Avaliação dos resíduos de uma serraria para a produção de celulose kraft

Lucas Cândido Barbosa, Cristiane Pedrazzi, Érika da Silva Ferreira, Guinter Neutzling Schneid, Vania Karine Dick Wille

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509814589

As indústrias de base florestal apresentam baixo rendimento e geram grande quantidade de resíduos, especialmente as indústrias de transformação primária como, por exemplo, as serrarias. No Brasil, estão sendo criadas iniciativas para aliar a utilização desses resíduos à produção de celulose. Dentro deste propósito, o presente trabalho teve como objetivos avaliar o rendimento de uma serraria de médio porte localizada no município de Rio Grande, RS, e promover análises físico-químicas dos resíduos gerados na etapa de desdobro. Foram utilizadas 20 toras de Pinus elliottii, divididas em duas classes diamétricas. Os resíduos, com exceção da serragem, coletados para análises, encontravam-se dispostos no pátio da empresa, na forma de cavacos. As seguintes propriedades físico-químicas dos cavacos foram analisadas: densidade básica, teor de extrativos solúvel em acetona, grupos acetilas, lignina solúvel e insolúvel em ácido (lignina Klason), grupos urônicos e carboidratos. Como principais resultados verificou-se um ligeiro aumento do rendimento em madeira serrada das madeiras de maiores diâmetros em relação às de menores diâmetros. Das análises físico-químicas foram obtidos os seguintes resultados: densidade básica de 0,402 g/cm³, teor de celulose de 37,42% e de 24,37% para hemiceluloses, lignina Klason de 26,75% e teor de extrativos de 3,80%. Concluiu-se, nesse estudo, que o baixo rendimento da serraria foi devido à falta de uma classificação diamétrica e diagramas de cortes apropriados para as toras, o que resulta em maior perda de madeira na forma de resíduos. Em relação às características química e física dos resíduos madeireiros, os resultados mostraram-se dentro dos padrões de qualidade da madeira utilizada para a produção de celulose kraft de fibra longa e, em algumas situações, apresentando vantagens em relação às madeiras mais jovens usualmente utilizadas pela indústria.


Palavras-chave


<i>Pinus elliottii</i>; resíduos de serraria; celulose <i>kraft</i>.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS DE CELULOSE E PAPEL-ABTCP. Normas. Rio de Janeiro, ABNT, 2003.

BASSA, A. Processo de polpação Kraft convencional e modificado com madeiras de E. grandis e Híbrido (E. grandis x E. urophylla). 2002. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002.

BASSA, A. G. M. C. Misturas de madeiras de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla, Eucalyptus globulus e Pinus taeda para produção de celulose Kraft através do processo Lo-Solids®. 2006.169 f. Dissertação (Mestrado). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queirós, Piracicaba, 2006.

BORGES, A. S. E. T.; GINIGLIO, G.; BRITO, J. O. Considerações energéticas e econômicas sobre resíduos de madeira processada em serraria. In: CONGRESSO FLORESTAL PANAMERICANO, 1.; CONGRESSO FLORESTALBRASILEIRO, 7., 1993, Curitiba. Anais... Curitiba, 1993. v. 3. p. 603-606.

CADEMARTORI, P. H. G. de. Qualidade da madeira serrada de Pinus elliottii Engelm procedente de florestas resinadas da região Sul do Rio Grande do Sul. 2010. 82 f. Trabalho de Conclusão de Curso – Faculdade de Engenharia Industrial Madeireira. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010.

CARDOSO, V. C. et al. Otimização das condições do cozimento Kraft de Eucalyptus globulus em função do teor de lignina na madeira. In: CONGRESSO E EXPOSIÇÃO ANUAL DE CELULOSE E PAPEL, ABTCP, 2002, São Paulo. Anais ... São Paulo: ABTCP, 2002. p. 1-19.

DEL MENEZZI, C. H. S. Utilização de um método combinado de desdobro e secagem para a produção de madeira serrada de Eucalyptus grandis Hill ex-Maiden e Eucalyptus cloeziana F. Muell. 1999. 85 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Madeiras) – Escola Superior de Agricultura ''Luiz de Queiroz'', Piracicaba, 1999.

ENGLYST, H. N.; CUMMINGS, J. H. Simplifiedmethod for the measurement of total non-starch polysaccharide by gas-liquid chromatography of constituent sugara as alditol-acetates. Analyst, v. 109, n. 7, p. 937-942. 1984.

FOELKEL, C. E. B. et al. Variabilidade no sentido radial de madeira de Pinus elliottii. IPEF, Piracicaba, v. 10, p.1-2, 1975.

FOELKEL, C. E. B. Celulose kraft de Pinus spp. O papel, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 49- 67, jan.1976.

GOLDSCHMID, O. Ultraviolet spectra. In: SARKANEN, K. V.; LUDWIG, C. H. (Eds). Lignins. New York: Wiley-Interscience, 1971. p. 241-266.

GOMIDE, J. L. Serraria. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa-Imprensa Universitária, 1974. 119 p.

GOMIDE, J. L.; DEMUNER, B.J. Determinação do teor de lignina em material lenhoso: Método Klason modificado. O Papel, v. 47, n. 8 p. 36-38, 1986.

GOMIDE, J. L.; FANTUZZI NETO, H. Aspectos fundamentais da polpação kraft de madeira de Eucalyptus. O Papel, v. 3 n. 61, p. 62-68, 2000.

GOMIDE, J. L. et al. Caracterização tecnológica, para produção de celulose, da nova geração de clones de Eucalyptus do Brasil. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 1, p. 129-137, 2005.

KOCK, P. Material balances and energy required for manufacture of ten wood commodities. Energy and the wood products industry. Forest Products Research Society. Georgia, 1976. 173 p.

LATORRACA, J. V. F. Processamento mecânico da madeira. Seropédica: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2004. 116 p.

LIMA, A. S. Aproveitamento de resíduos de serraria para a produção de celulose kraft branqueada. Trabalho de Conclusão de Curso. Engenharia Industrial Madeireira. UNESP. Campus Experimental de Itapeva. 2009. 41 p.

MURARA JUNIOR, M. I. Desdobro de toras de Pinus utilizando diagramas de corte para classes diamétricas. 2005. 67 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba,2005.

OLANDOSKI, D. P.; BRAND, M. A.; GORNIAK, E. Avaliação do rendimento, quantidade, qualidade e aproveitamento de resíduos no desdobro de Pinus spp. 5º EVINCI - Evento de Iniciação Científica da UFPR. Curitiba, 1997. p. 379.

PALERMO, G. P. M. et al. Análise da massa específica da madeira de Pinus elliotti Engelm. por meio de radiação gama de acordo com as direções estruturais (longitudinal e radial) e a idade de crescimento. Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 47–57, 2003.

PHILIPP, P; D’ALMEIDA, M. L. O. Celulose e Papel. Volume I. Tecnologia de Fabricação da Pasta Celulósica. 2. ed. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – Centro Técnico em celulose e papel, 1988.

POLZL, W. B. et al. Cadeia produtiva do processamento mecânico da madeira – segmento da madeira serrada no Estado do Paraná. Revista Floresta, v. 33, n. 2, p. 127-134, 2003.

RECH, C. Estudo sugere uso de serragem como insumo. Revista da Madeira, Curitiba, n. 66, 2002.

ROCHA, M. P. Desdobro primário da madeira. Curitiba: Fupef, 1999. 61 p. (Série Didática n° 02/99)

ROCHA, M. P. Eucalyptus grandis Hill ex Maiden e Eucalyptus dunnii Maiden como fontes de matéria prima para serrarias. 2000. 185 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2000.

SANTOS, J. A. Tecnologia de transformação do eucalipto para madeira maciça. In: III CONGRESSO FLORESTAL NACIONAL, 3., 1994, Figueira da Foz, Portugal, 1994. Anais... Figueira da Foz, 1994. p. 232- 243.

SIEVERS, C. et al. Quantitative solid state NMR analysis of residues from acid hydrolysis of loblolly pine Wood. Atlanta: Ind. Eng. Chem. Res., 2008.

SILVA JÚNIOR, F. G. Utilização múltipla da madeira de Pinus caribaea var. hondurensis para produção de celulose kraft. In: ANAIS DO WORKSHOP “QUALIDADE DA MADEIRA EM PINUS”, Piracicaba, 1992. Série Técnica do IPEF, Piracicaba, v. 9, n. 27, p. 56-62. 1993.

SJÖSTROM, E. Wood chemistry: fundamentals and applications. New York: Academic Press, 1993. 293 p.

SJÖSTRÖM, E. Wood Chemistry, 2nd ed., New York: Academic Press, New York, 1999.

SOLAR, R.; KACIK, F.; MELCER, I. Simple semimicro method for the determination of oacetyl group in wood and related materials. Nordic Pulp & Paper Research Journal. v. 4, p. 139-141, 1987.

SOUZA, M. R. Tecnologias para usos alternativos de resíduos florestais. Experiências do laboratório de produtos florestais – IBAMA, na área de utilização de resíduos florestais e agrícolas. In: WORKSHOP SULAMERICANO SOBRE OS USOS ALTERNATIVOS DE RESÍDUOS DE ORIGEM FLORESTAL E URBANA, 1997, Curitiba. Anais... Curitiba, 1997. p. 49-70.

TECHNICAL ASSOCIATION OF THE PULP AND PAPER INDUSTRY-TAPPI. Tappi test methods: 1992-1993. Atlanta: 1992.

VITAL, B. R. Planejamento e Operações de Serrarias. Viçosa: UFV, 2008. 211 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509814589

Licença Creative Commons