Classificação Preliminar de Corpos d’água com Base na Resolução Conama nº 357/2005: Caso do Rio Meia Ponte - GO

Thiago Augusto Mendes, Anne Karuline Barros Fagundes, Tatiane Souza Rodrigues Pereira

Abstract


O artigo tem como objetivo classificar um trecho do rio Meia Ponte com base nos parâmetros estabelecidos pela resolução CONAMA nº 357/2005, tendo como pontos de coleta os municípios de Itauçú, Inhumas, Goiânia e Pontalina, estado de Goiás. A bacia hidrográfica do rio Meia Ponte faz parte do complexo hidrográfico da bacia do rio Paraná, tendo uma área aproximada de 12.180 km². A investigação das amostras de água nos pontos de coleta do trecho do Meia Ponte foram realizadas por meio de análises físico-químicas. Especificamente para este estudo, foram avaliados: oxigênio dissolvido (OD), pH, DBO5,20°C, DQO e turbidez. No total, foram avaliadas 12 amostras em quatro pontos de coleta distintos nos meses de novembro e dezembro no ano de 2014. Os resultados mostraram que temporariamente os parâmetros pH, turbidez e DBO das amostras de água avaliadas atenderam os limites ambientais exigidos pela resolução CONAMA nº 357/2005. Porém, os parâmetros de turbidez e OD das amostras sofreram diferentes alterações ao longo do período analisado, possivelmente justificado pela chegada do período chuvoso. Sugere-se que a classificação do rio Meia Ponte de acordo com a resolução CONAMA nº 357/2005 seja estabelecida por trechos e que pode ser modificada ao longo do tempo por influencia urbana e variáveis hidrológicas e climatológicas.


Keywords


rio Meia Ponte; qualidade da água; classificação corpos hídricos

References


AAPAC - Associação Ambiental Pró-Águas do Cerrado. Situação ambiental das águas da Bacia do Rio Meia Ponte, Goiás. 2008.

ARAÚJO, M. V.; FREIRE, G. S. S. Análise ambiental e de uso e ocupação da área de proteção do estuário do Rio Ceará, Fortaleza-Ceará. Revista de Geologia, v. 21, n. 1, p 7-19, 2008.

ANA - Agência Nacional de Águas - Cadernos de Recursos Hídricos. Panorama do enquadramento dos corpos d’água. Ministério do Meio Ambiente. 2005.

BARRETO, L. V., FRAGA M. de S.; BARROS, F. M.; ROCHA, F. A.; AMORIM, J. da S.; CARVALHO, S. R.; BONOMO, P; SILVA, D. P. Relação entre vazão e qualidade da água em uma seção de rio. Revista Ambiental Água [online]. v. 9, n.1, p. 118-129, 2014.

BADO, C.; PERCIO, J. E.; LINDINO, C.A. A demanda química de oxigênio: questionamentos. Revista Analytica n. 62, 2013.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 357/2005, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências.

______. Resolução CONAMA nº 20/1986, de 18 de junho de 1986. Dispõe sobre a classificação das águas doces, salobras e salinas do Território Nacional. Diário Oficial da União, 30 de julho de 1986.

______. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989.

BRANDÃO, C. J.; BOTELHO, M. J. C.; SATO, M. I. Z.; LAMPARELLI, M. C. Guia Nacional de Coleta e preservação de amostras: água, sedimento, comunidades aquáticas e afluentes líquidos. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – São Paulo: CETESB; Brasília: ANA, 2011.

CALIL, P. M.; OLIVEIRA, L. F. C.; KLIEMANN, H. J.; OLIVEIRA, V. A. Caracterização geomorfométrica e do uso do solo da Bacia Hidrográfica do Alto Meia Ponte, Goiás. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v. 16, n.4, p.433–442, 2012.

CARVALHO, G. L.; SIQUEIRA, E. Q. Qualidade do Rio Meia Ponte no perímetro urbano do município de Goiânia-Goiás. REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil. v. 1, n. 2, p. 19-32, 2011.

GOIÁS. Lei n. 13.123, de 16 de julho de 1997. Estabelece normas de orientação à política estadual de recursos hídricos, bem como ao sistema integrado de gerenciamento de recursos hídricos e dá outras providências.

______. Decreto n. 5.327, de 06 de dezembro de 2000. Dispõe sobre o Conselho Estadual de Recursos Hídricos CERH e dá outras providências.

MELLO, L. T. A.; TRINDADE, M. C.; MARCUZZO, F. F. N. Caracterização da qualidade das águas do principal Rio da região metropolitana de Goiânia. In: XIX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS -2011. Maceió. Trabalhos Técnicos. Alagoas: Associação Brasileira de Recursos Hídricos.

MENDES, T. A. Avaliação da Vulnerabilidade de Barramentos ao Rompimento de pequenos barramentos localizados a montante. 105 f. Dissertação (Mestrado de Engenharia Civil) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

OLIVEIRA, L. F. C.; CALIL P. M.; RODRIGUES, C.; KLIEMANN, H. J.; OLIVEIRA, V. A de. Potencial do uso dos solos da bacia hidrográfica do alto rio Meia Ponte, Goiás. Revista Ambiente & Água. v. 8, n. 1, p. 222-238, 2013.

PIZELLA, D, G.; SOUZA, M. P. Análise da sustentabilidade ambiental do sistema de classificação das águas doces superficiais brasileiras. Engenharia Sanitária e Ambiental. v. 12, n.2, p. 139-148, 2007.

SILVA, A. M.; MATOS, M. A. J.; SILVA, D.C.; CARDOSO, N. L. C. Análise microbiológica das águas do rio João Leite e rio Meia Ponte da região metropolitana de Goiânia (GO). Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX. 2013.

SOBRAL, M. C. GUNKEL, G.; BARROS, A. M. de L.; PAES, R.; FIGUEIREDO, R. de C. Classificação de Corpos d’ água segundo a diretiva-quadro da água da união Européia – 2000/60/CE. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, n. 11 p. 30-39, 2008.

VEIGA, A. M.; SANTOS, C. C. P. dos; CARDOSO, M. R. D; LINO, N. C. Caracterização hidromorfológica da bacia do Rio Meia Ponte. Revista Caminhos de Geografia. v. 14, n. 46, p. 126–138, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179460X21832

Copyright (c) 2016 Ciência e Natura



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.