Metadiscurso na perspectiva de Hyland: definições, modelos de categorização e possíveis contribuições

Adriana da Silva

Resumo


Metadiscurso é um campo de estudo que recebeu muita atenção em diferentes áreas do estudo da linguagem a partir de diferentes perspectivas teóricas e pode ser considerado como a corporificação das relações de interação entre interlocutores através do texto. Pensando nas dificuldades de definição do termo metadiscurso e na barreira da língua, este artigo tem a intenção de apresentar as definições comumente usadas, indicar alguns modelos ou quadros teóricos que trabalham com esse conceito e indicar possíveis aplicações desses estudos. Apresentam-se algumas perspectivas teóricas e práticas no estudo dessa temática e pretende oferecer subsídio para futuras pesquisas em diferentes esferas sociais.


Palavras-chave


Metadiscurso; Interação; Posicionamento/instanciamento; Engajamento; Escrita

Texto completo:

PDF

Referências


ADEL, Annelie. Metadiscourse in L1 and L2 English. Philadelphia: John Benjamins. 2006.

AMIRYOUSEFI, Mohammad; RASEK, Abbass Eslami. Metadiscourse: definitions, issues and its implications for English teachers. English language teaching, v. 3, n.4, 2010, p. 159-167. Disponível em: http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1081977.pdf . Acesso em: 12 jan. 2016.

BEAUGRAND, Robert de. New foundations for a Science of text and discourse: cognition, communication, and freedom of access to knowledge and society. Norwood, New Jersey: Ablex, 1997.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Metadiscursividade, argumentação e referenciação. Estudos linguísticos, São Paulo, v. 38, 1998, p.345-354.

CRISMORE, Avon. Talking with readers: metadiscourse as rhetorical act. New York: Longman, 1989.

CRISMORE, Avon; FARSNWORTH, Rodney. Metadiscourse in Popular and Professional Science Discourse. In: W. NASH (ed.), The Writing Scholar: Studies in Academic Discourse. Newbury Park, Sage, 1989.

FARIA, Maria da Graça dos Santos. A metadiscursividade em redações dissertativas de vestibulandos. Fortaleza, 2009.117 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará. Departamento de Letras Vernáculas, 2009.

FLOWERDEW, John. Revisiting metadiscourse: conceptual and methodological issues concerning signaling nouns. Ibérica, v. 29, p.15-34, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/281959046_Revisiting_metadiscourse_Conceptual_and_methodological_issues_concerning_signalling_nouns. Acesso em: 30 jan. 2017.

FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2015.

HALLIDAY, Michael Alexander Kirkwood; HASAN, Ruqaiya. Cohesion in spoken and written English. Longman: Londres, 1976.

HALLIDAY, Michael Alexander Kirkwood. An introduction to functional grammar. London: Edward Arnold, 1994.

HARRIS, Randy Allen. Rhetoric of science. College English, v 53, 1959, p. 282-307.

HYLAND, Ken. Persuasion and Context: the pragmatics of academic metadiscourse. In: Journal of curriculum studies. Vol. 30, 1998a, p. 437-455. Disponível em:< http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0378216698000095>. Acesso em 10 jan. 2017.

HYLAND, Ken. Directives: argument and engagement in academic writing. Applied Linguistics, v.23, 2002, p.215-239. Disponível em: < http://www2.caes.hku.hk/kenhyland/files/2012/08/Directive_arguments-and-engagement-in-academic-writing.pdf>. Acesso em: 30 jan. 2017.

HYLAND, Ken. Self-citation and self-reference: credibility and promotion in an academic publication. Journal of the American society for information science and technology, v. 54, 2003, p.251-259. Disponível em:< https://www.researchgate.net/publication/220435626_Self-citation_and_Self-reference_Credibility_and_Promotion_in_Academic_Publication>. Acesso em: 08 dez. 2016.

HYLAND, Ken. Metadiscourse: exploring interaction in writing. Continuum: Londres, 2005a.

HYLAND, Ken. Stance and engagement: a model of Interaction in Academic Discourse. In: Discourse Studies. Sage publications, 2005b. Disponível em: http://www2.caes.hku.hk/kenhyland/files/2012/08/Stance-and-engagement_a-model-of-interaction-in-academic-discourse.pdf Acesso em: 08 jan. 2017.

HYLAND, Ken. Writing in the disciplines: research evidence for specificity. Taiwan International ESP Journal, v.1, 2009, p.5-22. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2017.

HYLAND, Ken. Disciplinary identities: individuality and community in academic discourse. Cambridge: Cambridge, 2012.

HYLAND, Ken; TSE, Polly. Metadiscourse in academic writing: A reappraisal. Applied linguistics 25, v. p. 156-177. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2016.

HU, Guangwei; CAO, Feng. Disciplinary and paradigmatic influences on interactional metadiscourse in research articles. English for academic purposes, v.39, p.12-25, 2015.Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2017.

KWAN, Becky Siu Chu; CHAN, Hang. An investigation of source use in the results and the closing sections of empirical articles in information systems: in search of a functional-semantic citation typology for pedagogical purposes. Journal of English for Academic Purposes, v.14, p. 29-47, 2014.

KOCH, Ingedore Villaça. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002.

KOCH, Ingedore Villaça; ELIAS, V. M. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: contexto, 2009.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008.

PINTON, Francieli Matzembacher. O jornalista, o especialista e professor leitor: relações diretivas na revista Nova Escola. Escrita. Nilópolis, v.4, n.2, Especial, 2013. Disponível em: http://www.uniabeu.edu.br/publica/index.php/RE/article/view/715. Acesso em: 10 jan. 2017.

ROCHA, Silmara Ferreira da. Funções discursivas dos marcadores metadiscursivos no gênero carta ao leitor. Dissertação de Mestrado submetida ao Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará – UFC, como parte dos requisitos necessários para a obtenção do título de Mestre em Linguística. 2011. 105f.

SILVA, Carla Luciana. A Carta ao Leitor de Veja: um estudo histórico sobre editoriais. Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo, v.32, n.1, p. 89-107, jan./jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2017.

VANDE KOPPLE, William. Some exploratory discourse on metadiscourse. In: College Composition and Communication, v. 36, 1985, p.82-93. Disponível em: . Acesso em 10 dez. 2016. Letras, Santa Maria, v. 27, n. 54, p. 41-67, jan./jun. 2017.

VIAN JR., Orlando. Sistema de avaliatividade e os recursos para gradação em Língua Portuguesa: questões terminológicas e de instanciação. DELTA. Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, v. 25:1, p. 99-129, 2009. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2017.

VIAN JR., Orlando. Avaliatividade, engajamento e valoração. DELTA. Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada (Online), v. 28, p.105, 2012. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2017.

WILLIAMS, Joseph M.. Style: Tem lessons in clarity and Grace. Glenview, IL: Scott Foresman, 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2176148525732

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Letras



 

                      

 

                

 

                

 

    

  

   

 

  

 

 

                                     QUALIS/CAPES: Letras A2

                              ISSN Versão Impressa: 1519-3985

                              ISSN Versão Digital: 2176-1485



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.