MANEJO DE COLHEITA E ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DA ERVA-MATE (<i>Ilex paraguariensis</i>) EM FASE DE PRODUÇÃO

Autores

  • Delmar Santin
  • Eliziane Luiza Benedetti
  • Nairam Félix de Barros
  • Lucas Leandro Fontes
  • Igor Carvalho de Almeida
  • Júlio César Lima Neves
  • Ivar Wendling

DOI:

https://doi.org/10.5902/1980509828629

Palavras-chave:

teor foliar, disponibilidade de fósforo, produtividade, eficiência de utilização do nutriente.

Resumo

As sucessivas colheitas na base de folhas (FO) e galhos finos (GF), sem a necessária reposição nutricional, têm proporcionado quedas na produtividade brasileira de erva-mate nos últimos 20 anos. Neste sentido, o objetivo do trabalho foi avaliar a influência do intervalo de colheita e da adubação fosfatada na disponibilidade de fósforo (P) no solo, na produtividade e no estado nutricional da erva-mate. O experimento foi conduzido em São Mateus do Sul - PR, em Latossolo Vermelho-Escuro álico, onde se avaliaram doses de 0, 20, 40, 80, 160 e 320 kgha-1 de P2O5 para colheitas com intervalos de 12, 18 e 24 meses em erval com sete anos. A colheita consistiu na remoção de aproximadamente 95% da copa formada após a colheita anterior. A massa verde colhida foi determinada individualmente para os componentes FO, GF e galho grosso (GG), sendo FO + GF correspondente à erva-mate comercial (ECOM). Dos componentes da planta, também se avaliou a relação entre massa verde/seca (MV/MS) e teor de P na FO, GF e GG. No momento da colheita coletaram-se amostras de solo nas profundidades de 0-10, 10-20 e 20-40 cm, nas quais se avaliou a disponibilidade de P. A adubação fosfatada elevou a disponibilidade de P no solo nas primeiras camadas e a cultura respondeu positivamente ao nutriente com aumento da produtividade em todos os componentes avaliados. Altas produtividades de ECOM, independentemente do intervalo de colheita, dependem de disponibilidade de P no solo em nível alto na camada de 0-10 cm. Colheitas com intervalos de tempo maiores resultaram em maiores produtividades de ECOM, mas para maximizar a produtividade, necessita-se de doses mais elevadas de fertilizantes. Intervalos de 12 meses são insuficientes para que a planta se recupere do impacto da colheita, mesmo quando a planta está bem nutrida em fósforo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, F. M. Diagnóstico da cadeia produtiva da Ilex paraguariensis St. Hill, erva-mate. São Mateus do Sul: FUNBIO, 1999.

BARROS, N. F. et al. Classificação nutricional de sítios florestais - Descrição de uma metodologia. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 10, n. 2, p. 112-120, 1986.

BRAGA, J. M.; DE FILIPPO, B. V. Determinação espectrofotométrica de fósforo em extratos de solo e plantas. Ceres, Viçosa, MG, v. 21, n. 113, p. 73-85, 1974.

BRONDANI, G. E. et al. Distribuição de NPK em um povoamento de Ilex paraguariensis A. St.-Hil. Floresta, Curitiba, v. 38, n. 2, p. 267-275, 2008.

CARVALHO, P. H. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa Informação tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2003. 1039 p.

CHEPKWONY, C. K. et al. Mineralization of soil organic P induced by drying and rewetting as a source of plant-available P in limed and unlimed samples of an acid soil. Plant and Soil, Dordrecht, v. 234, n. 1, p. 83-90, 2001.

COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO. Manual de adubação e calagem para os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 10. ed. Porto Alegre: SBCS/Núcleo Regional Sul, 2004. 400 p.

DA CROCE, D. M.; FLOSS, P. A. Cultura da erva-mate no Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, 1999. (Boletim Técnico, 100).

DEITOS, N. J. Considerações históricas da erva-mate no espaço meridional. In: ROCHA JUNIOR, W.; MILOCA, L. M. Sistema agroindustrial ervateiro: perspectivas debates. Cascavel: Coluna do Saber, 2007. p. 13-26.

EPSTEIN, E.; BLOOM, A. J. Nutrição mineral de plantas: princípios e perspectivas. 2. ed. Londrina: Planta, 2004. 403 p.

GAZETA GRUPO DE COMUNICAÇÕES. Anuário Brasileiro da Erva-mate 1999. Santa Cruz do Sul: Pallotti, 1999. 64 p.

GONÇALVES, J. L. M. et al. Cinética de adsorção de fósforo em solos de serrados. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Campinas, v. 9, n. 2, p. 107-111, 1985.

INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ. Cartas climáticas básicas do Estado do Paraná. Londrina. IAPAR, 1994. 49 p.

IBGE. Produção agrícola municipal. [2015]. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp?c=106&z=p&o=28>. Acesso em: 10 abr. 2015.

LOURENÇO, R. S. Adubação da erva-mate. In: CONGRESSO SUL-AMERICANO DA ERVA-MATE, 1.; REUNIÃO TÉCNICA DO CONESUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, 2., 1997, Curitiba. Anais... Curitiba: EMBRAPA; CNPF, 1997. p. 299-315.

MILANO, M.; DALCIN, E. Arborização de vias públicas. Rio de Janeiro: Light, 2000. 206 p.

NOVAIS, R. F.; MELLO, J. W. V. Relação solo-planta. In: NOVAIS, R. F. et al. Fertilidade solo. Viçosa, MG: SBCS, 2007. p. 276-374.

NOVAIS, R. F.; SMYTH, T. J. Fósforo em solos e planta em condições tropicais. Viçosa, MG: UFV, 1999. 399 p.

NOVAIS, R. F. et al. Fósforo. In: NOVAIS, R. F. et al. (Eds.). Fertilidade solo. Viçosa, MG: SBCS, 2007. p. 471-550.

PANDOLFO, M. C. et al. Resposta da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) à adubação mineral e orgânica em um Latossolo Vermelho alumino férrico. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 13, n. 2, p. 37-45, 2003.

PREZOTTI, L. C. Fertilização do cafeeiro. In: ZAMBOLIM, L. Tecnologias de produção de café com qualidade. Viçosa, MG: UFV, 2001. p. 607-615.

RAKOCEVIC, M.; MARTIM, S. F. Time series in analysis of yerba-mate biennial growth modified by environment. International Journal of Biometeorology, Wisconsin, v. 55, n. 2, p. 161-171, 2011.

RADOMSKI, M. I. et al. Avaliação dos teores de macro e micronutrientes em folhas jovens e velhas de erva-mate nativa. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v. 4, nesp, p. 453-456, 1992.

REISSMANN, C. B. et al. Avaliação da exportação de macronutrientes pela exportação da erva-mate. In: SEMINÁRIO SOBRE ATUALIDADES E PERSPECTIVAS FLORESTAIS, 1985, Curitiba. Anais... Curitiba: EMBRAPA; CNPF, 1985. p. 128-139.

REISSMANN, C. B. et al. Bio-elementos em folhas e hastes de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) sobre Cambissolo na região de Mandirituba – PR. Floresta, Curitiba, v. 14, n. 2, p. 49-54, 1983.

REISSMANN, C. B. et al. Chemical composition of Ilex paraguariensis St. Hil. Under different management conditions in seven localities of Paraná State. Brazilian Archives of Biology and Technology, Curitiba, v. 42, n. 2, p. 187-194, 1999.

RHEINHEIMER, D. S.; ANGHINONI, I. Accumulation of soil organic phosphorus by soil tillage and cropping systems in subtropical soils. Communications in Soil Science and Plant Analysis, Philadelphia, v. 34, n. 15/16, p. 2339-2354, 2003.

RHEINHEIMER, D. S. et al. Depleção do fósforo inorgânico de diferentes frações provocada pela extração sucessiva com resina em diferentes solos e manejos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 24, n. 2, p. 345-354, 2000.

RHEINHEIMER, D. S. et al. Fatores que afetam a disponibilidade do fósforo e o manejo da adubação fosfatada em solos sob sistema plantio direto. Ciência Rural, Santa Maria, v. 38, n. 2, p. 576-586, 2008.

ROSA, G. N. G. P. Sistema de recomendação de corretivos e fertilizantes para o cultivo do coqueiro. 2002. 76 f. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2002.

SANTIN, D. et al. Crescimento e nutrição de erva-mate influenciados pela adubação nitrogenada, fosfatada e potássica. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 2, p. 363-375, 2013.

SANTIN, D. et al. Nitrogênio, fósforo e potássio no crescimento de mudas de erva-mate. Scientia Agraria, Curitiba, v. 9, n. 1, p. 59-66, 2008.

SANTIN, D. Produtividade, teor de minerais, cafeína e teobromina em erva-mate adensada e adubada quimicamente. 2008. 114 f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Solo) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

SANTIN, D. et al. Produtividade de erva-mate com mudas produzidas por miniestacas juvenis e por sementes. In: CONGRESO SUDAMERICANO DE LA YERBA MATE, 5., 2011, Posadas. Actas... Posadas: INYM; INTA; INaM, 2011. p. 85-90.

SANTOS, J. Z. L. et al. Frações de fósforo em solo adubado com fosfatos em diferentes modos de aplicação e cultivado com milho. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 32, n. 2, p. 705-714, 2008.

SATTERTHWAITE, F. E. An approximate distribution of estimates of variance components. Biometrics Bulletin, London, v. 2, p. 110-114, 1946.

SCWERTMANN, U.; TAYLOR, R. M. Iron oxides. In: BIGHAM, J. M. et al. (Eds.). Minerals in soil environmental. Madison: SSSA, 1989. p. 379-478.

SOUZA, R. F. et al. Calagem e adubação orgânica: influência na adsorção de fósforo em solos. Revista Brasileira de Ciências do Solo, Viçosa, MG, v. 30, n. 6, p. 975-983, 2006.

TEIXEIRA, L. A. J. et al. Parcelamento da adubação NPK em abacaxizeiro. Revista Brasileira Fruticultura, Jaboticabal, v. 24, n. 1, p. 219-224, 2002.

TIECHER, T. et al. Forms of inorganic phosphorus in soil under different long term soil tillage systems and winter crops. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 36, n. 1, p. 271-281, 2012.

VAN KEULEN, H. Graphical analysis of annual crop response to fertilizer application. Agricultural Systems, Essex, v. 9, n. 2, p. 113-126, 1982.

VILAR, C. C. et al. Capacidade máxima de adsorção de fósforo relacionada a formas de ferro e alumínio em solos subtropicais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, MG, v. 34, n. 4, p. 1059-1068, 2010.

Downloads

Publicado

31-08-2017

Como Citar

Santin, D., Benedetti, E. L., Barros, N. F. de, Fontes, L. L., Almeida, I. C. de, Neves, J. C. L., & Wendling, I. (2017). MANEJO DE COLHEITA E ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DA ERVA-MATE (<i>Ilex paraguariensis</i>) EM FASE DE PRODUÇÃO. Ciência Florestal, 27(3), 783–797. https://doi.org/10.5902/1980509828629

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>