Fabricação de chapas de partículas aglomeradas usando gesso como material cimentante.

Clovis Roberto Haselein, Leandro Calegari, Luis Fernando Alberti, Adriano Luiz Minello, Paulo Anaximandro da Silva, Rossina Gabriela Figueredo Pintos

Resumo


Neste trabalho, foram confeccionadas chapas aglomeradas, utilizando gesso como material cimentante e papel reciclável dissociado (jornal e offset) e partículas de madeira de pinus como reforços. Em todos os tratamentos, a razão madeira (ou fibras) para gesso foi mantida em 0,25 (base seca) e duas dosagens de água (w) foram empregadas: 0,4 e 0,8, correspondendo à razão água:gesso. As chapas foram prensadas a frio em prensa de laboratório, em um processo similar à produção de chapas aglomeradas convencionais. Após condicionadas em câmara climatizada, as chapas foram testadas em flexão estática, dureza, arrancamento de parafusos, absorção d'água e inchamento em espessura. Em geral, a adição de fibras causou melhoria nas propriedades das chapas. Diferenças estatísticas significativas em relação à testemunha (gesso puro) foram encontradas para resistência à flexão estática (MOR), dureza e arrancamento de parafusos em relação a alguns dos tratamentos estudados. Já a inclusão de fibras de papel reciclável, com w = 0,4, não apresentou diferenças significativas em relação à testemunha para absorção d'água e inchamento em espessura. Os melhores resultados foram encontrados com papel jornal, com um coeficiente w = 0,4.


Palavras-chave


chapas gesso/madeira; madeira de pinus; papel reciclável

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. NBR 8633/84: Rio de Janeiro, 1994. 13 p.

AROUCA, M. C.; GOMES, F. B. M.; ROSA, L. P. Estrutura da demanda de energia no setor residencial no Brasil e uma avaliação da energia para cocção de alimentos: área interdisciplinar de energia COPPE/UFRJ. Rio de Janeiro, 1983. 36p. (Série de publicações – AIE 002/83).

ASTM. American Society for Testing and Materials. D 1762-64 (Reapproved 1977). 578 p.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Balanço energético nacional. Brasília, 2000. 154p.

BRITO, J.O.; BARRICHELO, L.E.G.Aspectos técnicos da utilização da madeira e carvão vegetal como combustíveis. In: SEMINÁRIO DE ABASTECIMENTO ENERGÉTICO INDUSTRIAL COM RECURSOS FLORESTAIS, 2., 1982, São Paulo. São Paulo, 1982. p. 101-137.

BRITO, J.O.; BARRICHELO, L.E.G. Características do eucalipto como combustível: análise química imediata da madeira e da casca. IPEF, v.16, p.63-78, 1978.

BRITO, J.O.; DEGLISE, X. States and potencial of using wood for energy in Brazil. Revue Forestière Française, Paris, n.6, p.175-79, 1991.

BURGER, L. M.; RICHTER, H. G. Anatomia da madeira. São Paulo: Nobel, 1991. 154 p.

CASTILLO, M.U. Determinacion del poder calorifico de 20 especies forestales de la Amazonia peruana. Revista Florestal do Peru, v.12, n.1-2, p.98-117, 1984.

CUNHA, M.P.S.C.; PONTES, C.L.F.; CRUZ, I.A.; CABRAL, M.T.F.D.; NETO, Z.B.C.; BARBOSA, A.P. Estudo químico de 55 espécies lenhosas para geração de energia em caldeiras. In: ENCONTRO ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 3., 1989, São Carlos. Anais... São Carlos, 1989. v. 2, p.93-120.

EMBRAPA. Levantamento de reconhecimento dos solos do Distrito Federal. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação dos Solos, 1978. Boletim Técnico, 53.

FOELKEL, C.E.B.; BRASIL, M.A.M.; BARRICHELO, L.E.G. Métodos para determinação da densidade básica de cavacos para coníferas e folhosas. IPEF, n.2/3, p.65-74, 1971.

FURLEY, P.A.; RATTER, J.A. An assessment of soil constraits on the distribution of plant communities at Fazenda Água Limpa, Brasília, DF. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON BIOLOGY OF CERRADO PLANTS, 1990, Campinas. Anais ... Campinas, 1990.

GOLDEMBERG, J. Energia, meio ambiente & desenvolvimento. São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 1998. 125p.

GRASSI, G.; PALZ, W. O futuro da biomassa na União Européia. Álcool. & Açúcar, n.76, p.28-34, 1988.

HALL, D. O. Biomass energy. Energy Policy – Renewables series, p. 711-737, Oct., 1991.

JARA, E.R.P. O poder calorífico de algumas madeiras que ocorrem no Brasil. IPT – Comunicação Técnica, n.1797, p. 1-6, 1797.

MARABOTO, M.T.; CUNHA, M.P.S.C.; PONTES, C.L.F.; CRUZ, I.A.; NETO, Z.B.C. Poder calorífico e pirólise de dez espécies florestais da Amazônia Brasileira-Peruana. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 3., 1989, São Carlos. Anais... São Carlos, 1989. v.2, p.6-28.

MATA, H. T. C.; SOUZA, A. L. Estimativa do consumo residencial de lenha num distrito do Estado de Minas Gerais, Brasil. Rev. Árvore, Viçosa, v.24, n.1, p.63-71, 2000.

OLIVEIRA, A.D.; LEITE, A.P.; BOTELHO, S.A.; SCOLFORO, J.R.S. Avaliação econômica da vegetação de cerrado submetido a diferentes regimes de manejo e de povoamentos de eucalipto plantado em monocultivo. CERNE, v.4, n.1, p.34-56, 1998.

SILVA, F.C. Compartilhamento de nutrientes em diferentes componentes da biomassa aérea em espécies arbóreas de um cerrado. 1990. 80p. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Ecologia, Universidade de Brasília, Brasília.

SILVA, M.A. Mudanças na composição florística e estrutura de um cerrado sensu stricto em um período de 12 anos (1985-1997), na Fazenda Água Limpa (FAL) – Distrito Federal. Brasília, 1999. 62p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília, Brasília.

VITAL, B.R. Métodos de determinação da densidade da madeira. Viçosa: SIF, 1984. 21p. (Boletim Técnico, 2).

VITAL,B.R. Tecnologia da Madeira: métodos para determinação do teor de umidade da madeira. Viçosa: SIF, 1997. 33p. (Boletim Técnico, 13).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981703

Licença Creative Commons