Correlações dendroclimatológicas do Eucalyptus grandis Hill ex Maiden na região de Rio Claro, RJ

Bruna Roque Ugulino de Oliveira, João Vicente de Figueiredo Latorraca, Mário Tomazello Filho, Rosilei Aparecida Garcia, Alexandre Monteiro de Carvalho

Resumo


O plantio de florestas comerciais contribui decisivamente na geração de benefícios socioeconômicos e ambientais, conferindo caráter de sustentabilidade aos empreendimentos de base florestal. O Eucalyptus grandis Hill Ex Maiden se destaca por ser uma das espécies mais cultivadas em reflorestamentos no Brasil. O objetivo deste estudo foi determinar as correlações entre a precipitação e a produção da madeira de Eucalyptus grandis com 23 anos de idade provenientes de um plantio comercial no município de Rio Claro, RJ. O incremento anual da madeira foi determinado através da técnica da densitometria de raios X, a qual permitiu a obtenção de um perfil detalhado da densidade na direção radial para cada amostra. Considerou-se como um ano de vida da árvore, o período decorrido para a formação de dois anéis outonais consecutivos, ou seja, dois picos de alta densidade (REZENDE e FERRAZ, 1985 e FERRAZ, 1993). Os resultados mostraram uma correlação positiva entre os dados de precipitação e o incremento anual da madeira, denotando o potencial dendroclimatológico da espécie nessa Região.


Palavras-chave


anéis de crescimento; densitometria de raios X; precipitação

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, A. C. B. Implantação da metodologia de densitometria de raios X em madeira. 1990. 109 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 1990.

BRIENEN, R. J. W.; ZUIDEMA, P. A. Relating tree growth to rainfall in Bolivian rain forests: a test for six species using tree ring analysis. Oecologia, v. 146, p. 1-12, 2005.

CALLADO, C. H.; GUIMARÃES, R. C. Estudo dos anéis de crescimento de Schizolobium parahyba (Leguminosae: Caesalpinioideae) após episódio de mortalidade em Ilha Grande, Rio de Janeiro. Rev. Bras. Bot., São Paulo, v. 33, n. 1, p. 85-91, 2010.

COUTINHO, A. P. Qualidade do carvão vegetal correlacionada com as características da madeira de Eucalyptus saligna e temperatura de carbonização. 1984. 79 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)-Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 1984.

COUTINHO, J. L. B. et al. Avaliação do comportamento de espécies de Eucalyptus spp. na Zona da Mata Pernambucana. I: Resultados do primeiro ano – 2001. Rev. Árvore, Viçosa, v. 28, n. 6, p. 771-775, 2004.

ENCINAS, J. I.; SILVA, G. F.; PINTO, J. R. R. Idade e crescimento das árvores. Brasília: Comunicações Técnicas Florestais, UNB, 2005. 47 p.

FERRAZ, E. S. B. Anéis de crescimento e clima em Eucalyptus. Silvicultura, São Paulo, v. 8, n. 32, p. 821-822, 1993.

FERREIRA, M. Estudo da variação da densidade básica da madeira de povoamentos de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden. 1970. 62 f. Tese (Livre Docência)-Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 1970.

FOELKEL, C. E. B. et al. Variabilidade radial da madeira de Eucalyptus grandis. Silvicultura, São Paulo, v. 8, p. 782-791, 1987.

JACOBY, G. G. Overview of tree ring analyses in tropical regions. IAWA, Leiden, n. 10, p. 99-108, 1989.

LIPHSCHITZ, N. Ecological wood anatomy: changes in xylem structure in Israeli trees. Beijing, Wu Shuming, Wood anatomy research, International Academic Publishers, 1995. 11-15 p.

MATTOS, P. P.; SEITZ, R. A.; SALIS, S. M. Potencial dendroecológico de Tabebuia heptaphylla (Vell.) Toledo. Boletim de Pesquisa Florestal, Colombo, n. 48, p. 93-103, 2004.

MINUZZI, R. B. et al. El Niño: ocorrência e duração dos veranicos do Estado de Minas Gerais. Rev. Bras. de Eng. Agr. e Amb., Campina Grande, v. 9, p. 364-371, 2005.

PALERMO, G. P. M. Parâmetros de qualidade da madeira de Pinus elliottii Engelm. de diferentes idades. 2003. 138 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais)–Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

PANSHIN, A. J.; ZEEUW, C. E. Textbook of wood technology. New York: McGraw-Hill, 1970. 722 p.

OLIVEIRA, J. T. de; TOMAZELLO FILHO, M.; SILVA, J. C. Resistência natural da madeira de sete espécies de eucalipto ao apodrecimento. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 6, p. 993-998, 2005.

RAO, V. B.; SANTO, C. E.; FRANCHITO, S. H. A diagnosis of rainfall over South America during 1997/98 El Niño event. Part I: validation of NCEP-NCAR reanalysis of rainfall data. Journal of Climate, Boston, v. 15, p. 502-511. 2001.

REZENDE, M. A.; FERRAZ, E. S. B. Densidade anual da madeira de Eucalyptus grandis. IPEF, Piracicaba, n. 30, p. 37-41, 1985.

REZENDE, M. A.; FERRAZ, E. S. B. Incrementos anuais de volume, massa e idade ideal de corte para Eucalyptus grandis. IPEF, Piracicaba, n. 32, p. 43-48, 1986.

REZENDE, M. A.; SAGLIETTI, J. R.; CHAVES, R. Variação da massa específica da madeira de Eucalyptus grandis aos 8 anos de idade em função de diferentes níveis de produtividade. Revista Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 53, p. 71-78, 1998.

RASPOPOV, O. M.; DERGACHEV, V. A.; KOLSTRÖM, T. Hale Cyclicity of Solar Activity and Its Relation to Climate Variability. Journal Solar Physics, The Netherlands, v. 224, n. 1-2, p. 455-463, 2004.

RIBEIRO, F. A.; ZANI FILHO, J. Variação da densidade básica da madeira em espécies/procedências de Eucalyptus spp. IPEF, Piracicaba, v. 46, p. 76-85, 1993.

RIGOZO, N. R. et al. Prediction of solar activity on the basis of spectral characteristics of sunspot number. Annales Geophysicae, Göttingen, v. 22, n. 6, p. 2239-2243, 2004.

ROQUE, R. M. Variação da anatomia e da densidade básica da madeira de Gmelina arborea (Roxb.), em diferentes condições de clima e manejo na Costa Rica. 2005. 202 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais)-Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 2005.

SILVA, J. C. Caracterização da madeira de Eucalyptus grandis Hill ex. Maiden, de diferentes idades, visando a sua utilização na indústria moveleira. 2002. 160 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002.

SOUZA, M. J. H. et al. Disponibilidade hídrica do solo e produtividade do eucalipto em três regiões da Bacia do Rio Doce. Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n.3, p. 399-410, 2006.

TOMAZELLO FILHO, M. Variação radial da densidade básica e da estrutura anatômica da madeira do Eucalyptus saligna e Eucalyptus grandis. IPEF, Piracicaba, n. 29, p. 37-45, 1985.

TOMAZELLO FILHO, M. Efeito da irrigação e fertilização nas propriedades do lenho de árvores de Eucalyptus grandis x urophylla. 2006. 146 f. Tese (Livre Docência em Ciência e Tecnologia de Madeira)-Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 2006.

TROVATI, L. R.; FERRAZ, E. S. B. Influência da precipitação e da temperatura na densidade dos anéis de crescimento de Pinus oocarpa. IPEF, Piracicaba, n. 26, p. 31-36, 1984.

VITAL, B. R.; DELLA LUCIA, R. M. Efeito do espaçamento na produção em peso e na qualidade da madeira de Eucalyptus grandis e Eucalyptus urophylla aos 52 meses de idade. Revista Árvore, Viçosa, v. 11, n. 2, p. 132-145, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050983807

Licença Creative Commons