Palha de café carbonizada em substratos renováveis para produção de mudas de <i>Eucalyptus urophylla</i> e <i>Anadenanthera macrocarpa</i>

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1980509837069

Palavras-chave:

Qualidade na Produção de Mudas, Substratos orgânicos, Casca de arroz carbonizada

Resumo

Um dos principais componentes orgânicos utilizados em mudas é a casca de arroz, entretanto, não é encontrada com facilidade, principalmente no sul de Minas Gerais, enquanto que a palha de café é um dos principais resíduos gerados nesta região. Sendo assim, objetivou-se avaliar a viabilidade técnica da utilização de substratos à base de palha de café carbonizada (PCC) em detrimento da utilização de casca de arroz carbonizada (CAC), em formulação com fibra de coco (FC), para a produção de mudas de Eucalyptus urophylla e Anadenanthera macrocarpa. Foram testados quatro substratos, com cinco repetições e 20 mudas por parcela, utilizando delineamento em blocos casualizados. As proporções das misturas foram S1 (60% FC e 40% CAC), S2 (80% FC e 20% CAC), S3 (60% FC e 40% PCC) e S4 (80% FC e 20% PCC). Foram mensurados, aos quatro meses, a altura das mudas (H), o diâmetro de coleto (DC), a massa seca da parte aérea (MSPA), a massa seca do sistema radicular (MSSR) e calculados o índice de robustez (H/DC), a densidade de raízes (DR) e o Índice de Qualidade de Dickson (IQD). Também foram feitas avaliações de facilidade de retirada das mudas do tubete e agregação das raízes ao substrato. Para o Eucalyptus urophylla, todos os parâmetros avaliados estiveram dentro do recomendando para expedição das mudas, contudo, os substratos à base de palha de café carbonizada obtiveram melhores resultados. Para a Anadenanthera macrocarpa, os parâmetros altura, diâmetro de coleto, índice de robustez e índice de qualidade de Dickson apresentaram-se dentro do exigido para expedição das mudas, em relação à formação do torrão, o tratamento empregando 60% de Fibra de coco e 40% de casca de arroz carbonizada apresentou maior média. Sendo assim, indica-se a utilização de palha de café carbonizada em detrimento da CAC para produção de mudas das duas espécies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Leite Cunha, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG

Engenheira florestal pela Universidade Federal de Lavras (2018), técnica em Meio Ambiente pelo Centro Federal de Educação Tecnologica (2011). Desde 2015 atua em iniciação cientifica sobre tecnologia na produção de mudas florestais. Atualmente é mestranda em Ciëncias Florestais, com enfase em Silvicultura e Nutrição Florestal, pela Universidade Federal de Lavras sob orientação do Prof. Dr. Nelson Venturin.

Oclizio Medeiros das Chagas Silva, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ

Engenheiro Florestal, Me., Doutorando em Ciências Ambientais e Florestais, Departamento de Silvicultura, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas, Departamento de Silvicultura, BR 465, km 07, CEP 23897000, Seropedica (RJ), Brasil.

Vinicius Correia de Araujo, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG

Graduando em Engenharia Florestal, Departamento de Engenharia Florestal, Campus Universitário, Universidade Federal de Lavras, CEP 37200-900, Lavras (MG), Brasil.

Nelson Venturin, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG

Engenheiro Florestal, Dr., Professor, Departamento de Engenharia Florestal, Campus Universitário, Universidade Federal de Lavras, CEP 37200-900, Lavras (MG), Brasil.

Lucas Amaral de Melo, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG

Engenheiro Florestal, Dr., Professor, Departamento de Engenharia Florestal, Campus Universitário, Universidade Federal de Lavras, CEP 37200-900, Lavras (MG), Brasil.

Referências

ALVARES, C. A. et al. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, Berlin, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2013.

ARAÚJO, M. M.; NAVROSKI, M. C.; SCHORN, L. A. Produção de sementes e mudas: um enfoque à silvicultura. Santa Maria: Editora UFSM, 2018. v. 1. 448 p.

BALDIN, T. et al. Crescimento de mudas de angico-vermelho em diferentes volumes de substratos. Pesquisa Florestal Brasileira, Brasília, v. 35, p. 31-37, 2015.

BOENE, H. C. A. M. et al. E feitos de diferentes substratos na produção de muda de Sebastiana commersoniana. Floresta, Curitiba, v. 43, n. 3, p. 407-420, 2013.

CALDEIRA, M. V. W. et al. Crescimento de mudas de Eucalyptus grandis utilizando lodo de esgoto, fibra de coco e palha de café in natura. Floresta, Curitiba, v. 44, n. 2, p. 195-206, 2014.

CARNEIRO, J. G. de A. Produção e controle de qualidade de mudas florestais. Curitiba: UFPR; FUPEF, 1995.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (Brasil). Acompanhamento da Safra Brasileira de Café Safra 2009, primeira estimativa, janeiro/2018. Brasília, 2018. Disponível em: http://www.sapc.embrapa.br/arquivos/consorcio/levantamento/conab_safra2018_n1.pdf. Acesso em: 02 mar. 2018.

COSTA, M. T. M. et al. alterações químicas e físico-química do solo com aplicações sucessivas de esgoto doméstico bruto como alternativa de disposição final do cultivo de forrageira. Periódico Tchê Química, Porto Alegre, v. 15, n. 29, 2018.

DICKSON, A.; LEAF, A. L.; HOSNER, J. F. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, Ottawa, v. 36, p. 10-13, 1960.

FARIA, J. C. T. et al. Substrates formulated with organic residues in the production of seedlings of Moquinias trumpolymorphum. Floresta, Curitiba, v. 47, p. 523, 2017.

FERREIRA, D. F. Sisvar: guide for its bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 38, n. 2, p. 109-112, 2014.

FRAGOSO, R. O. et al. Substratos renováveis na produção de mudas de Ficus enormis proveniente de jardim clonal. Pesquisa Florestal Brasileira, Brasília v. 36, p. 537, 2016.

FONSECA, E. F. et al. Uso potencial da casca de arroz carbonizada na composição de substratos para produção de mudas de Anadenanthera peregrina (L) Speg. Desafios, Palmas, v. 4, p. 32-40, 2017.

GOMES, D. R. et al. Lodo de esgoto como substrato para a produção de mudas de Tectona grandis L. Cerne, Lavras, v. 19, n. 1, p. 123-131, 2013.

GONÇALVES, J. L. M. et al. Produção de mudas de espécies nativas: substrato, nutrição, sombreamento e fertilização. In: GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. (ed.). Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: ESALQ; USP, 2000. p. 309-350.

KÄMPF, A. N. Produção comercial de plantas ornamentais. Guaíba: Agropecuária, 2005. 256 p.

KRATZ, D. et al. Ranking of substrates based on Piptadenia gonoacantha morphological parameters. Bosque, Valdivia, v. 37, p. 265, 2016.

KRATZ, D. et al. Substratos renováveis para produção de mudas de Mimosa scabrella. Floresta, Curitiba, v. 45, p. 393, 2015.

KRATZ, D.; WENDLING, I. Crescimento de mudas de Eucalyptus camaldulensis em substratos à base de casca de arroz carbonizada. Revista Ceres, Viçosa, MG, v. 63, p. 348-354, 2016.

KRATZ, D.; WENDLING, I. Produção de mudas de Eucalyptus dunnii em substratos renováveis. Floresta, Curitiba, v. 43, p. 125-136, 2013.

KRAUSE, M. R. et al. Aproveitamento de resíduos agrícolas na composição de substratos para produção de mudas de tomateiro. Horticultura Brasileira, Brasília v. 35, p. 280-285, 2017.

MARTÍNEZ, P. F. Manejo de substratos para horticultura. In: FURLANI, A. M. C. et al. Caracterização, manejo e qualidade de substratos para a produção de plantas. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 2002. p. 53-76.

MELO, L. A. et al. Qualidade e crescimento inicial de mudas de Mimosa caesalpiniifolia Benth. produzidas em diferentes volumes de recipientes. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 28, p. 47-55, 2018.

MENDONÇA, A. V. R. A. S. et al. Características fisiológicas de mudas de Eucalyptus spp submetidas a estresse salino. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 20, p. 255-267, 2010.

MIETH, P. et al. Ground peach pits: alternative substrate component for seedling production. Journal of Forestry Research, [s. l.], v. 30, n. 5, p. 57, 2018.

REGAN, R. P. Evaluating alternative growing media components. In: WILKINSON, K. M.; HAASE, D. L.; PINTO, J. R. (coord.). National Proceedings: Forest and Conservation Nursery Associations, 2013. Fort Collins (CO): USDA Forest Service; Rocky Mountain Research Station. 2014. Proceedings RMRS-P-72. p. 50-53.

ROSSA, Ü. B. et al. Fertilizante de liberação lenta no desenvolvimento de mudas de Anadenanthera peregrina (L.) Speg. (angico-vermelho) e Schinus terebinthifolius Raddi (aroeira-vermelha). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, n. 4, p. 841-852, 2015.

SCHAFER, G.; SOUZA, P. V. D.; FIOR, C. S. Um panorama das propriedades físicas e químicas de substratos utilizados em horticultura no sul do Brasil. Ornamental Horticulture, [s. l.], v. 21, p. 299-306, 2015.

SILVA, R. B. G.; SIMÕES, D.; SILVA, M. R. Qualidade de mudas clonais de Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis em função do substrato. Revista brasileira de engenharia agrícola e ambiental, Campina Grande, v. 16, n. 3, 2012.

SIMÕES, D.; SILVA, R. B. G.; SILVA, M. R. Composição do substrato sobre o desenvolvimento, qualidade e custo de produção de mudas de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden × Eucalyptus urophylla S. T. Blake. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 22, p. 91-100, 2012.

STUEPP, C. A. et al. Quality of clonal plants of Piptocarpha angustifolia in different renewable substrates and seasons of the year. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 51, p. 1821-1829, 2016.

WENDLING, I.; DUTRA, L. F. Produção de mudas de eucalipto por sementes. In: WENDLING, I.; DUTRA, L. F. Produção de mudas de eucalipto. Colombo: Embrapa Florestas, 2010. p. 13-47.

WENDLING, I.; GUASTALA, D.; DEDECEK, R. Características físicas e químicas de substratos para produção de mudas de Ilex paraguariensis St. Hil. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 31, p. 209-220, 2007.

ZORZETO, T. Q.; DECHEN, S. C. F.; ABREU, F. F. J. Caracterização física de substratos para plantas. Bragantia, Campinas, v. 73, n. 3, p. 300-311, 2014.

Downloads

Publicado

24-06-2022 — Atualizado em 27-06-2022

Versões

Como Citar

Cunha, F. L., Silva, O. M. das C., Araujo, V. C. de, Venturin, N., & Melo, L. A. de. (2022). Palha de café carbonizada em substratos renováveis para produção de mudas de <i>Eucalyptus urophylla</i> e <i>Anadenanthera macrocarpa</i>. Ciência Florestal, 32(2), 548–572. https://doi.org/10.5902/1980509837069 (Original work published 24º de junho de 2022)

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >> 

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.