Incremento em área basal de árvores de uma floresta estacional decidual, em três fases sucessionais, no município de Santa Tereza, RS.

Sandro Vaccaro, César Augusto Guimarães Finger, Paulo Renato Schneider, Solon Jonas Longhi

Resumo


Este trabalho teve como objetivo modelar funções de incremento em área basal para árvores de três fases sucessionais de uma Floresta Estacional Decidual, as quais se denominaram capoeirão, floresta secundária e floresta madura. A área, localizada no município de Santa Tereza, RS, foi amostrada em dois períodos 1996 e 2000, considerando os indivíduos arbóreos com diâmetro à altura do peito maior ou igual a 3,2 cm (10 cm de circunferência). Observou-se que, para as árvores da Floresta Estacional Decidual da região do estudo, o incremento periódico anual em área basal pode ser estimado por equações próprias desenvolvidas para cada estágio sucessional ou por meio de uma equação geral, independente do estágio sucessional, sem perda de precisão das estimativas.


Palavras-chave


incremento periódico anual; área basal; amostragem; dendrometria

Texto completo:

PDF

Referências


AHRENS, S. O manejo de recursos florestais no Brasil: conceitos, realidades e perspectivas. In: CURSO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL, 1., 1997, Curitiba. Tópicos em manejo florestal sustentável. Colombo: EMBRAPA-CNPF, 1997. p. 5-16. (EMBRAPA-CNPF. Documentos, 34).

BURKHART, H. E. Status and future of growth and yield models. In: Prdc. a Symp. on State-of the Art Methodology of Forest Inventory. USDA For. Serv., Gen. Tech. Rep. PNW GTR-263, 1990. p. 409-414.

CARVALHO, J. O. P. de. Dinâmica de florestas naturais e sua implicação para o manejo florestal. In: CURSO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL, 1., 1997, Curitiba. Tópicos em manejo florestal sustentável. Colombo: EMBRAPA-CNPF, 1997. p. 43-55. (EMBRAPA-CNPF. Documentos, 34).

FLORA ILUSTRADA CATARINENSE. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues, 1965-2002.

KLEIN, R. M. Árvores nativas da floresta subtropical do Alto Uruguai. Sellowia, Itajaí, v. 24, n. 24, p. 9-62, dez. 1972.

MONSERUD, R. A. Height growth and site index curves for inland Douglas-fir based on stem analysis data and forest habitat type. For. Sci., v. 30, p. 943-965, 1984.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 73 p.

PENG, C. Growth and yield models for uneven-aged stands: past, present and future. For. Ecol. Manage., v. 132, p. 259-279, 2000.

RAMBO, B. Der Regenwald am oberen Uruguay. Sellowia, v. 7/8, n. 7, p. 183-233, 1956.

REITZ, R., KLEIN, R. M., REIS, A. Projeto madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CORAG, 1988. 525 p.

SCOLFORO, J. R. S.; PULZ, F. A.; MELLO, J. M. de et al. Modelo de produção para floresta nativa como base para manejo sustentado. Cerne, v. 2, n. 1, p. 112-137, 1996.

SILVA, J. N. M. Manejo de florestas de terra-firme da amazônia brasileira. In: CURSO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL, 1., 1997, Curitiba. Tópicos em manejo florestal sustentável. Colombo: EMBRAPA-CNPF, 1997. p. 59-96. (EMBRAPA-CNPF. Documentos, 34).

SILVA, J. N. M. The behaviour of the tropical rain forest of the Brazilian Amazon after logging. 1989. 302p. Tese (Doutorado) – University of Oxford, Oxford, 1989.

SILVA, J. N. M.; CARVALHO, J. O. P. de; LOPES, J. do C. A.; ALMEIDA, B. F. de; COSTA, D. H. M.; OLIVEIRA, L. C. de; VANCLAY, J. K.; SKOVSGAARD, J. P. Growth and yield of a tropical rain forest in the Brazilian Amazon 13 years after logging. For. Ecol. Manage., v. 71, n. 3, p. 267-274, 1995.

SPURR, S. H. Forest Inventory. New York: Ronald, 1952. 476 p.

TABARELLI, M. Flora arbórea da floresta estacional baixo-montana no município de Santa Maria, RS, Brasil. Rev. Inst. Flor., São Paulo, v. 4, n. 1, p. 260-268, 1992. (Edição Especial).

VACCARO, S. Caracterização fitossociológica de três fases sucessionais de uma Floresta Estacional Decidual, no município de Santa Tereza  RS. 1997. 92 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)  Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1997.

VANCLAY, J. K. Modelling forest growth and yeld: applications to mixed tropical forests. Copenhagen: CAB Intern., 1994. 312 p.

VOUKILA, Y. Functions for variable density yield tables of pine based on temporary sample plots. Comm. Inst. For. Fenn., v. 60, p. 1-86, 1965.




DOI: https://doi.org/10.5902/198050981749

Licença Creative Commons