MANEJO DE COLHEITA E ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DA ERVA-MATE (Ilex paraguariensis) EM FASE DE PRODUÇÃO

Delmar Santin, Eliziane Luiza Benedetti, Nairam Félix de Barros, Lucas Leandro Fontes, Igor Carvalho de Almeida, Júlio César Lima Neves, Ivar Wendling

Resumo


As sucessivas colheitas na base de folhas (FO) e galhos finos (GF), sem a necessária reposição nutricional, têm proporcionado quedas na produtividade brasileira de erva-mate nos últimos 20 anos. Neste sentido, o objetivo do trabalho foi avaliar a influência do intervalo de colheita e da adubação fosfatada na disponibilidade de fósforo (P) no solo, na produtividade e no estado nutricional da erva-mate. O experimento foi conduzido em São Mateus do Sul - PR, em Latossolo Vermelho-Escuro álico, onde se avaliaram doses de 0, 20, 40, 80, 160 e 320 kgha-1 de P2O5 para colheitas com intervalos de 12, 18 e 24 meses em erval com sete anos. A colheita consistiu na remoção de aproximadamente 95% da copa formada após a colheita anterior. A massa verde colhida foi determinada individualmente para os componentes FO, GF e galho grosso (GG), sendo FO + GF correspondente à erva-mate comercial (ECOM). Dos componentes da planta, também se avaliou a relação entre massa verde/seca (MV/MS) e teor de P na FO, GF e GG. No momento da colheita coletaram-se amostras de solo nas profundidades de 0-10, 10-20 e 20-40 cm, nas quais se avaliou a disponibilidade de P. A adubação fosfatada elevou a disponibilidade de P no solo nas primeiras camadas e a cultura respondeu positivamente ao nutriente com aumento da produtividade em todos os componentes avaliados. Altas produtividades de ECOM, independentemente do intervalo de colheita, dependem de disponibilidade de P no solo em nível alto na camada de 0-10 cm. Colheitas com intervalos de tempo maiores resultaram em maiores produtividades de ECOM, mas para maximizar a produtividade, necessita-se de doses mais elevadas de fertilizantes. Intervalos de 12 meses são insuficientes para que a planta se recupere do impacto da colheita, mesmo quando a planta está bem nutrida em fósforo. 


Palavras-chave


teor foliar; disponibilidade de fósforo; produtividade; eficiência de utilização do nutriente.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, F. M. Diagnóstico da cadeia produtiva da Ilex paraguariensis St. Hill, erva-mate. São Mateus do Sul: FUNBIO, 1999.

BARROS, N. F. et al. Classificação nutricional de sítios florestais - Descrição de uma metodologia. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 10, n. 2, p. 112-120, 1986.

BRAGA, J. M.; DE FILIPPO, B. V. Determinação espectrofotométrica de fósforo em extratos de solo e plantas. Ceres, Viçosa, MG, v. 21, n. 113, p. 73-85, 1974.

BRONDANI, G. E. et al. Distribuição de NPK em um povoamento de Ilex paraguariensis A. St.-Hil. Floresta, Curitiba, v. 38, n. 2, p. 267-275, 2008.

CARVALHO, P. H. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa Informação tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2003. 1039 p.

CHEPKWONY, C. K. et al. Mineralization of soil organic P induced by drying and rewetting as a source of plant-available P in limed and unlimed samples of an acid soil. Plant and Soil, Dordrecht, v. 234, n. 1, p. 83-90, 2001.

COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO. Manual de adubação e calagem para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 10. ed. Porto Alegre: SBCS/Núcleo Regional Sul, 2004. 400 p.

DA CROCE, D. M.; FLOSS, P. A. Cultura da erva-mate no Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, 1999. (Boletim Técnico, 100).

DEITOS, N. J. Considerações históricas da erva-mate no espaço meridional. In: ROCHA JUNIOR, W.; MILOCA, L. M. Sistema agroindustrial ervateiro: perspectivas debates. Cascavel: Coluna do Saber, 2007. p. 13-26.

EPSTEIN, E.; BLOOM, A. J. Nutrição mineral de plantas: princípios e perspectivas. 2. ed. Londrina: Planta, 2004. 403 p.

GAZETA GRUPO DE COMUNICAÇÕES. Anuário Brasileiro da Erva-mate 1999. Santa Cruz do Sul: Pallotti, 1999. 64 p.

GONÇALVES, J. L. M. et al. Cinética de adsorção de fósforo em solos de serrados. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, v. 9, n. 2, p. 107-111, 1985.

INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ. Cartas climáticas básicas do Estado do Paraná. Londrina. IAPAR, 1994. 49 p.

IBGE. Produção agrícola municipal. [2015]. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2015.

LOURENÇO, R. S. Adubação da erva-mate. In: CONGRESSO SUL-AMERICANO DA ERVA-MATE, 1.; REUNIÃO TÉCNICA DO CONESUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, 2., 1997, Curitiba. Anais... Curitiba: EMBRAPA; CNPF, 1997. p. 299-315.

MILANO, M.; DALCIN, E. Arborização de vias públicas. Rio de Janeiro: Light, 2000. 206 p.

NOVAIS, R. F.; MELLO, J. W. V. Relação solo-planta. In: NOVAIS, R. F. et al. Fertilidade solo. Viçosa, MG: SBCS, 2007. p. 276-374.

NOVAIS, R. F.; SMYTH, T. J. Fósforo em solos e planta em condições tropicais. Viçosa, MG: UFV, 1999. 399 p.

NOVAIS, R. F. et al. Fósforo. In: NOVAIS, R. F. et al. (Eds.). Fertilidade solo. Viçosa, MG: SBCS, 2007. p. 471-550.

PANDOLFO, M. C. et al. Resposta da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) à adubação mineral e orgânica em um Latossolo Vermelho alumino férrico. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 13, n. 2, p. 37-45, 2003.

PREZOTTI, L. C. Fertilização do cafeeiro. In: ZAMBOLIM, L. Tecnologias de produção de café com qualidade. Viçosa, MG: UFV, 2001. p. 607-615.

RAKOCEVIC, M.; MARTIM, S. F. Time series in analysis of yerba-mate biennial growth modified by environment. International Journal of Biometeorology, Wisconsin, v. 55, n. 2, p. 161-171, 2011.

RADOMSKI, M. I. et al. Avaliação dos teores de macro e micronutrientes em folhas jovens e velhas de erva-mate nativa. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v. 4, nesp, p. 453-456, 1992.

REISSMANN, C. B. et al. Avaliação da exportação de macronutrientes pela exportação da erva-mate. In: SEMINÁRIO SOBRE ATUALIDADES E PERSPECTIVAS FLORESTAIS, 1985, Curitiba. Anais... Curitiba: EMBRAPA; CNPF, 1985. p. 128-139.

REISSMANN, C. B. et al. Bio-elementos em folhas e hastes de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) sobre Cambissolo na região de Mandirituba – PR. Floresta, Curitiba, v. 14, n. 2, p. 49-54, 1983.

REISSMANN, C. B. et al. Chemical composition of Ilex paraguariensis St. Hil. Under different management conditions in seven localities of Paraná State. Brazilian Archives of Biology and Technology, Curitiba, v. 42, n. 2, p. 187-194, 1999.

RHEINHEIMER, D. S.; ANGHINONI, I. Accumulation of soil organic phosphorus by soil tillage and cropping systems in subtropical soils. Communications in Soil Science and Plant Analysis, Philadelphia, v. 34, n. 15/16, p. 2339-2354, 2003.

RHEINHEIMER, D. S. et al. Depleção do fósforo inorgânico de diferentes frações provocada pela extração sucessiva com resina em diferentes solos e manejos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 24, n. 2, p. 345-354, 2000.

RHEINHEIMER, D. S. et al. Fatores que afetam a disponibilidade do fósforo e o manejo da adubação fosfatada em solos sob sistema plantio direto. Ciência Rural, Santa Maria, v. 38, n. 2, p. 576-586, 2008.

ROSA, G. N. G. P. Sistema de recomendação de corretivos e fertilizantes para o cultivo do coqueiro. 2002. 76 f. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2002.

SANTIN, D. et al. Crescimento e nutrição de erva-mate influenciados pela adubação nitrogenada, fosfatada e potássica. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 2, p. 363-375, 2013.

SANTIN, D. et al. Nitrogênio, fósforo e potássio no crescimento de mudas de erva-mate. Scientia Agraria, Curitiba, v. 9, n. 1, p. 59-66, 2008.

SANTIN, D. Produtividade, teor de minerais, cafeína e teobromina em erva-mate adensada e adubada quimicamente. 2008. 114 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Solo) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

SANTIN, D. et al. Produtividade de erva-mate com mudas produzidas por miniestacas juvenis e por sementes. In: CONGRESO SUDAMERICANO DE LA YERBA MATE, 5., 2011, Posadas. Actas... Posadas: INYM; INTA; INaM, 2011. p. 85-90.

SANTOS, J. Z. L. et al. Frações de fósforo em solo adubado com fosfatos em diferentes modos de aplicação e cultivado com milho. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 32, n. 2, p. 705-714, 2008.

SATTERTHWAITE, F. E. An approximate distribution of estimates of variance components. Biometrics Bulletin, London, v. 2, p. 110-114, 1946.

SCWERTMANN, U.; TAYLOR, R. M. Iron oxides. In: BIGHAM, J. M. et al. (Eds.). Minerals in soil environmental. Madison: SSSA, 1989. p. 379-478.

SOUZA, R. F. et al. Calagem e adubação orgânica: influência na adsorção de fósforo em solos. Revista Brasileira de Ciências do Solo, Viçosa, MG, v. 30, n. 6, p. 975-983, 2006.

TEIXEIRA, L. A. J. et al. Parcelamento da adubação NPK em abacaxizeiro. Revista Brasileira Fruticultura, Jaboticabal, v. 24, n. 1, p. 219-224, 2002.

TIECHER, T. et al. Forms of inorganic phosphorus in soil under different long term soil tillage systems and winter crops. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 36, n. 1, p. 271-281, 2012.

VAN KEULEN, H. Graphical analysis of annual crop response to fertilizer application. Agricultural Systems, Essex, v. 9, n. 2, p. 113-126, 1982.

VILAR, C. C. et al. Capacidade máxima de adsorção de fósforo relacionada a formas de ferro e alumínio em solos subtropicais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 34, n. 4, p. 1059-1068, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509828629

Licença Creative Commons