O QUE PODE FAZER UM ESTAGIÁRIO DE PSICOLOGIA NA ESCOLA? PROBLEMATIZANDO PRATICA E A FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Naiana Dapieve Patias, Josiane Lieberknecht Wathier Abaid

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198464444817

A psicologia escolar é uma ênfase de trabalho do psicólogo dedicada a integrar ações que facilitem a aprendizagem e o desenvolvimento de todos os atores envolvidos no contexto educacional. O psicólogo tem a função de rever constantemente as concepções e práticas profissionais de modo que elas possam dar conta da complexidade dessa realidade, ampliando a concepção da queixa escolar para que se identifiquem os demais fatores associados a estas queixas. Este trabalho apresenta um relato de intervenções realizadas durante um estágio em psicologia escolar em uma Escola Municipal de Ensino Fundamental do interior do RS. Dentre as intervenções realizadas estão a orientação psicossocial a pais, professores e alunos; trabalho com grupos na escola; acompanhamento psicológico e intervenções nas turmas. A partir dessas ações, percebeu-se a necessidade inicial de conscientização em relação ao papel do psicólogo nesse contexto, e maior aceitação de um trabalho não exclusivamente clínico, por parte da comunidade escolar. Todos demonstraram interesse em atividades preventivas quanto às dificuldades escolares e emocionais. Discutem-se as práticas do psicólogo e do estagiário de Psicologia nesse contexto no que diz respeito à educação e à saúde em sentido amplo.


Palavras-chave


Psicologia escolar; Relações Interpessoais; Formação acadêmica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198464444817

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao

 


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: 10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

 

Periodicidade – quadrimestral

Primeiro quadrimestre, jan./abr., limite para publicar a edição 30 abril.

Segundo quadrimestre, maio/ago., limite para publicar a edição 31 agosto.

Terceiro quadrimestre, set./dez., limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação. Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

   

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar