Estímulos geradores da raiva em estudantes com deficiência intelectual sob a perspectiva da Educação Emocional

Taísa Caldas Dantas

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar os principais estímulos geradores da emoção da raiva em estudantes com deficiência intelectual a partir dos princípios da Educação Emocional. Diante de uma realidade de preconceito e exclusão vivenciada pelas pessoas com deficiência, o que afeta diretamente as suas emoções, a emoção da raiva é comumente vivenciada por esse grupo social, muitas vezes, de forma inconsciente e afetando diretamente seu bem-estar. Nesse contexto, a Educação Emocional surge como ferramenta pedagógica que deve ser incluída na escola, uma vez que oferece a possibilidade de o sujeito educar-se emocionalmente. O argumento central que norteia este estudo é que a emoção da raiva, quando vivenciada de maneira saudável através da Educação Emocional, pode contribuir para a superação de situações de vulnerabilidade que marcam a vida das pessoas com deficiência. Esta pesquisa adere à abordagem qualitativa e foi realizada por meio da observação direta e da entrevista semiestruturada, com 27 jovens com deficiência intelectual da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os resultados deste estudo apontam a importância da vivência da raiva de maneira saudável e consciente através dos princípios da Educação Emocional, pois esta emoção pode proporcionar motivação para o rompimento de situações de vulnerabilidade em pessoas com deficiência.


Palavras-chave


Educação Emocional; Raiva; Deficiência Intelectual.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ARONSON, Ellen. Prejudice. In: The Social Animal. New York: Worth Publishers/W.H. Freeman and Company, 1999. p. 304-363.

BISQUERRA, Rafael Alzina. Educación Emocional y Bienestar. Espanã. Wolter Kluwer Educación. 2000.

CASANOVA, Nuno; SIQUEIRA, Sara; MATOS e SILVA, Vitor. Emoções. 2009. Disponível em: . Acesso em: Agosto de 2018.

CASASSUS, Juan. Fundamentos da Educação Emocional. Brasília: UNESCO, Liber Livros Editora, 2009.

CHAUÍ, Marilena. Participando do debate sobre mulher e violência. Perspectivas Antropológicas da Mulher v.4, p. 23-62, 1984.

CROCHÍK, José Leon. Preconceito, indivíduo e sociedade. Temas em psicologia. Vol.4 no.3 Ribeirão Preto dez. 1996. Universidade de São Paulo. Versão impressa ISSN 1413- 389X.

CRUZ, Daniel Marinho Cesar da.; SILVA, Juliana Testa; ALVES, Heliana Castro. Evidências sobre violência e deficiência: implicações para futuras pesquisas. Revista Brasileira de Educação Especial. Marília, v. 13, n. 1, p. 131-146, 2007

DAMÁSIO, Antonio. Em busca de Espinosa: prazer e dor na ciência dos sentimentos. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

DE MOURA, Cristiane Faiad; PASQUALI, Luiz. Construção de um teste objetivo de resistência à frustração. Psico USF, Itatiba, v. 11, n. 2, p. 137-146, dez. 2006. Disponível em . Acesso em Agosto de 2018.

GAUDENZI, Paula; ORTEGA, Francisco. Problematizando o conceito de deficiência a partir das noções de autonomia e normalidade. Ciência & Saúde Coletiva, 21(10):3061- 3070, 2016.

LOPES NETO, Aramis. Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de Pediatria- Vol. 81, No5(Supl), 2005.

MARTINS, José Maria. A lógica das emoções na ciência e na vida. Editora Vozes, Petrópolis, 2004.

MOOIJ, Ton. Differences in pupil characteristics and motives in being a victim, perpetrator and witness of violence in secondary education. Res Papers Educ. 2011; 26(1):105-2.

NAVAS, José Miguel Mestre. e BOZAL, R. G. La Regulación de las Emociones. Madrid: Ediciones Pirámide, 2012.

NEVES, Tânia Regina Levada. Educar para a cidadania: promovendo a auto-advocacia em grupos de pessoas com deficiência. São Carlos: UFSCAR, 2005. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos.

POSSEBON, Elisa Gonsalves. As emoções básicas: medo, tristeza e raiva. Libellus. João Pessoa, 2017a.

POSSEBON, Elisa Gonsalves. O universo das emoções: uma introdução. Libellus. João Pessoa, 2017b.

SILVA, Adriana Nunan do Nascimento. Homosexualidade e Discriminação: o preconceito sexual internalizado. 2007. Disponível em: . Acesso em: Agosto de 2018.

SILVA, Luciene. Maria da. A deficiência como expressão da deficiência. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 44. p. 111-133. dez. 2006a. Disponível em: Acesso em: dez. 2018.

SILVA, Luciene Maria da. O estranhamento causado pela deficiência: preconceito e experiência. Revista Brasileira de Educação v. 11 n. 33 set./dez. 2006b. Disponível em: Acesso em: dez. 2018.

WILLIAMS, Lucia Cavalcanti de Albuquerque. Sobre deficiência e violência: reflexões para uma análise de revisão de área. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, Jul.-Dez. 2003, v.9, n.2, p.141-154. Disponível em: Acesso em: dez. 2018.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X44426

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________