AVALIAÇÃO E EFICIÊNCIA DO CCB NA MADEIRA DE Prosopis juliflora (Sw.) DC. PELO MÉTODO DA SUBSTITUIÇÃO DE SEIVA

Sócrattes Martins Araújo de Azevêdo, Leandro Calegari, Elisabeth de Oliveira, Alexandre Santos Pimenta, Juarez Benigno Paes, Carlos Roberto de Lima

Resumo


Neste estudo, avaliaram-se a penetração e a retenção do preservativo borato de cobre cromatado (CCB) em peças roliças de algaroba (Prosopis juliflora (Sw.) DC.) quando submetidas ao método de substituição da seiva. Foram aleatoriamente selecionados 16 fustes, os quais foram divididos em quatro grupos. O primeiro grupo foi submetido à solução preservante duas horas após o abate (situação denominada “normal”); o segundo grupo foi submetido à solução preservante 24 horas após o abate (situação denominada “posterior”); o terceiro grupo foi mantido imerso em água durante 15 dias antes de ser submetido à solução preservante (situação denominada “imersa”); o quarto grupo não foi submetido à preservação. Após o término do processo de imunização, foram retirados discos em três distintas posições de cada tronco (base, meio, topo) para a avaliação dos parâmetros de penetração e retenção. Para análise da penetração, utilizaram-se reações colorimétricas, sendo avaliados os elementos boro e cobre. As análises de retenção para os elementos cromo, cobre e boro foram realizadas por espectrofotometria. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado em arranjo fatorial, com quatro repetições (peças roliças), considerando-se dois fatores: Situação e Posição. O fator Situação foi composto por três níveis (normal, posterior, imersa), assim como o fator Posição (base, meio, topo). O efeito dos fatores principais e suas interações, assim como a comparação de médias, foram analisados considerando-se 5% de probabilidade. Os resultados obtidos permitem concluir que peças mantidas imersas antes de serem submetidas ao tratamento preservativo apresentaram significativa melhoria de sua tratabilidade, mantendo uma distribuição uniforme dos elementos químicos ao longo do seu comprimento.


Palavras-chave


tratamento de moirões; umidade; substituição de seiva

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, C. E. C.; LATORRACA, J. V. F. Influência das características anatômicas da madeira na penetração e adesão de adesivos. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 7, n. 1, p. 158-166, 2000.

ALVARES, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, Stuttgart, v. 22, n. 6, p. 711, 728, 2013.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. MB 790: Penetração e retenção de preservativos em postes de madeira. Rio de Janeiro, 1973. 19 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6232: Penetração e retenção de preservativos em postes de madeira. Rio de Janeiro, 2013. 16 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9480: Peças roliças preservadas de eucalipto para construções rurais - Requisitos. Rio de Janeiro, 2009. 12 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16202: Postes de eucalipto preservado para redes de distribuição. Rio de Janeiro, 2013. 65 p.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da Caatinga. Brasília: MMA, 2010. 368 p.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea: diagnóstico do município de Patos, Estado da Paraíba. Recife: CPRM; PRODEEM, 2005. 10 p.

FARIAS SOBRINHO, D. W.; PAES, J. B.; FURTADO, D. A. Tratamento preservativo da madeira de algaroba (Prosopis juliflora (Sw) D.C.), pelo método de substituição de seiva. Cerne, Lavras, v. 11, n. 3, p. 225-236, 2005.

GALVÃO, A. P. M. Características da distribuição de alguns preservativos hidrossolúveis em moirões de Eucalyptus alba Reinw. tratados pelo processo de absorção por transpiração radial. 1968. 115 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 1968.

HERRERA, J. A. R. Preservación de maderas por métodos sencillos y de bajo costo. Ciencia Forestal, Coyacan, v. 2, n. 8, p. 25-49, 1977.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA (Brasil). BDMEP - Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Período de 18 de julho a 01 de agosto de 2013. [2013]. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2017.

MAGALHÃES, W. L. E.; PEREIRA, J. C. D. Método de substituição de seiva para preservação de mourões. Colombo: EMBRAPA, 2003. 5 p. (Comunicado Técnico EMBRAPA, n. 97). Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2017.

MODES, K. S. et al. Combinação de dois métodos não industriais no tratamento preservativo de moirões de Eucalyptus grandis. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 21, n. 3, p. 579-589, 2011.

PAES, J. B. et al. Eficiência do CCB na resistência da madeira de algaroba (Prosopis juliflora (SW) D.C.) a cupins subterrâneos (Nasutiternes corniger Motsch.) em ensaio de preferência alimentar. Ambiência, Guarapuava, v. 2, n. 1, p. 51-64, 2006.

PAES, J. B.; MORESCHI, J. C.; LELLES, J. G. Avaliação do tratamento preservativo de moirões de Eucalyptus viminalis Lab. e de bracatinga (Mimosa scabrella Benth.) pelo método de substituição da seiva. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 15, n. 1, p. 75-86, 2005.

PAES, J. B.; MORESCHI, J. C.; LELLES, J. G. Tratamento preservativo de moirões de bracatinga (Mimosa scabrella Benth.) e de Eucalyptus viminalis Lab. pelo método de imersão prolongada. Cerne, Lavras, v. 7, n. 2, p. 65- 80, 2001.

PAES, J. B. Viabilidade do tratamento preservativo de moirões de bracatinga (Mimosa scabrella Benth.), por meio de métodos simples, e comparações de sua tratabilidade com a do Eucalyptus viminalis Lab. 1991. 140 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1991.

SGAI, R. D. Fatores que afetam o tratamento para preservação de madeiras. 2000. 122 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2000.

TORRES, P. M. A. et al. Tratamento preservativo da madeira juvenil de Eucalyptus camaldulensis Dehnh. pelo método de substituição de seiva. Cerne, Lavras, v.17, n. 2, p. 275-282, 2011.

VITAL, B. R. Métodos de determinação da densidade da madeira. Viçosa, MG: SIF, 1984. 21 p. (Boletim técnico, 1).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509835319

Licença Creative Commons