“Macho como um touro”: pedagogias culturais de masculinidades em duas versões da história de Ferdinando, o touro

João Paulo Baliscei, Laiana Moraes Azevedo, Geiva Carolina Calsa

Resumo


O objetivo desse artigo é identificar e analisar as distintas pedagogias culturais sobre masculinidades, oferecidas em filmes de animação direcionados aos sujeitos infantis. Para tal, selecionaram-se duas versões da história do touro Ferdinando, uma de 1938 e outra de 2017, produzidas por estúdios que atualmente pertencem a Disney. As análises, elaboradas a partir dos Estudos das Masculinidades (BADINTER, 1993; CONNELL, 1995; 1997; 2016; KIMMEL, 1998) e do conceito de Pedagogias Culturais (DEPORTE, 2016; DEPORTE E COSTA, 2017), sublinham a hegemonia, cumplicidade, subordinação e resistência como traços das relações de poder que envolvem as construções de gênero. Nas análises, consideramos que, apesar das pressões exercidas pelos demais personagens para que Ferdinando se espelhe em identidades de gênero hegemônicas, nas duas narrativas fílmicas, de maneiras distintas entre si, o protagonista transgride com aquilo que lhe é esperado enquanto “macho” e também enquanto "touro".


Palavras-chave


Estudos das Masculinidades; Gênero; Educação.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ANDRADE, Paula Deporte. A invenção das Pedagogias Culturais. In: CAMOZZATO, Viviane Castro; CARVALHO, Rodrigo Saballa de; ANDRADE, Paula Deporte de (orgs.). Pedagogias Culturais: a arte de produzir modos de ser e viver na contemporaneidade. Curitiba: Appris, 2016, p. 19-32.

ANDRADE, Paula Deporte; COSTA, Marisa Vorraber. Nos rastros do conceito de pedagogias culturais–invenção, disseminação e usos. Educação em Revista, Belo Horizonte, n.33, 2017, p. 1-23. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/edur/v33/1982-6621-edur-33-e157950.pdf. Acesso em 25 de mai. de 2018.

BADINTER, Elisabeth. XY, la identidad masculina. Madrid: Alianza Editorial, 1993. 254p.

BALISCEI, João Paulo. Vilões, heróis e coadjuvantes: um estudo sobre Masculinidades, Ensino de Arte e Pedagogias Disney. Tese (Doutorado). Pós-graduação em Educação, Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2018. 260 p.

BALISCEI, João Paulo; ACCORSI, Fernanda Amorim; TERUYA, Teresa Kazuko. Problematizando "Toda forma de amor": a visibilidade de grupos minoritários na publicidade de O Boticário. Revista Educação Unisinos, São Leopoldo, v.21, n.1, p. 111-121, jan./abr. 2017. Disponível em http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2017.211.12/5859. Acesso em 21 de abr. de 2017.

BALISCEI, João Paulo; CALSA, Geiva Carolina; STEIN, Vinícius. "(In)felizes para sempre"? Imagens da Disney e a manutenção da heteronormatividade. Revista Bagoas: estudos gays, gênero e sexualidades, Natal, v.10, n.14, p. 163-180, jan./jun. de 2016b. Disponível em https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/11451. Acesso em 03 de mar. de 2017

BALISCEI, João Paulo; MAIO, Eliane Rose; CALSA, Geiva Carolina. Um ovo azul e outro rosa: Pedagogia Kinder e a construção visual dos gêneros e das infâncias. Revista Visualidades, Goiânia, v.14, n. 1, p.284-315, jan./jun., 2016. Disponível em https://www.revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/36655/21584. Acesso em 01 de set. de 2016.

CONNELL, Raewyn. Gênero em termos reais. São Paulo: nVersos, 2016. 272p.

CONNELL, Raewyn; PEARSE, Rebecca. Gênero: uma perspectiva global. São Paulo: nVersos, 2015. 335p.

CONNELL, Robert W. Políticas da masculinidade. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v.20, n.2, 1995, p.185-206.

CONNELL, Robert W. La organización social de la masculinidad. In: VALDÉS, Teresa; OLAVARRÍA, José (orgs.). Masculinidad/es. Santiago: FLACSO/ISIS Internacional, Ediciones de las Mujeres, 1997 p. 31-48.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. Imagens na Educação Infantil como Pedagogias Culturais. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene (orgs.). Pedagogias culturais. Santa Maria: Ed. Da UFSM, 2014, p.199-224.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. O dispositivo pedagógico da mídia: modos de educar na (e pela) TV. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, 2002, p.151 – 162. Disponível em http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27882/29654. Acesso em 24 de mai. de 2018.

GIROUX, Henry. El ratonzito feroz: Disney o el fin de la inocencia. Madrid: Fundación Germán Sánchez Ruipérez, 2001.

GOMES, Lisandra Ogg. O cotidiano, as crianças, suas infâncias e a mídia: imagens concatenadas, Pro-Posições, São Paulo, v. 19, n. 3, 2008, p. 175-193. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pp/v19n3/v19n3a09.pdf. Acesso em 25 de mai. de 2018.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade?. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012, p. 103-133.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio, 2016. 259 p.

HERRAIZ GARCÍA, Fernando. Uma aproximação à pesquisa autoetnográfica: algumas questões para continuar aprendendo. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene (orgs.). Processos e práticas de pesquisa em cultura visual e educação. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2013, p.273-289.

KINCHELOE, L. Joe. McDonald's, poder e criança: Ronald McDonald (também conhecido como Ray Kroc) faz tudo por você. In: Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Shirley R. Steinberg, Joe L. Kincheloe (orgs.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 385-412.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997. 179p.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p.7-34.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2016. 96p.

NUNES, Luciana Borre. As Imagens que Invadem as Salas de Aula: Reflexões sobre Cultura Visual. São Paulo: Ideias & Letras, 2010.

NUNES, Luciana Borre; MARTINS, Raimundo. Cultura Visual: tramando gênero e sexualidades nas escolas. Recife: Editora UFPE, 2017. 244p. Disponível em https://issuu.com/lucianaborre/docs/cultura_visual_tramando_genero_e_se. Acesso em 12 de dez. de 2017.

SABAT, Ruth. Filmes infantis e a produção performativa da heterossexualidade. Tese (Doutorado). Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2003. 185p.

STEINBERG, Shirley. A mimada que tem tudo. In: Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Shirley R. Steinberg, Joe L. Kincheloe (orgs.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 321-338.

VIANNA, Maria Letícia Rauen. Desenhando com todos os lados do cérebro: possibilidades para transformação das imagens escolares. Curitiba: Ibpex, 2010. 207p.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644435815

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar