Variação genética entre e dentro de populações de candeia (Eremanthus erythropappus (DC.) MacLeish).

Ana Carolina da Silva, Sebastião Carlos da Silva Rosado, Cenir Teodoro Vieira, Dulcinéia de Carvalho

Resumo


Entre as espécies indicadas para a restauração da vegetação arbórea em sítios degradados no sul de Minas Gerais, destaca-se a candeia (Eremanthus erythropappus (DC.) MacLeish), que ocorre naturalmente em solos pobres e pedregosos, além de possuir atributos relativos à durabilidade natural da madeira e à qualidade de óleo essencial para uso na farmacologia. O sucesso da recuperação dessas áreas está relacionado com a rapidez com que a vegetação é restabelecida. Assim, a busca de genótipos superiores e adaptados, que possam rapidamente recolonizar a área, é de grande importância econômica e ambiental. Neste estudo, foram coletadas sementes de polinização livre de 27 matrizes em duas populações de candeia distintas, São Tomé das Letras e Carrancas, localizadas no Estado de Minas Gerais. Após a germinação, as mudas foram repicadas para tubetes e arranjadas em blocos casualizados completos, com três repetições. Três meses após a repicagem, foi avaliada a variação entre e dentro das populações. Verificou-se, pela análise de variância, que existem diferenças significativas entre e dentro de populações para o caráter diâmetro do caule. As variações entre as progênies foram significativas dentro da população de São Tomé das Letras para o diâmetro, e, dentro da população de Carrancas, para o caráter altura total das mudas. Porém, para a seleção de genótipos, é necessário maior tempo de avaliação, visto que grande parte da variação apresentada na fase de mudas pode ser decorrente do efeito materno, o qual não é transmitido para a geração seguinte.


Palavras-chave


áreas degradadas; parâmetros genéticos; seleção de genótipos

Texto completo:

PDF

Referências


ALLARD, R.W. Princípios do melhoramento genético das plantas. Rio de Janeiro: Edgar Blucher : USAID, 1971. 381p.

ARAÚJO, L. C. Vanillosmopsis erythropappa (DC.) Sch. Bip: sua exploração florestal. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Agronomia, 1944. 54p.

BUENO, L.C.S.; MENDES, A.N.G.; CARVALHO, S.P. Melhoramento de plantas: princípios e procedimentos. Lavras: UFLA, 2001. 282p.

COSTA, R.B.; RESENDE, M.D.V.; ARAUJO, A.J. et al. Selection and genetic gain in rubber tree (Hevea) populations using a mixed mating system. Genetics and Molecular Biology, Ribeirão Preto, v. 23, n. 3, p. 671-679. 2000a.

COSTA, R.B.; RESENDE, M.D.V.; ARAUJO, A.J. et al. Seleção combinada univariada e multivariada aplicada ao melhoramento genético da seringueira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 35, n. 2, p. 381-388. 2000b.

CRUZ, C.D. Programa Genes: versão Windows; aplicativo computacional em genética e estatística. Viçosa: UFV, 2001. 648p.

FALCONER, D. S. Introdução à genética quantitativa. Viçosa: UFV, 1987. 279p.

FERREIRA, M.; ARAÚJO, A. J. Procedimentos e recomendações para teste de procedência. Curitiba: EMBRAPA, 1981. (EMBRAPA. Documentos URPFCS, n. 6).

GONÇALVES, P.S.; BORTOLETTO, N.; FONSECA, F.S. et al. Early selection for growth vigor in rubber tree genotypes in northwestern. Genetics and Molecular Biology, Ribeirão Preto, v. 21, n. 4, p. 515-521, 1998.

PAIVA, J.R.; RESENDE M.D.V.; CORDEIRO, E.R. Índice multiefeitos e estimativas de parâmetros genéticos em aceroleira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 37, n. 6, p. 799-807, 2002.

PEDRALLI, G. Estrutura diamétrica, vertical e análise do crescimento da candeia (Vanillosmopsis erythropappa Schult. Bip) na Estação Ecológica do Tripuí, Ouro Preto-MG. Revista Árvore, Viçosa, v. 21, n. 2, p. 301-306, 1997.

PÉREZ, J. F. M. Sistema de manejo para a candeia (Eremanthus erythropappus (DC.) MacLeish ). 2001. 71p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Lavras, Lavras.

RIZZINI, C. T. Árvores e madeiras úteis do Brasil: manual de dendrologia brasileira. São Paulo: E. Edgard Blücher, 1979. 296p.

ROCHA, M.G.B.; ROCHA, D.; CLEMENTE, V.M. et al. Teste de procedências e progênies de baru (Dipteryx alata Vogel). In: ROCHA, M.G.B. Melhoramento de espécies arbóreas nativas. Belo Horizonte: DDFS/Instituto Estadual de Florestas, 2002a. p.29-40.

ROCHA, M.G.B.; ROCHA, D.; CLEMENTE, V.M. et al. Teste de procedências e progênies de angico vermelho (Anadenanthera macrocarpa (Bentham) Brenan). In: ROCHA, M.G.B. Melhoramento de espécies arbóreas nativas. Belo Horizonte: DDFS/Instituto Estadual de Florestas, 2002b. p.41-55.

ROCHA, M.G.B.; ROCHA, D.; CLEMENTE, V.M. et al. Teste de procedências e progênies de jatobá (Hymenaea courbaril L. var stilbocarpa (Hayne) Lee et Lang). In: ROCHA, M.G.B. Melhoramento de espécies arbóreas nativas. Belo Horizonte: DDFS/Instituto Estadual de Florestas, 2002c. p.57-71.

ROSADO, S. C. S. Genética quantitativa aplicada em fungos ectomicorrízicos. In: SIQUEIRA, J. O. Avanços em fundamentos e aplicação de micorrizas. Lavras, 1996. p.101-133.

ROSADO, S. C. S. Revegetação de dunas degradadas no litoral norte da Paraíba. In: SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS, 5., 2002, Belo Horizonte. Palestras... Lavras: SOBRADE, 2002. p. 105-122.

SAMPAIO, P. T. B.; RESENDE, M. D. V.; ARAÚJO, A. J. Estimativas de parâmetros genéticos e métodos de seleção para o melhoramento genético de Pinus caribaea var. hondurensis. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 35, n. 11, p. 2243-2253, 2000.

SHIMIZU, J.Y.; PINTO JÚNIOR, J.E. Diretrizes para credenciamento de fontes de material genético melhorado para reflorestamento. EMBRAPA/CNPF, Curitiba, n.18, 1988.

SOUZA, F. A.; SILVA, E. M. R. Micorrizas arbusculares na revegetação de áreas degradadas. In: SIQUEIRA, J. O. Avanços em fundamentos e aplicação de micorrizas. Lavras, 1996. p. 255-290.

VENCOVSKY, R.; BARRIGA, P. Genética biométrica no fitomelhoramento. Riberão Preto : Sociedade Brasileira de Genética, 1992. 496p.




DOI: https://doi.org/10.5902/198050981959

Licença Creative Commons