerado foi de 3,2 cm. Observou-se que, no transcurso da sucessão florestal, existe uma hierarquia de substituição e importância de famílias botânicas e de grupos de espécies de categorias sucessionais distintas, de maneira a predominarem espécies intolerantes à sombra nas etapas iniciais, e tolerantes à sombra nas mais evoluídas.


Palavras-chave


Categorias sucessionais; Floresta Estacional Decidual.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE-LIMA, D. de. Atlas geográfico do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 1966.

BUDOWSKI, G. Distribution of tropical American rain forest species in the light of sucessional processes. Turrialba, v. 15, n. 1, p. 40-42, 1965.

DIAS, C. A., ALVAREZ FILHO, A., MELLO, S. C. et al. Estudo florístico e fitossociológico do município de Santa Maria, RS. I etapa: Depressão Central - morros testemunha. In: SIMPÓSIO SOBRE ECOSSISTEMAS NATURAIS DO MERCOSUL - O AMBIENTE DA FLORESTA, 1., 1996, Santa Maria. Anais... Santa Maria: UFSM/CEPEF, 1996. p.97-118.

FLORA ILUSTRADA CATARINENSE. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues. Fascículos.

GANDOLFI, S. Estudo florístico e fitossociológico de uma floresta residual na área do Aeroporto Internacional de São Paulo, município de Guarulhos, SP. Campinas: UNICAMP, 1991. 232 p. Dissertação (Mestrado em Biologia Vegetal) - Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas, 1991.

GÓMEZ-POMPA, A. Posible papel de la vegetación secundaria en la evolución de la flora tropical. Biotropica, v. 3, p. 125-135, 1971.

GÓMEZ-POMPA, A., WIECHERS, B. L. Regeneración de los ecosistemas tropicales y subtropicales. In: GOMÉZ-POMPA, A. et al. (Eds.). Investigaciones sobre la regeneración de selvas altas en Veracruz, México. México: Continental, 1976. p. 11-30.

HORN, H. S. The ecology of secondary sucession. Ann. Rev. Ecol. Syst., v.5, p.25-37, 1974.

KAGEYAMA, P. Y., BRITO, M. A., BAPTISTON, I. C. Estudo do mecanismo de reprodução de espécies da mata natural. In: KAGEYAMA, P. Y. (Coord.). Estudo para implantação de matas ciliares de proteção na bacia hidrográfica do Passa Cinco, Piracicaba, SP. Piracicaba: DAEE/USP/FEALQ, 1986. 236 p.

KLEIN, R. M. Árvores nativas da floresta subtropical do Alto Uruguai. Sellowia, Itajaí, v. 24, n. 24, p. 9-62, dez. 1972.

KLEIN, R. M. Ecologia da flora e vegetação do Vale do Itajaí. Sellowia, Itajaí, v.31. 1979.

KLEIN, R. M. Ecologia da flora e vegetação do Vale do Itajaí. Sellowia, Itajaí, v.32. 1980.

KLEIN, R. M. Aspectos fitofisionômicos da floresta estacional na fralda da Serra Geral (RS). In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 34., 1983, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, 1983. 2 v., V. 1. p. 73-110.

KUNIYOSHI, Y. S. Reconhecimento de fases sucessionais de vegetação. In: SEMINÁRIO SOBRE AVALIAÇÃO E RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL, 1989, Curitiba. Anais... Curitiba: FUPEF, 1989. p. 97-107.

LEITE, P. F. As diferentes unidades fitoecológicas da região sul do Brasil; proposta de classificação. Curitiba: UFPR, 1994. 160 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, 1994.

LEITE, P. F., KLEIN, R. M. Vegetação. In: MESQUITA, O.V. (Coord.). Geografia do Brasil: Região Sul. Rio de Janeiro: IBGE, 1990. 5 v., V. 2. p.113-150.

LONGHI, S. J. A estrutura de uma floresta natural de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze., no sul do Brasil. Curitiba: UFPR, 1980. 198 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, 1980.

LONGHI, S. J. Agrupamento e análise fitossociológica de comunidades florestais na sub-bacia hidrográfica do rio Passo Fundo-RS. Curitiba: UFPR, 1997. 193 p. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, 1997.

MAGURRAN, A. E. Diversidad ecológica y su medición. Barcelona: Vedrà, 1989. 200 p.

MARTINS, F. R. Estrutura de uma floresta mesófila. Campinas: UNICAMP, 1991. 246 p.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 73p.

MUELLER-DOMBOIS, E., ELLENBERG, F. Aims and methods of vegetation ecology. New York: Wiley & Sons, 1974.

ODUM, E. P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988. 434 p.

PASTORE, U., RANGEL FILHO, A. L. R. Vegetação; as regiões fitoecológicas, sua natureza e seus rcursos econômicos. Estudo Fitogeográfico. In: IBGE. Folha SH-22 Porto Alegre e parte das folhas SH-21 Uruguaiana e SI-22 Lagoa Mirim. Rio de Janeiro, 1986. 796 p. p. 541-632. (Levantamento dos Recursos Naturais, 33).

RAMBO, B. Der Regenwald am oberen Uruguay. Sellowia, Itajaí, v. 7/8, n. 7, p. 183-233, 1956a.

RAMBO, B. A fisionomia do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Selbach, 1956b. 456 p. (Jesuítas no Sul do Brasil, 6)

REITZ, R., KLEIN, R. M., REIS, A. Projeto madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CORAG, 1988. 525 p.

RODERJAN, C. V., KUNIYOSHI, Y. S. Macrozoneamento florístico da Área de Proteção Ambiental Guaraqueçaba. Curitiba: FUPEF, 1988. (Série Técnica n 15)

RODRIGUES, R. R. A sucessão florestal. In: MORELLATO, P. C., LEITÃO FILHO, H. F. (Orgs.). Ecologia e preservação de uma floresta tropical urbana: Reserva de Santa Genebra. Campinas: UNICAMP, 1995. p. 30-36. 136 p.

SAIZ, F. Experiencias en el uso de criterios de similaritud en el estudio de comunidades. Archos Biol. Med. Exp., Valparaíso, v.13, p.387-402, 1980.

TABARELLI, M. Flora arbórea da floresta estacional baixo-montana no município de Santa Maria, RS, Brasil. In: CONGRESSO NACIONAL SOBRE ESSÊNCIAS NATIVAS, 2., 1992, São Paulo. Rev. Inst. Flor., São Paulo, v.4, pt.1, p.260-68, 1992. (Edição Especial)

VACCARO, S. Caracterização fitossociológica de três fases sucessionais de uma floresta estacional decidual, no município de Santa Tereza - RS. Santa Maria: UFSM, 1997. 92 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, 1997.

VELOSO, H.P. Atlas florestal do Brasil. Rio de Janeiro: Conselho Florestal Federal, 1966. 82 p.

VELOSO, H. P., RANGEL FILHO, A. L. R., LIMA, J. C. A. Classificação da vegetação brasileira, adaptada a um sistema universal. Rio de Janeiro: IBGE, 1991. 123 p.

WHITMORE, T. C. Canopy gaps and two major groups of forest trees. Ecology, v. 70, n. 3, p. 536-538, 1989.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098360

Licença Creative Commons