A razão prática schopenhaueriana e a ação por máximas

Katia Santos

Resumo


Este texto aborda a noção de razão prática de Arthur Schopenhauer. Esse filósofo recusa os atributos que Kant atribui à razão, o qual entende que tal faculdade pode assumir um aspecto prático de condução das ações humanas. Schopenhauer, com outra visão da razão, não aceita também a ideia kantiana segundo a qual uma ação moral é aquela realizada racionalmente. Contudo, nosso filósofo admite um uso prático para a razão, fundado nos mesmos princípios da ética estóica. Assim, de um lado, apresentaremos a crítica de Schopenhauer à razão prática kantiana e, de outro, sua tese do uso prático dessa faculdade.

Palavras-chave


Kant, Schopenhauer, razão prática.

Texto completo:

PDF

Referências


SCHOPENHAUER, A. El Mundo como Voluntad y Representación. Trad. de Rafael-José Fernández y M.ª Montserrat Armas Concepción, Madrid: Akal Editores, 2005.

SCHOPENHAUER, A. El Mundo como Voluntad y Representación: Volumen segundo, que contiene los complementos a los quatro livros del primeiro volumen Trad. de Rafael-José Fernández y M.ª Montserrat Armas Concepción, Madrid: Akal Editores, 2005.

SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e representação, parte III; Crítica da filosofia kantiana; Parerga e paralipomena, cap. V, VIII, XII, XVI. Trad. de Wolfgang Leo Maar e Maria Lúcia M. O. Cacciola, São Paulo: Victor Civita, 1985 (Os pensadores).

SCHOPENHAUER, A. Parerga y paralipomena I. Trad. Antonio Zozaya. Málaga: Agora, 1997.

SCHOPENHAUER, A. Sobre o fundamento da moral. Trad. de Maria Lúcia M. O. Cacciola 1ª ed., Martins Fontes, São Paulo, 1995.

BARBOZA, J. “Na fronteira do transcendental com o empírico. Metafísica e imanência em Schelling e Schopenhauer”. In: SALLES, João Carlos (org.). Schopenhauer e o idealismo alemão, Salvador: Quarteto, 2004.

BRÉHIER, E. Histoire de la philosophie allemande. 3ª ed., Paris: VRIN, 1954.

CACCIOLA, M.L. “O intuitivo e o abstrato na filosofia de Schopenhauer”. In: SALLES, João Carlos (org.). Schopenhauer e o idealismo alemão. Salvador: Quarteto, 2004.

DELEUZE, G. A filosofia crítica de Kant. Trad. de Germiniano Franco, Lisboa: Edições 70, 2000.

KANT, I. Crítica da Razão Prática. Trad. de Valério Rohden.1ª ed., São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KANT, I. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Trad. de Paulo Quintela, Edições 70, Lisboa,1986.

KÜLPE, O. Kant. Trad. de Domingo Miral López. 3ª ed., Barcelona: Labor S.A., 1939.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179378634126

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2011 Voluntas: Revista Internacional de Filosofia

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual 4.0 Internacional.