Caracterização morfométrica de frutos e sementes e efeito da temperatura na germinacão de Parkia pendula (Willd.) Benth. ex Walp.

Celene de Albuquerque Câmara, João Correia de Araújo Neto, Vilma Márquez Ferreira, Edna Ursulino Alves, Flávia de Barros Prado Moura

Resumo


Parkia pendula (Willd.) Benth. ex Walp., é uma espécie arbórea, característica dos estádios iniciais da sucessão, de ocorrência natural no Brasil. Pertence à família Fabaceae, com grande potencial na recuperação de áreas degradadas. O presente trabalho foi conduzido no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas, objetivando a caracterização morfométrica de frutos e sementes dessa espécie, bem como identificar a melhor temperatura para uso em testes de germinação. O fruto é do tipo legume, deiscente, polispérmico, contendo em média 16 sementes por unidade. Estas apresentam formato elipsoidal, embrião axial, com 10,1 mm de comprimento, 4,9 mm de largura por 3,1mm de espessura. As temperaturas de 25 e 30oC proporcionaram as maiores porcentagem e velocidade de germinação, enquanto que a temperatura de 15oC e acima de 35ºC influenciaram negativamente a germinabilidade das sementes.


Palavras-chave


visgueiro; biometria; morfologia; semente florestal.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, D. C. A. et al. Caracterização morfológica de frutos e sementes de cataia (Drimys brasiliensis Miers. – Winteraceae). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 27, n. 2, p. 67-74, 2005.

AGUIAR, I. B.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M; FIGLIOLIA, M. B. Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, 1993. 350 p.

AMARAL, L. I. V.; PEREIRA, M. F. A.; CORTELAZZO, A. L. Quebra de dormência em sementes de Bixa orellana. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal, Lavras, v. 7, n. 2, p. 151-157, 1995.

AMARO, M. S. et al. Morfologia de frutos, sementes e de plântulas de janaguba (Himatanthus drasticus (Mart.) Plumel. - Apocynaceae). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 28, n. 1, p. 63-71, 2006.

AMORIM, I. L.; DAVIDE, A. C.; CHAVES, M. M. Morfologia do fruto e da semente, e germinação da semente de Trema micrantha (L.) Blum. Revista Cerne, Lavras, v. 3, n. 1, p. 129-142, 1997.

ARAÚJO, E. C. et al. Caracterização morfológica de frutos, sementes e plântulas de Sesbania virgata (Cav.) Pers. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 26, n. 1, p. 105-110, 2004.

ARAÚJO NETO, J. C.; AGUIAR, I. B. Desarrollo ontogênico de plátulas de Guazuma ulmifolia (Sterculiaceae). Revista de Biologia Tropical, São José, v. 27, n. 4, p. 785-790, 1999.

ARAÚJO NETO, J. C. et al. Caracterização morfológica de frutos e sementes e desenvolvimento pós-seminal de monjoleiro (Acacia polyphylla DC.). Revista Brasileira de Sementes, Brasilia, v. 24, n. 1, p. 203-211, 2002a.

ARAÚJO NETO, J. C. et al. Temperaturas cardeais e efeito da luz na germinação de sementes de mutamba. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 6, n. 3, p. 460-465, 2002b.

BARBOSA, A. P.; VASTANO, B.; VARELA, V. P. Tratamentos pré-germinativos de sementes de espécies florestais amazônicas. II – visgueiro (Parkia pendula Benth. Leguminosae – Mimosoideae). Acta Amazonica, Manaus, v. 14, n. 1-2, p. 280-288, 1984.

BARROSO, G. M. et al. Frutos e sementes: morfologia aplicada à sistemática de dicotiledôneas. Viçosa: UFV, 1999, 443 p.

BELTRATI, C. M. Morfologia e anatomia de sementes. Rio Claro: UNESP, 1994. 108 p. (Apostila do curso de pós-graduação).

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Physiology and biochemistry of seeds in relation to germination. New York: Springer-Verlag, 1982. 375 p.

BORGHETTI, F. Temperaturas extremas e a germinação das sementes. In: NOGUEIRA, R. J. M. C. et al. (Eds.) Estresses ambientais: danos e benefícios em plantas. Recife: UFRPE, 2005. 499 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília: SNDA/DNPV/CLAV, 1992. 365 p.

CORBINEAU, F.; BELAID, D.; CÔME, D. Dormancy of Bromus rubens L. seeds in relation to temperature, light and oxygen effects. Weed Research, Oxford, v. 32, n. 4, p. 303-310, 1992.

CORNER, E. J. H. The seeds of dicotyledons. Cambridge: University Press, 1976. v.1. 311 p.

DAMIÃO FILHO, C. F. Morfologia e anatomia de sementes. Jaboticabal: FCAV/UNESP, 1993. 145 p. (Apostila.).

DURAM, J. M.; TORTOSA, M. E. The effect of mechanical and chemical scarification on germination of charlock (Sinapsis arvensis L.) seeds. Seed Science and Technology, Zürich, v. 13, n. 1, p. 155-163, 1985.

FERRAZ, I. D. K. et al. Características básicas para um agrupamento ecológico preliminar de espécies madeireiras da floresta de terra firme da Amazônia Central. Acta Amazonica, Manaus, v. 34, n. 4, p. 621-633, 2004.

FLORIANO, E. P. Germinação e dormência de sementes florestais. Santa Rosa, 2004. 19 p. (Caderno didático; n.2).

FOWLER, A. J. P.; BIANCHETTI, A. Dormência em sementes florestais. Colombo: Embrapa Florestas, 2000. 27 p. (Embrapa Florestas, documentos, 40).

GARCIA, D. C. et al. Secagem de sementes. Ciência Rural, Santa Maria, v. 34, n. 2, p. 603-608, 2004.

KAGEYAMA, P. Y.; CASTRO, C. E. F.; MÁRQUEZ, F. C. M. Efeito da temperatura na germinação de sementes de pau-rei (Sterculia striata). Silvicultura, São Paulo, v. 2, n. 14, p. 339-342, 1978.

LABOURIAU, L. G. A germinação da semente. Washington: Secretaria Geral da O. E. A., 1983. 173 p.

LABOURIAU, L. G.; VALADARES, M. B. On the physiology of seed of Calotropis procera. Anais da Academia Brasileira de Ciência, Rio de Janeiro, v. 42, n. 2, p. 235-264, 1976.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Paulo: Rima, 2000-2004. 535 p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras : manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. São Paulo: Plantarum, 1992. 352 p. v. 1.

MALAVASI, M. M. Germinação de sementes. In: PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. Manual de análise de sementes florestais. Campinas: Fundação Cargill, 1988. p.25-40. Cap.3.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba. FEALQ, 2005. 495 p.

MEDEIROS, A. C. S. Armazenamento de sementes de espécies florestais nativas. Colombo: Embrapa Florestas, 2001. 24 p.

MOREIRA, F. M. S.; MOREIRA, F. W. Características da germinação de sementes de 64 espécies de leguminosas florestais nativas da Amazônia em condições de viveiro. Acta Amazonica, Manaus, v. 26, n. 1/2, p. 3-16, 1996.

NASCIMENTO, W. M. O. et al. Determinação da temperatura e substrato para germinação de Parkia platycephala Benth. (Leguminosae-Mimosoideae). Revista Agricultura Tropical, Cuiabá, v. 7, n. 1, p. 119-129, 2003.

OLIVEIRA, A. K. M.; SCHLEDER, E. D.; FAVERO, S. Caracterização morfológica, viabilidade e vigor de sementes de Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. e Hook. F. ex. S. Moore. Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n. 1, p. 25-32, 2006.

PEREZ, S. C. J. C. A. Envoltórios. In: FERREIRA, A.G.; BORGHETTI, F. (Orgs.) Germinação : do básico ao aplicado. Porto Alegre: ARTMED, 2004. 323 p.

PIÑA-RODRIGUES, F. C. M.; FIGLIOLIA, M. B.; PEIXOTO, M. C. Testes de qualidade. In: FERREIRA, A. G.; BORGHETTI, F. (Orgs.) Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: ARTMED, 2004. 323 p.

PINHEIRO, F.; BORGHETTI, F. Light and temperature requirements for germination of seeds of Aechmea nudicaulis (L.) Griesebach and Streptocalyx floribundus (Martius ex Schultes F.) Mez (Bromeliaceae). Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 27-35, 2003.

ROLSTON, M. P. Water impermeable seed dormancy. The Botanical Review. New York, v. 44, n. 3, p. 365-396, 1978.

SIQUEIRA, E. R.; RIBEIRO, F. E. (Eds.) Mata Atlântica de Sergipe. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, 2001. 132 p.

SOUZA FILHO, A. P. S.; FONSECA, M. L.; ARRUDA, M. S. P. Substâncias químicas com atividades alelopáticas presentes nas folhas de Parkia pendula (Leguminosae). Planta Daninha, Viçosa, v. 23, n. 4, p. 565-573, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098439