A relevância da interdisciplinaridade para a compreensão dos danos causados pela indústria de confecções de Maringá

Paula Piva Linke

Resumo


Esse texto tem como objetivo discutir a forma como a ciência pós-normal e a interdisciplinaridade podem indicar caminhos para a reflexão cientifica acerca dos danos causados pela indústria de confecções de Maringá. O texto está dividido em três partes, inicialmente apresento o conceito de sociedade de risco de Beck, em seguida aponto a problemática dos resíduos sólidos da confecção no município de Maringá. Finalmente assinalo a importância da ciência pós-normal e da interdisciplinaridade como caminhos que podem contribuir no desenvolvimento e compreensão da complexidade desta questão. Os resíduos sólidos da indústria da confecção precisam ser observados sob diversos pontos de vista, considerando o meio ambiente por meio da sustentabilidade, as normativas legais por meio do governo e o ponto de vista do empresário. Não basta apenas a atuação do governo, mas uma participação mais ampla por parte dos empresários e mesmo da comunidade envolvida com essa problemática, portanto a interdisciplinaridade e a ciência pós-normal mostram-se ferramentas importantes que auxiliam na compreensão das variáveis que fazem parte dessa problemática.


Palavras-chave


Ciência; Confecção; Resíduos

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ABIT. Dados gerais da indústria da moda brasileira referentes ao ano de 2011, 2011. Disponível em: http://www.texbrasil.com.br/texbrasil/SobreSetor.aspx?tipo=15&pag=1&nav=0&tela=SobreSetor.

ABNT, NBR 10.004, Resíduos sólidos: classificação. Associação Brasileira de NormasTécnicas, Rio de Janeiro, 2004. Disnponível em: http://www.aslaa.com.br/legislacoes/NBR%20n%2010004-2004.pdf.

ALVARENGA, A. et al. Histórico, fundamentos filosoficos e teórico-metodologicos da interdisciplinaridade. In: PHILIPPI, A. et al. Interdisciplinaridade em Ciência, Tecnologia e Inovação. Manole, São Paulo, 2011

ARAÚJO, Mário de. Tecnologia do vestuário. Lisboa: Fundaçao Calouste Gulbenkian, 1996.

BECK, Ulrich. La sociedad del riesgo mundial. Barcelona: Paidós, 2008.

BERLIM, Lilyan. Moda e sustentabilidade: uma reflexão necessária. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2012.

CARDOSO, Patrícia M.; ANGELIS NETO, Generoso de. Diagnóstico dos resíduos sólidos de uma cadeia produtiva têxtil- um estudo de caso. In: VII EPCC: Encontro Internacional de produção científica, 2011.

CNTL. Produção mais limpa em confecções. Disponível em: www.senairs.org.br/cntl.Acessado em: 15 mai. 2009.

CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Disponível em: www.mma.gov.br/conama. Acessado em: 19 de agosto de 2013.

CURRAN, Dean. Risk society and the distribution of bads: theorizing class in the risk society. The British Journal of Sociology 2013.

DAFRA. Sustainable Clothing Action Plan. Published by the Department for Environment, Food and Rural Affairs. London, 2010.

DREW, David. Processos interativos homem-meio ambiente. 5º Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

EPA. Profile of the Textile Industry. Office of Enforcement and Compliance Assurance. U.S. Environmental Protection Agency. Washington, DC, 1997.

FLETCHER, Kate & GROSE, Lynda: Moda & Sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Editora Senac, 2011.

FUNTOWICZ, S. O. y RAVETZ, J. Post Normal Science. International Society for Ecological Economics: 2003.

GUIMARAES, Bárbara; MARTINS, Suzana Barreto. Proposta de metodologia de prevenção de resíduos e otimização de produção aplicada à indústria de confecção de pequeno e médio porte. PROJÉTICA, v. 1, p. 184-200, 2010.

HERTWICH. Edgar G. et al. Assessing the Environmental Impacts of Consumption and Production: Priority Products and Materials. A Report of the Working Group on the Environmental Impacts of Products and Materials to the International Panel for Sustainable Resource Management. UNEP, 2010.

JAMIESON, Dale. Ética e Ambiente. São Paulo: SENAC, 2010.

LIMA JUNIOR, F. R. ; FRACAROLLI, R. L. ; GALDAMEZ, E. V. C. . Gestão de Resíduos Têxteis: Um Estudo de Caso em Um Arranjo Produtivo do Setor de Vestuário. In: XII Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente, 2010. Anais do XII Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente, 2010.

MACIEL, Dulce Maria Holanda. Materiais têxteis e a sustentabilidade. In: VIII Colóquio de Moda, 5º Congresso Internacional. 8º, 2012, Rio de Janeiro, anais VIII Colóquio de Moda, 2012.

MARTINUZZI, André; et al. CSR Activities and Impacts of theTextile Sector. Research Institute for Managing Sustainability (RIMAS). Vienna University of Economics and Business. Vienna, Austria. 2011.

MARTÍNEZ ALIER. Joan. O Ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. Contexto: São Paulo, 2007.

MILAN, Gabriel Sperandio. et al. Um estudo sobre a redução de resíduos têxteis e de impactos ambientais em uma indústria de confecções do vestuário. In: VI Congresso de Excelência em Gestão. Agosto de 2010.

PHILIPPI, A. et al. Interdisciplinaridade em Ciência, Tecnologia e Inovação. Manole, São Paulo, 2011.

RAMOS, Fabiana M. S. Tratamento de resíduos sólidos da indústria têxtil. Dissertação de Mestrado - Engenharia Química, área de Gestão, Controle e Preservação Ambiental. Universidade estadual de Maringá: Maringá, 2009.

SENAI. Produção mais Limpa em Confecções. SENAI - Departamento Regional do Rio Grande do Sul. – Porto Alegre, 2007.

SINDVEST. Time de celebridades marcam Semana de Moda do Maringá Fashion Mix Primavera/ Verão 2013. Disponível : http://www.sindvestmaringa.com.br/site/noticias/time-de-celebridades-marcam-semana-de-moda-do-maringa-fashion-mix-primavera--verao-2013/18. acesso em: 13/10/2012.

VAN DE HOVE, Sybille. A rationale for Science-Policy Interfaces. Elsevier: 2007.

VIDIGAL. Vinícius Gonçalves. et al. Interação, cooperação e ações conjuntas no arranjo produtivo local (APL) de confecção de Maringá. In: Acta Scientiarum. Human and Social Sciences. Maringá, v. 31, n. 2, p. 123-129, 2009.

WALTERS, A. et al. An Overview of Textiles Processing and Related Environmental Concerns. Greenpeace Research Laboratories, Department of Biological Sciences, University of Exeter, Exeter EX4 4PS, UK. 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130835572

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.