Experiência de pessoas com deficiência no ensino superior: um olhar sobre a vivência de empoderamento e autoadvocacia

Taísa Caldas Dantas

Resumo


Este artigo tem como foco a experiência de estudantes com deficiência no ensino superior. Seu objetivo é analisar como a inserção de pessoas com deficiência nesse nível de ensino conduz a vivência  do empoderamento e da autoadvocacia e rompe com o isolamento social. A história ilumina que não é de hoje que as experiências de exclusão marcam a vida do grupo social constituído pelas pessoas com deficiência, o qual permanece em uma situação de desvantagem social intensa. Esta pesquisa se insere no campo de conhecimento dos Estudos Culturais em Educação, e aderiu à abordagem de pesquisa qualitativa, em que foram analisadas as vozes de estudantes com deficiência da Universidade Federal da Paraíba. Os achados desta pesquisa revelam que a inserção no ensino superior gera  autonomia e a participação; a universidade é um ambiente que cria oportunidades para que pessoas com deficiência interajam com pessoas sem deficiência, gerando um círculo de amizades; a presença de estudantes com deficiência na universidade pode trazer também a não aceitação delas por parte dos/as outros/as colegas, os/as quais não conseguem compreender a posição de autoadvogadas; as práticas docentes são elementos-chave para favorecer ou não o processo de empoderamento de pessoas com deficiência.


Palavras-chave


Pessoas com deficiência. Ensino superior. Autoadvocacia. Empoderamento

Texto completo:

PDF

Referências


BERESFORD, P. Empowerment and Emancipation. Encyclopedia of Disability. Ed. Gary L. Albrecht. Vol. 2. Thousand Oaks, CA: SAGE Reference, 2013. 593-601. Gale Virtual Reference Library. Web. 22 Oct. 2013. Disponível em:

. Acesso em: 20 ab. 2014.>

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Imprensa Oficial, 1988.

________. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

________. INEP. Ministério da Educação. Resumo Técnico: Censo da Educação Superior (2009) . Disponível em: Acesso em 10/02/2012.

________. Decreto n° 7.612/2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência: Plano Viver sem Limites. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2013.

CORAGGIO, J. L. Propostas do Banco Mundial para a educação: sentido oculto ou problemas de concepção? In: TOMMASI, Lívia de; WARDE, Miriam Jorge e HADDAD, Sérgio (Orgs.). O Banco Mundial e as políticas educacionais. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

COSTA, M. V.; SILVEIRA, R. H.; SOMMER, L. H. Estudos Culturais, educação e pedagogia. In: Revista Brasileira de Educação. Maio/Jun/Jul/Ago, Nº 23, 2003, p. 36 -61.

DANTAS, T. C. Jovens com deficiência como sujeito de direitos: o exercício da autoadvocacia como caminho para o empoderamento e a participação social. João Pessoa: UFPB, 2011. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba, 2011.

ESCOSTEGUY, A. C. D. Cartografias dos Estudos Culturais: uma Versão Latino Americana. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

FARIAS, A. Q. de. Gênero e Deficiência: Vulnerabilidade Feminina, Ruptura e superação. Dissertação de Mestrado, apresentada ao Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), 2011.

FERREIRA, W. B. Invisibilidade, crenças e rótulos: Reflexão sobre a profecia do fracasso educacional na vida de jovens com deficiência. IV Congresso Brasileiro sobre Síndrome de Down. Família, a gente da inclusão. 09-11 de Setembro de 2004. Bahia. Disponível em: Acesso em 04 mar. 2012

_________. EJA e Deficiência: estudo da oferta da modalidade EJA para estudantes com deficiência. In: AGUIAR, Márcia Angela (Org.). Educação de Jovens e Adultos: o que dizem as pesquisas. Recife: Gráfica J. Luiz Vasconcelos, 2009, p. 75-128.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Edições Paz e Terra, 1970.

GARNER, P.; SANDOW, S. Advocacy, Self-advocacy and Special Needs. London: David Fulton, 1995.

GLAT, R. Auto-defensoria / Auto-gestão: movimento em prol da autonomia de pessoas com deficiência mental - uma proposta político-educacional. Anais do 9º Congresso Estadual das APAEs de Minas Gerais, disponível em CDRom. Belo Horizonte/MG, 2004.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1988.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed .Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

JOHNSON, R.; SILVA, T. T. da (Org. e trad.). O que é, afinal, Estudos Culturais? 3. ed. 1 reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2006a.

KINCHELOE, J. L; MCLAREN, P. Repensando a teoria crítica e a pesquisa qualitativa. In: DENZIN, Norman K. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens / tradução: Sandra Regina Netz. Porto Alegre: Artmed, 2006, p. 15-35.

McVILLY, K. R.; Roger J. S.; Trevor, R. P; Rosanne, M. B. S. Self-advocates have the last say on friendship. Disability & Society. Vol. 21, No. 7, December 2006, pp. 693–708.

NEVES, L. de A. Memória, história e sujeito: substratos da identidade. História Oral. Vol. 03, p. 109-16. Minas Gerais, 2000.

NEVES, T. R. L. Educar para a cidadania: promovendo a autoadvocacia em grupos de pessoas com deficiência. São Carlos: UFSCAR, 2005. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos.

POUPART, J.; DESLAURIERS, J. P.; GROULX, L. H.; LAPERRIÉRE, A.; MAYER, R.; PIRES, A. A pesquisa qualitativa: Enfoques epistemológicos e metodológicos. Tradução de Ana Cristina Nasser. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

SKLIAR, C.. Pedagogia (Improvável) da Diferença: e se o outro não estivesse aí? Rio de Janeiro: Editora DP&A, 2003.

SOARES, A. M. M. Nada sobre nós sem nós: formando jovens com deficiência para o exercício da autoadvocacia. João Pessoa: UFPB, 2010. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba, 2010.

WEHMEYER, M. L.; AGRAN, M.; HUGHES, C. Teaching self-determination to students with disabilities: basic skills for successful transition. PH Brookes Publishing Company, 1998.

WILLIAMS, P.; SHOULTZ, B. We can speak for ourselves: self-advocacy by mentally handicapped people. London: Souvenir, 1982.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X26760

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________