Fator de cubicação para toretes de <i>Eucalyptus grandis </i>e sua variação com o tempo de exposição ao ambiente.

Autores

  • Marcos Vinicios Barros UFSM
  • César Augusto Guimarães Finger
  • Paulo Renato Schneider
  • Elio José Santini

DOI:

https://doi.org/10.5902/19805098515

Palavras-chave:

<i>Eucalyptus grandis</i>, fator de cubicação, torete, pilha de madeira.

Resumo

O volume de madeira em metro estere algumas vezes necessita ser convertido em metro cúbico estimando-se um fator de cubicação (Fc). Objetivando determinar o Fc para Eucalyptus grandis e sua variação em toretes de 1 e de 2,3 m de comprimento em exposição ao ambiente, foram confeccionadas seis pilhas de toretes nas dimensões 3 x 2 x 1 m e seis pilhas nas dimensões 3 x 2 x 2,3 m, instaladas no verão e no inverno. Os Fc's médios obtidos por razão de volumes apresentaram menor variação em comparação aos obtidos por contagem angular. A análise estatística indicou diferença (α < 5%) nas variáveis do efeito principal, isto é: na estação climática (F = 18,72), no tempo de exposição (F = 6,51) e no comprimento do torete (F = 35,18). A análise da correlação indicou que o Fc também foi influenciado pelas rachaduras de topo, pela umidade da madeira e pelas variáveis atmosféricas. Os valores médios dos Fc's indicaram uma estabilização após noventa dias da instalação das pilhas. Os toretes de Eucalyptus grandis apresentaram variação dimensional quando expostos ao ambiente, fazendo o Fc variar no tempo de exposição ao ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRAE, F. Métodos de medição de madeira na indústria florestal - quantificação do volume, peso e sortimentos como vínculo entre produção da floresta e a quantidade transformada na indústria. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO SOBRE MANEJO FLORESTAL, 2., 2001, Santa Maria. Anais... Santa Maria: PPGEF/UFSM, 2001. p. 69-80.

COUTO, H. T. Z.; BASTOS, N. L. M. Fator de empilhamento para plantações Eucalyptus no Estado de São Paulo. Circular Técnica IPEF, Piracicaba, n. 38, p. 23-27, 1988.

FINGER, C. A. G. Fundamentos de biometria florestal. Santa Maria: UFSM, 1992. 269p.

GARCIA, C. H. Tabelas para classificação do coeficiente de variação. Piracicaba: IPEF, 1989. (Circular Técnica,171).

GOMES, F. P. Curso de estatística experimental. Piracicaba : Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiros” : Nobel, 1990. 467p.

KEGRER, L. L.; SARTORI, M. G. B. Análise pluviométrica em Santa Maria no período de 1993 a 2000. Santa Maria, 2002. (Trabalho de graduação apresentado à UFSM).

MACHADO, S. A.; FIGUEIREDO FILHO, A. Dendrometria. Curitiba : Universidade Federal do Paraná, 2003. 309p.

PAULA NETO, F.; REZENDE, A. V.; CAMPOS, J. C. C.; REZENDE, J. L. P. Análise do comportamento dos fatores de empilhamento para Eucalyptus grandis. Revista Árvore, Viçosa, v.17, n.1, p. 45-59, 1993.

PIMENTEL-GOMES, F.; GARCIA, C. H. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais: exposição com exemplos e orientações para uso de aplicativos. Piracicaba: FEALQ, 2002. 309 p.

SCHNEIDER, P. R. Análise de regressão aplicada a engenharia florestal. Santa Maria: UFSM/CEPEF, 1998. 124p.

REZENDE, A. V.; PAULA NETO, F. Estudo dos fatores de empilhamento para Eucalyptus grandis, em função do tempo de secagem dos toros nas pilhas. Viçosa, Minas Gerais. Revista Árvore, Viçosa, v. 15, n. 3, p.207-327, 1991.

REZENDE, M. A. Retratibilidade da madeira de Pinus caribaea var. hondurensis e de Eucayptus grandis e suas relações com a umidade e densidade. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 64, p. 120-127, dez. 2003.

Downloads

Publicado

30-03-2008

Como Citar

Barros, M. V., Finger, C. A. G., Schneider, P. R., & Santini, E. J. (2008). Fator de cubicação para toretes de <i>Eucalyptus grandis </i>e sua variação com o tempo de exposição ao ambiente. Ciência Florestal, 18(1), 109–119. https://doi.org/10.5902/19805098515

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 > >>