CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA DE PLÂNTULAS DURANTE A GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Psidium cattleianum E Acca sellowiana (MYRTACEAE)

Juliano Pereira Gomes, Luciana Magda de Oliveira, Caroline Sartorato Silva França, Helen Michels Dacoregio, Roseli Lopes da Costa Bortoluzzi

Resumo



http://dx.doi.org/10.5902/19805098

Objetivou-se neste trabalho descrever as características morfológicas de plântulas durante a germinação de Psidium cattleianum Sabine e Acca sellowiana (O. Berg) Burret. Para a descrição da germinação e das características morfológicas das plântulas, 100 sementes foram colocadas para germinar em substrato papel tipo germitest à temperatura de 25ºC. Foram analisados: tipo, forma e coloração da raiz; pilosidade, forma e coloração do hipocótilo e do epicótilo; consistência, textura, forma, nervação, coloração, tipo de bordo, ápice e base dos cotilédones e protófilos. A germinação de ambas é epígea fanerocotiledonar, formando plântula com sistema radicial axial, raiz principal pivotante longa, com paracotilédones e eofilos simples e opostos. Foram registradas glândulas e células secretoras em todos os órgãos, exceto na raiz, para as duas espécies. A semente de Psidium cattleianum inicia germinação aproximadamente 10 dias após a semeadura quando ocorre a abertura do opérculo e a protrusão radicular. Acca  sellowiana, após 28 dias,  apresenta hipocótilo longo, cilíndrico, ereto, de coloração marrom-avermelhada, glabro.  Na ocorrência de total exposição dos paracotilédones, estes já apresentam coloração verde intensa, demonstrando o potencial fotossintetizante pela plântula em crescimento. A descrição do processo germinativo juntamente com a morfologia de plântulas constitui importante elemento de reconhecimento de espécies.

 


Palavras-chave


Eofilos; paracotilédones; morfologia vegetal.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, S.S.; MATOS, V.P. Morfologia da semente e das plântulas de Cassia fistula L. Revista Árvore, Viçosa, v.15, n. 3, p.217-223, 1991.

BARROSO, G. M. et al. Frutos e sementes: morfologia aplicada à sistemática de dicotiledôneas. Viçosa: UFV, 1999. 443 p.

CARDOSO, C.M.V.; SAJO, M.G. Vascularização foliar e a identificação de espécies de Eugenia L. (Myrtaceae) da bacia hidrográfica do Rio Tibagi, PR. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, vol. 27, n.1, p. 47-54, 2004.

CRESTANA, C.S.M. Recrutamento de plântulas de Genipa americana L. (Rubiaceae) em mata ripária. Revista Instituto Florestal, São Paulo, vol.10, n.1, p.1-15,1998.

CUNHA, M. DO C. L.; FERREIRA, R. A. Aspectos morfológicos da semente e do desenvolvimento da planta jovem de Amburana cearensis (Arr. Cam.) A.c. Smith - Cumaru - Leguminosae Papilionoideae. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, vol. 25, n.2, p.89-96, 2003.

DONADIO, N.M.M.; DEMATTÊ, M.E.S.P. Morfologia de frutos, sementes, e plântulas de canafístula (Peltophorum dubium (Spreng.) Taub.) e jacarandá-da-Bahia (Dalbergia nigra(Vell.) Fr. All. ex Benth.) - Fabaceae. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.22, n.1, p. 64-73, 2000.

DUCKE, J.A. Seeds, seedlings, systems and systematic.Annals of the Missouri Botanical Garden, vol.55, p.125-161, 1969.

DUCROQUET, J. P. J. et al. Goiaba serrana (Feijoa sellowiana) Jaboticabal: FUNEP, 2000. 66 p. (Frutas Nativas 5)

DUKE, J.A.; POLHILL, R.M. Seedlings of leguminosae. In: POLHILL, R.M. ; RAVON, P.H. (Eds.). Advances in legume systematics. Londres: Kew Royal Botanical Gardens. 1981. p.941-956.

FERREIRA, A.G.; BORGHETTI, F. Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed, 2004. 323p.

FERREIRA, N.M.M. et al. Germinação de sementes e morfologia de plântula de Myrcia cuprea (O. Berg)

Kiaersk. (Myrtaceae) espécie da restinga com potencial de uso no paisagismo. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v.8, n.1, p.27-38, 2013.

FREEMAN, D. C.; GRAHAM, J. H.; EMLEN, J. M. Developmental stability in plants: symmetries, stress and epigenesis. Genetica, v. 89, p. 97-119, 1993.

GOGOSZ, A,M. et al. Morfoanatomia da plântula de Campomanesia xanthocarpa O. Berg. (Myrtaceae). Acta Botanica Brasilica, v. 24, n. 3, p. 613-623. 2010.

KOZLOWSKI, T.T. Growth and development of trees. New York: Academic Press. v.1, 1971.443p.

KUNIYOSHI, Y.S.Morfologia da semente e da germinação de 25 espécies arbóreas de uma floresta com Araucária. 1983. 233 p. Dissertação ( Mestrado – M.S ), Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Editora Plantarum, 1992. 268p.

MARCHIORI, J.N.C.; SOBRAL, M. Dendrologia das Angiospermas: Myrtales. Santa Maria: UFSM, 1997. p. 90-100.

MATTOS, J.R. A goiabeira serrana. Porto Alegre: Instituto de Pesquisas de Recursos Naturais. Renováveis, 1986. 84p. (Publicação IPRNR, 19)

MELO, M.G.G. et al. Análise morfológica de sementes, germinação e plântulas de jatobá (Hymenaea intermedia Ducke var. adenotricha (Ducke) Lee e Lang.) Leguminosae - Caesalpinoideae. Acta Amazonica, Manaus, v.34, n.1, p.9-14. 2004.

OLIVEIRA, D. M.T. Morfologia comparada de plântulas e plantas jovens de leguminosas arbóreas nativas: espécies de Phaseoleae, Sophoreae, Swartzieae e Tephrosieae. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, vol.24, p.85-97, 2001.

OLIVEIRA, E.C. Morfologia de plântulas florestais. In: AGUIAR, I.B.; PIÑA-RODRIGUES, F.C.M.; FIGLIOLA, M.B. (Ed.) Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, 1993. p.175- 214.

PAOLI, A.A.S. et al. Caracterização morfológica dos frutos, sementes e plântulas de Croton floribundus Spreng. e de Croton urucurana Baill. (EUPHORBIACEAE). Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.17, n.1, p.57–68. 1995.

QUADROS, K.E. et al. Estudo anatômico do crescimento do fruto em Acca sellowiana (Berg.). Revista Brasileira de Fruticultura, Cruz das Almas, v.30, n.2, p.296-302, 2008.

REIS, C. et al. Vascularização foliar e anatomia do pecíolo de Melastomataceae do cerrado do Estado de São Paulo, Brasil. Acta Botanica Brasilica, Bahia, v.18, n. 4,p. 987-999. 2004.

REGO, S.S. et al. Caracterização morfológica do fruto, da semente e do desenvolvimento da plântula de Blepharocalyx salicifolius (H.B.K.) Berg. e Myrceugenia gertii Landrum – Myrtaceae. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 33, n. 2 p. 197 - 206, 2010.

ROCHA, M. da S. et al. Obtenção de porta-enxerto de goiabeira serrana em diferentes épocas de transplante. Revista Brasileira de Fruticultura, Cruz das Almas, v. 16, n. 1, p. 248-252, 1994.

SANCHOTENE, M.C.C. Frutíferas nativas úteis à arborização urbana. 2.ed. Porto Alegre: Sagra,1989. 306p.

SANTOS, M.S. et al. Propriedades reológicas de doce em massa de araçá vermelho (Psidium cattleianum Sabine). Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, Paraná,v.1, n2, p. 104-116, 2010

SILVA, L.M. de M. et al. Morfologia de frutos, sementes e plântulas de Luetzelburgia auriculata Duck. (pau-serrote) e Pterogyne nitens Tul. (madeira nova do brejo) Leguminosaceae. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.17, n.2, p.154-159, 1995.

SOBRAL, M. et al. Myrtaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 14 Jan. 2014.

THORP, T.G.; BIELESKI, R. Feijoas: origins, cultivation and uses. Auckland: David Bateman, 2002. 87p.

VOGEL, E.F. Seedlings of dicotyledons: structure, development, types descriptions of 150 woody Malesian taxa. Wageningen: Centre for Publishing and Documentation, 1980. 471p.

VIDAL, W. N.; VIDAL, M. R. R. Botânica – ornografia: Quadros sinóticos ilustrados de fanerógamos. Ed. UFV, Viçosa, Brasil, 2003, p. 91.

YE, N. 1983. Studies on the seedling type of dicotyledoneus plants (Magnoliophyta-Magnoliopsida). Phytologia, Hunstsville, v.54, n.5, p.161-189, 1983.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509820665

Licença Creative Commons