Crescimento de plantas jovens de açoita-cavalo em quatro diferentes substratos.

Fernanda Grave, Elcí Terezinha Henz Franco, Jardel Pizzatto Pacheco, Sidney Rodrigues Santos

Resumo


A espécie Luehea divaricata Mart. & Zucc., da família Malvaceae, possui madeira de alta qualidade, que tem sido empregada principalmente na confecção de móveis vergados, razão pela qual se encontra atualmente dizimada. A reposição em matas remanescentes bem como a sua utilização em projetos de reflorestamento necessitam da produção de mudas em larga escala. O objetivo deste estudo foi avaliar o crescimento de plântulas de Luehea divaricata obtidas por semente, cultivadas em quatro substratos. Foram colocadas quatro sementes por tubete nos substratos Plant Max®, turfa, casca de arroz carbonizada e Mec Plant®. Aos 25 dias após a semeadura, foi efetuada a repicagem das mudas dentro de cada tratamento e, aos 50 dias, foi efetuado o desbaste. Avaliaram-se: percentagem de germinação das sementes, massa seca das raízes (g), massa seca da parte aérea (g), diâmetro do colo (cm), altura da parte aérea (cm) e número médio de folhas. O delineamento adotado foi o inteiramente casualizado, os dados foram submetidos à análise da variância, e as médias comparadas ao teste de Duncan. As plantas cultivadas no substrato Plant Max® apresentaram quatro vezes mais massa seca das raízes e da parte aérea aos 180 dias. O crescimento das plântulas em turfa e casca de arroz foi menor em todos os parâmetros analisados. A propagação de Luehea divaricata a partir de sementes é tecnicamente viável nos substratos Plant Max® e Mec Plant®, os quais proporcionaram maior crescimento e qualidade às mudas.


Palavras-chave


sementes; mudas; crescimento; substrato

Texto completo:

PDF

Referências


BORDÁS, J.M.C.; BACKES, M.A.; KÄMPF, A.N. Características físicas e químicas dos substratos comerciais. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 6., 1988, Nova Prata. Anais... Nova Prata: Prefeitura Municipal, 1988. p.427-435.

CARVALHO, P. E. R. Espécies florestais brasileiras : recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Brasília : EMBRAPA-CNPF/SPI, 1994.

CUNHA, R.L.; SOUZA, C.A.S.; NETO, A.A. et al. Avaliação de substratos e tamanhos de recipientes na formação de mudas de cafeeiros (Coffea arabica L.) em tubetes. Ciência Agrotécnica, v.26, n.1, p.7-12, 2002.

DUTRA, L.F.; KERSTEN, E. Efeito do substrato e da época de coleta dos ramos no enraizamento de estacas de ameixeira (Prunus salicina Lindl.). Ciência Rural, v.26, n.3, p.361-366, 1996.

FOWLER, J.A.P. Superação de dormência e armazenamento de sementes de espécies florestais. In: GALVÃO, A.P.M. (Ed.). Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais. Brasília: EMBRAPA, 2000. p.77-100.

GRAVE, F.; FRANCO, E.T.H.; PACHECO, J. P. et al. Germinação das sementes de açoita-cavalo (Luehea divaricata Martius). In: ENCONTRO ESTADUAL DE BOTÂNICA, SOCIEDADE DE BOTANICA DO BRASIL, 12. , 2004. Anais... Canoas : ULBRA, 2004, Canoas. 1 CD-ROM.

HOFFMANN, A.; PASQUAL, M.; CHALFUN, N.N.J. et al. Efeito dos substratos na aclimatização de plantas micropropagadas do porta-enxerto de macieira ‘marubakaido’. Ciência Agrotécnica, v.25, n.2, p.462-467, 2001.

LEMAIRE, F. Physical, chemical, and biological properties of growing medium. Acta Horticulturae, n. 396, p.273-284, 1995.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. São Paulo: Editora Plantarum, v.1, 1998. p.388.

PAOLI, A.A.S. Morfologia e desenvolvimento de sementes e plântulas de Luehea divaricata Mart. & Zucc. (Tiliaceae). Revista Brasileira de Sementes, v.17, n.1, p.120-128, 1995.

REITZ, R., KLEIN, R. M., REIS, A. Projeto Madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura e Abastecimento, 1983. 524p.

SALVADOR, E.D.; MINAMI, K. Avaliação de diferentes substratos no cultivo de grama-esmeralda (Zoysia japonica Steud.) em bandejas. Ciência Agrotécnica, v.26, n.2, p.232-236, 2002.

SALVADOR, E.D.; PASQUAL, M.; SPERA, M.R.N. Efeito de diferentes substratos no crescimento de samabaia-matogrossense (Polypodium aureum L.). Ciência Agrotécnica, v.25, n.4, p.1006-1111, 2001.

SAMÔR, O.J.M.; CARNEIRO, J.G.A.; BARROSO, D.G. et al. Qualidade de mudas de angico e sesbânia, produzidas em diferentes recipientes e substratos. Revista Árvore, v.26, n.2, p.209-215, 2002.

SCALON, S.P.U; MUSSURY R.M.; RIGONI, M.R. et al. Crescimento inicial de mudas de espécies florestais nativas sob diferentes níveis de sombreamento. Revista Árvore, v.26, n.1, p.1-5, 2002.

SENA, C.M., GARIGLIO, M.A. Sementes florestais: colheita, beneficiamento e armazenamento. Natal: [s.n.], 1998. 27p.

STURION, J.A.; ANTUNES, J.B.M. Produção de mudas de espécies florestais. In: GALVÃO, A.P.M. Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais. Brasília : EMBRAPA, 2000. cap.7, p.125-150.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981961

Licença Creative Commons