Disponibilidade hídrica e fertilização mineral nas características da madeira e do carvão vegetal de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden

Raissa Tavares Silva, Carlos Roberto Sette Júnior, Mariana Pires Franco, Mario Tomazello Filho, Jean Paul Laclau, Gilles Christophe Chaix

Resumo


As alterações na qualidade da madeira das árvores de Eucalyptus causadas pela fertilização e disponibilidade hídrica podem influenciar as características da biomassa e do carvão vegetal. O objetivo deste trabalho foi avaliar as características da madeira e do carvão vegetal de Eucalyptus grandis sob o efeito da fertilização com potássio e sódio (controle; 4,5 kmol ha-1 de KCl e 4,5 kmol ha-1 de NaCl) e disponibilidade hídrica (100% e 63% das chuvas, com exclusão artificial por lonas em polietileno). Árvores de Eucalyptus de cada tratamento de fertilização x disponibilidade hídrica, com cinco anos de idade, foram cortadas e obtidas amostras, na altura do DAP para a caracterização energética e física da biomassa e do carvão vegetal. A aplicação da fertilização com K e Na não influenciou as características energéticas e físicas da biomassa e do carvão vegetal. A exclusão parcial da água da chuva na plantação florestal de Eucalyptus grandis promoveu alterações nas características da biomassa e do carvão vegetal, com redução do teor de cinzas, aumento da densidade da madeira e do carvão vegetal e rendimento gravimétrico do carvão vegetal.


Palavras-chave


Bioenergia; Potássio; Sódio; Exclusão artificial da chuva

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6922: Carvão vegetal - Ensaios físicos - Determinação da massa específica – Densidade a granel. Rio de Janeiro, 1981.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 11941: madeira, determinação da densidade básica. Rio de Janeiro, 2003. 6 p.

ALMEIDA, J. C. R. et al. Positive growth response to NaCl application in Eucalyptus plantation established K-deficient soils. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 259, p. 1786-1795, apr. 2010.

AMERICAN STANDARD OF TESTING METHODS. ASTM D5865-13. Standard Test Method for Gross Calorific Value of Coal and Coke. West Conshohocken, 2013.

AMERICAN STANDARD OF TESTING METHODS. ASTM E872-82. Standard test method for volatile matter in the analysis of particulate wood fuels. Phyladelphia, 2013.

AMERICAN STANDARD OF TESTING METHODS. ASTM D1102-84. Standard Test Method for Ash in Wood. West Conshohocken, 2013.

ARANTES, M. D. C. et al. Características do carvão de um clone de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden x Eucalyptus urophylla S. T. Blake. Cerne, Lavras, v. 19, n. 3, p. 423-431, jul./set. 2013.

BENLLOCH-GONZÁLEZ, M. et al. Starvation Inhibits Water-stress-induced stomatal closure. Journal of Plant Physiology, Amsterdam, v. 165, p. 623-630, 2008.

BRAND, M. A. et al. Qualidade do carvão vegetal para o consumo doméstico comercializado na Região Serrana Sul de Santa Catarina. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 39, n. 6, p. 1165-1173, 2015.

CABRAL, O. M. R. et al. The energy and water balance of a Eucalyptus plantation in southeast Brazil. Journal of Hydrology, Amsterdam, v. 388, p. 208-216, 2010.

CARTER, J. L.; WHITE, D. A. Plasticity in the Hubervalue contribute est homeostasis in leafwater relation sofa mallee Eucalypt With variation groundwater depth. Tree Physiology, Victoria, v. 29, p. 1407-1418, 2009.

CASTRO, V. R. et al. Efeito da aplicação do potássio, do sódio e da disponibilidade hídrica na densidade aparente a 12% de umidade do lenho juvenil de árvores de Eucalyptus grandis. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 27, n. 3, p. 1017-1027, jul./set. 2017.

ELOY, E. et al. Efeito da idade e do espaçamento de plantio nas propriedades energéticas do Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 40, n. 4, 2016.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (Brasil). Balanço Energético Nacional 2017: ano base 2016. Rio de Janeiro: EPE, 2016. Disponível em: https://ben.epe.gov.br/downloads/Relatorio_Final_BEN_2016.pdf. Acesso em: 01 abr. 2017.

EPRON, D. et al. Do changes in carbonal location account for the grow with response to potassium and sodium application subtropical Eucalyptus plantations. Tree Physiology, Victoria, v. 31, p. 1-13, 2012.

FREITAS, P. C. et al. Efeito da disponibilidade hídrica e da aplicação de potássio e sódio nas características anatômicas do lenho juvenile de Eucalyptus grandis. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 39, n. 2, p. 405-416, 2015.

GONÇALEZ, J. C. et al. Influência do sítio nas propriedades da madeira de Pinus caribaea var. hondurensis. Cerne, Lavras, v. 15, n. 2, p. 251-255, 2009.

GONÇALVES, J. L. M. et al. An evaluation of minimum and intensive soil preparation regarding fertility and tree nutrition. In: GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. (ed.). Forest nutrition and fertilization. Piracicaba: IPEF, 2004. p. 13-64.

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES. Relatório IBÁ 2016. Brasília: IBA, 2017. Disponível em: http://iba.org/images/shared/Biblioteca/IBA_RelatorioAnual2016_.pdf. Acesso em: 26 jun. 2017.

INTERGOVERNMENTAL PANEL OF CLIMATE CHANGES. Climate change 2014: Syntesis report. Geneva: Switzerland, 2014. 56 p.

KLAUTAU, J. P. Análise experimental de uma fornalha a lenha de fluxo co-corrente para secagem de grãos. 2008. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Recursos Hídricos e Ambiental) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008.

KRONZUCKER, H. J.; BRITTO, D. T. Sodium transport in plants: a critical review. New Phytologist, London, v. 189, p. 54-81, 2011.

MAQUERE, V. Dynamics of mineral elements under a fastgrowing Eucalyptus plantations in Brazil: implications for soil sustainability. 2008. Thesis (Ph. D. in Forest Science) – Agro Paris Tech, Paris, 2008.

MARSCHNER, H. Mineral nutrition of higher plants. 2nd ed. London: Academic Press, 1995. 189 p.

NHUCHHEN, D. R.; BASU, P.; ACHARYA, B. A. Comprehensive Reviewon Biomass Torrefaction. International Journal of Renewable Energy & Biofuels, Semarang, v. 14, p. 56, 2014.

PANSHIN, A. J.; DEZEEUW, C. Text book of wood technology. 4th, NewYork: Mcgraw-Hill, 1980.722 p.

PELAEZ-SAMANIEGO, M. R.; GARCIA-PEREZ, M.; CORTEZ, L. B. Improvements of Brazilian carbonization industry as part of the creation of a global biomass economy. Renewable and Sustainable Energy Reviews, Belfast, v. 12, n. 4, p. 1063-1086, may 2008.

PEREIRA, M. P. C. F. et al. Torrefação de cavacos de eucalipto para fins energéticos. Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, v. 36, n. 87, p. 269-275, jul./set. 2016.

SANDS, R.; MULLIGAN, D. R. Waterand nutriente dynamics and tree growth. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 3, p. 91-111, 1990.

SANTOS, D. R. S. et al. Potencial de espécies de bambu como fonte energética. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 44, n. 111, p. 751-758, 2016.

SANTOS, R. C. et al. Correlações entre os parâmetros de qualidade da madeira e do carvão vegetal de clones de eucalipto. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 39, n. 90, p. 221-230, 2011.

SEREGHETTI G. C. et al. Efeito do espaçamento no crescimento e na densidade básica da madeira de Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis em florestas de ciclo curto. Energia na Agricultura, Botucatu, v. 30, n. 3, p. 257-262, 2015.

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO. Sistema nacional de informações florestais. Brasília: SFB, 2016. Disponível em: http://www.florestal.gov.br/snif/producao-florestal/consumo. Acesso em: 26 mai. 2017.

SETTE JUNIOR, C. R. et al. Crescimento em diâmetro do tronco de árvores de Eucalyptus grandis W. Hill. ex.Maiden e a relação com as variáveis climáticas e fertilização mineral. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 34, n. 6, 2010.

SETTE JUNIOR, C.R. et al. Source-driven remobilization of nutrientes withinstem wood in Eucalyptus grandis plantations. Trees, [s. 1.], v. 27, p. 827-839, 2013.

SOUZA, N. D. et al. Estudo de caso de uma planta de carbonização: avaliação de características e qualidade do carvão vegetal visando uso siderúrgico. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 23 n. 2, p. 270-277, 2016.

SUBBARAO, G. V. et al. Sodium: a functional plant nutrient. Plant Science, London, v. 22, p. 391-416, 2003.

URZEDO, D. I. de et al. Effects of organic and inorganic fertilizers on greenhouse gas (GHG) emissions in tropical forestry. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 310, p. 37-44, 2013.

VALE, A. T.; DIAS, I. S.; SANTANA, M. A. E. Relação entre as propriedades químicas, físicas e energéticas da madeira de cinco espécies do cerrado. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 20, n. 1, p. 137- 145, 2010.

WU, Z. et al. Responses of terrestrial ecosystems to temperature and precipitation change: A meta-analysis of experimental manipulation. Global Change Biology, London, v. 17, p. 927-942, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509831387

Licença Creative Commons