Imbuia multissecular: caracterização morfológica das fibras da madeira de <i>Ocotea porosa</i> (Nees & Mart.) Barroso no sentido radial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1980509847439

Palavras-chave:

Anatomia da madeira, Árvores gigantes, Dimensões das fibras, Dendrocronologia

Resumo

O objetivo do presente estudo foi realizar a avaliação morfológica das fibras da madeira de imbuia (Ocotea porosa) ao longo das camadas de crescimento de uma árvore multissecular. A amostra utilizada foi resgatada em 2018 de um corte ilegal e doada à UFSC pela Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina. Foi retirado um disco a 2,3 m de altura, sendo medida a série completa de crescimento da medula à casca. A amostra foi datada com outras árvores vivas nos seus primeiros 91 anos por pesquisadores colaboradores que concluíram que esta apresenta 533 anos em um raio de 95 cm. A partir disso, retirou-se uma bagueta radial do disco, que foi marcada em porções a cada 10% no sentido medula-casca (0% = próximo à medula, 100% = próximo à casca), totalizando 11 posições. Cada uma dessas porções foi submetida ao processo de maceração, visando à individualização das fibras para mensuração das dimensões de comprimento, largura, diâmetro do lúmen e espessura da parede celular, bem como dos indicadores anatômicos de fração parede, coeficiente de flexibilidade, índice de enfeltramento e índice de Runkel. A árvore apresentou um ritmo de crescimento oscilante ao longo de sua vida, o que se constatou pelos diferentes números de anéis nas porções radiais amostradas, indicando períodos de crescimento mais lento e outros mais acelerados. As dimensões das fibras e os indicadores anatômicos variaram de forma significativa no sentido radial (medula-casca), com exceção do diâmetro do lúmen e do índice de enfeltramento. Estudos com árvores centenárias ou multisseculares são raros, assim, tais avaliações possibilitam conhecer um pouco mais sobre uma das espécies mais relevantes do sul do Brasil.

Biografia do Autor

Magnos Alan Vivian, Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC

Engenheiro Florestal, Dr., Professor do Departamento de Agricultura, Biodiversidade e Florestas, Campus de Curitibanos, Universidade Federal de Santa Catarina, Rod. Ulysses Gaboardi, km 3, CEP 89520-000, Curitibanos (SC), Brasil.

Marcelo Callegari Scipioni, Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC

Engenheiro Florestal, Dr., Professor do Departamento de Agricultura, Biodiversidade e Florestas, Campus de Curitibanos, Universidade Federal de Santa Catarina, Rod. Ulysses Gaboardi, km 3, CEP 89520-000, Curitibanos (SC), Brasil.

Thaisa do Nascimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC

Engenheira Florestal, Campus de Curitibanos, Universidade Federal de Santa Catarina, Rod. Ulysses Gaboardi, km 3, CEP 89520-000, Curitibanos (SC), Brasil.

Olávio Rosa Neto, Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, SC

Engenheiro Florestal, Campus de Curitibanos, Universidade Federal de Santa Catarina, Rod. Ulysses Gaboardi, km 3, CEP 89520-000, Curitibanos (SC), Brasil.

Referências

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Portaria no 443, de 17 de dezembro de 2014: Lista nacional oficial de espécies da flora ameaçadas de extinção. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 245, p. 110-121, 18 dez. 2014. Disponível em: http://cncflora.jbrj.gov.br/portal/static/pdf/portaria_mma_443_2014.pdf. Acesso em: 23 mar. 2020.

CORADIN, V. T. R.; CAMARGOS, J. A. A. A estrutura anatômica da madeira e princípios para a sua identificação. Brasília: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos, 2002. 28 p.

CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Florestas, 2003. 1039 p.

CURY, G.; TOMAZELLO FILHO, M. Descrição anatômica de espécies de madeira utilizadas na construção civil. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 18, n. 3, p. 227-236, 2011.

HOLMES, R. L. Computer-assisted quality control in tree-ring dating and measurement. Tree-Ring Bulletin, Tucson, v. 43, p. 69-78, 1983.

INTERNATIONAL ASSOCIATION OF WOOD ANATOMISTS COMMITTEE. List of microscopic features for hardwood identification. IAWA Bulletin, Leiden, v. 10, n. 3, p. 219-332, 1989.

KLOCK, U. Polpa e Papel – Propriedades do papel. Curitiba: UFPR, 2013. 53 p. Disponível em: http://www.madeira.ufpr.br/disciplinasklock/polpaepapel/papelpropriedades2013.pdf. Acesso em: 13 maio 2020.

LARSSON, L. Cybis CooRecord. Saltsjöbaden: Cybis Elektronik & Data AB, 2014a. Disponível em: www.cybis.se. Acesso em: 15 jun. 2020.

LARSSON, L. Cybis dendro dating program. Saltsjöbaden: Cybis Elektronik & Data AB, 2014b. Disponível em: www.cybis.se. Acesso em: 15 jun. 2020.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Editora Plantarum, 19925. v. 1. 352 p.

MAGENTA, Matheus. Árvore gigante rara de 535 anos foi derrubada em Santa Catarina para virar cerca. Londres: BBC Brasil News, 29 nov. 2019.

MANIMEKALAI, V.; PAVICHANDRAN, P.; BALASUBRAMANIAN, A. Fibres of Sorghum bicolor (L.) Moench and their potential use in paper and board making. Phitomorphology, [s. l.], v. 52, n. 1, p. 55-59, 2002.

MARCHESAN, R. et al. Caracterização física, química e anatômica da Madeira de Ocotea porosa (Nees & C. Mart.) Barroso. Colombo: Embrapa Florestas, 2006. 3 p. (Comunicado Técnico, 161).

METCALFE, C. R.; CHALK, L. Anatomy of the dicotyledons - Wood structure and conclusion of the general introduction. 2nd ed. Oxford: Clarendon Press, 1983. v. 2. 308 p.

METZGER, J. P. et al. Time-lag in biological responses to landscape changes in a highly dynamic Atlantic forest region. Biological Conservation, Essex, v. 142, n. 6, p. 1166-1177, 2009. DOI: https://doi.org/10.1016/j.biocon.2009.01.033

NISGOSKI, S. Espectroscopia no infravermelho próximo no estudo de características da madeira e papel de Pinus taeda L. 2005. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

NISGOSKI, S. et al. Características anatômicas da madeira e índices de resistência do papel de Schizolobium parahyba (Vell.) Blake proveniente de plantio experimental. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 40, n. 94, p. 203-211, 2012.

REIS-AVILA, G.; OLIVEIRA, J. M. Lauraceae: a promising family for the advance of neotropical dendrochronology. Dendrochronologia, [s. l.], v. 44, p. 103-116, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.dendro.2017.04.002

ROQUETTE, J. G.; LOBO, F. A.; CURADO, L. F. A. Dendroclimatologia na Amazônia: aplicações e potencialidades. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 29, n. 1, p. 451-462, 2019. DOI: https://doi.org/10.5902/1980509831995.

SARTO, C. Avaliação do processo SuperBatchTM para produção de polpa celulósica a partir de Bambusa vulgaris. 2012. Dissertação (Mestrado) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2012.

SCHWEINGRUBER, F. H.; BÖRNER, A.; SCHULZE, E.-D. Atlas of woody plant stems: evolution, structure and environmental modifications. Berlin: Springer, 2006. 229 p.

SCIPIONI, M. C. Troncos de árvores monumentais como indicadores de degradação florestal no sul do Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 29, n. 4, p. 1712-1725, 2019. DOI: https://doi.org/10.5902/1980509835588.

SCIPIONI, M. C. et al. Decline in Giant Tree Numbers: status report for Santa Catarina State and perspectives for Brazil. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 26, n. 4, e20190039, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2179-8087.003919.

SCHÖNGART, J. et al. Dendroecological studies in the neotropics: history, status and future challenges. In: AMOROSO, M. M. et al. (org.). Dendroecology: tree-ring analyses applied to ecological studies. Heidelberg: Springer, 2017. p. 35-73.

SHIMOYAMA, V. R. S.; WIECHETECK, M. S. S. Características da madeira e da pasta termomecânica de Pinus patula var. tecunumanii para produção de papel imprensa. IPEF, Piracicaba, v. 9, n. 27, p. 63-80, 1993.

TOSTES, L. C. L. et al. Morfometria das fibras do sistema radicular de Philodendron bipinnatifidum Schott (Família Araceae; subgênero Meconostigma). Biota Amazônia, Macapá, v. 3, n. 3, p. 15-22, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v3n3p15-22.

VARTY, N.; GUADAGNIN, D. L. Ocotea porosa. In: INTERNATIONAL UNION FOR CONSERVATION OF NATURE AND NATURAL RESOURCES. The IUCN Red List of Threatened Species. Gland, 1998. Disponível em: https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.1998.RLTS.T32978A9739985.en. Acesso em: 14 jun. 2020.

VIVIAN, M. A. et al. Evaluation of yield and lignin extraction from Eucalyptus grandis × Eucalyptus urophylla wood chips with the hydrotropic compound sodium xylenesulphonate (SXS). BioResources, Raleigh, v. 12, n. 3, p. 6723-6735, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.15376/biores.12.3.6723-6735.

Downloads

Publicado

17-11-2021

Como Citar

Vivian, M. A., Scipioni, M. C., Nascimento, T. do, & Rosa Neto, O. (2021). Imbuia multissecular: caracterização morfológica das fibras da madeira de <i>Ocotea porosa</i> (Nees & Mart.) Barroso no sentido radial. Ciência Florestal, 31(4), 2002–2022. https://doi.org/10.5902/1980509847439

Edição

Seção

Nota Técnica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>