O processo AD(EO)D – um novo conceito.

Cristiane Pedrazzi, Marcelo Coelho dos Santos Muguet, Jorge Luiz Colodette, José Lívio Gomide

Resumo


Nesse estudo, investigaram-se cozimentos da madeira até números kappa 17 e 14 por um processo cineticamente modificado, eliminação da deslignificação com oxigênio da linha de fibras, e aplicação das técnicas AD(EO)D e AD(PO)D para polpa de kappa 17 e AD(EO)D e DHT(EPO)DP para polpa de kappa 14 para o branqueamento até 90% ISO. Como referências, foram realizados cozimentos até números kappa 17 e 14, deslignificação com oxigênio em simples estágio e branqueamento convencional pelas seqüências A/D(EO)D, A/D(EPO)D, A/D(EO)DP e A/D(EPO)DP para a polpa de kappa 17 e deslignificação com oxigênio em simples estágio e branqueamento convencional pela seqüência DHT(EPO)DP para polpa de kappa 14.  Para a polpa de kappa 17, concluiu-se que os processos AD(EO)D e AD(PO)D produzem polpa de alvura 90% ISO com boa viscosidade e estabilidade de alvura, utilizando TAC´s (Cloro Ativo Total) relativamente baixos, e dispensam completamente a deslignificação com oxigênio. Dentre esses dois processos, o primeiro se mostrou mais atrativo para atingir o nível de alvura de 90% ISO. Porém, comparativamente aos processos de referência, contendo a deslignificação com oxigênio, ex. O-A/D(EPO)DP, o processo AD(EO)D resulta em aumento do custo operacional da ordem de US$7-8/tas, inclusos madeira e reagentes. Para a polpa de número kappa 14, o processo AD(EO)D também se mostrou atrativo, sendo que a seqüência DHT(EPO)DP foi a que utilizou o menor TAC`s, porém quando comparada com a referência (O-DHT(EPO)DP) resultou num aumento de custo operacional da ordem de US$4/tas.  Portanto, pode se concluir que o processo alternativo, sem a deslignificação com oxigênio, é viável somente para polpas de números kappa mais baixos.


Palavras-chave


cozimento modificado; branqueamento; oxigênio e ácidos hexenurônicos.

Texto completo:

PDF

Referências


BUCHERT, J. et al. Significance of xylan and glucomannan in the brightness reversion of kraft pulps. Tappi Journal, v. 80, n. 6, p.165-171,1997.

COLODETTE, J. L. et al. Effect of pulp delignification degree on fibre line performance and bleaching effluent load. Bioresources, Raleigh, v. 2, n. 2, p. 223-234, 2007.

FROSSARD, V. A. Fechamento de circuito dos efluentes na planta de branqueamento. 2003. 64 p. Especialização (Monografia Latu Sensu em Tecnologia de Celulose e Papel) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

JIANG, Z.; VAN LIEROP, B. V.; BERRY, R. Hexenuronic acid groups in pulping and bleaching chemistry. Tappi Journal, v. 83, p. 167-175, 2000.

LACHENAL, D.; CHIRAT, C. High temperature chlorine dioxide delignification. A breakthrough in ECF bleaching of hardwood kraft pulps. In: FORUM ASSOCIETE MEMBERS, 3., Grenoble, 1998. Anais…Grenoble: CTP, 1998.

MOKFIENSKI, A. et al. Importância da densidade e do teor de carboidratos totais da madeira de eucalipto no desempenho da linha de fibra. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE CELULOSE KRAFT DE EUCALIPTO, 2003, Viçosa. Anais... Viçosa, 2003. p. 15-28.

SALVADOR, E. et al. Efeito da deslignificação com oxigênio nas propriedades físico-mecânicas de polpa kraft. O Papel, n. 2, p.75-96, 2001.

SCAN – Scandinavian Pulp, Paper and Board. Testing committee. Stockholm: SCAN cm40:94, 1989.

SINGH, R. P. Oxygen bleaching. In: ______. The bleaching of pulp. 3rd ed. Atlanta: Tappi Press, 1979, p. 159-209.

SUNDBERG, A. K. et al. Determination of hemicelluloses and pectins in wood and pulp fibers by acid methanolysis and gas chromatography. Nordic Pulp and Paper Research Journal, n. 11, p.216-220, 1996.

TAPPI – TECHINICAL ASSOCIATION OF PULP AND PAPER INDUSTRY. Tappi Standard Methods, Atlanta: TAPPI, 1993, 1996 e 2000.

VUORINEN, T. et al. Selective hydrolysis of hexenuronic acid groups and its application in ECF and TCF bleaching of kraft pulps. In: INTERNACIONAL PULP BLEACHING CONFERENCE, 1996, Washington. Proceedings …Washington, DC: Tappi, 1996, p. 43-51.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098412

Licença Creative Commons