VANTAGEM COMPARATIVA E MATRIZ DE COMPETITIVIDADE DO MATE BRASILEIRO E ARGENTINO, NO PERÍODO DE 1997-2011

Elisangela Lobo Schirigatti, João Carlos Garzel Leodoro da Silva, Alexandre Nascimento de Almeida, Anadalvo Juazeiro dos Santos, Neusa de Almeida Rucker

Resumo


Esse artigo teve por objetivo analisar o desempenho das exportações do Brasil e da Argentina no mercado
internacional de mate. O método de análise utilizado refere-se ao Índice de Vantagem Comparativa Revelada
(IVCR) do mate brasileiro e argentino, durante o período de 1997 a 2011. Inicialmente, foi verificada a
existência de quebras estruturais das séries temporais e depois, foram averiguados a taxa de crescimento
de mercado e o Índice de Vantagem Comparativa Revelada Simétrica (IVCRS) que foram utilizados para
identificar a posição do mate de cada país na matriz de competitividade. Os resultados obtidos no período
integral mostraram que tanto o mate brasileiro quanto o argentino apresentaram produtos que possuem
vantagem comparativa (+) dentro de mercados com demanda crescente (+).

Palavras-chave


exportações; competitividade; mercado internacional.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A. N. et al. Análise do mercado dos principais produtos não-madeiráveis do estado do Paraná.

Floresta, Curitiba, v. 39, n. 4, p. 753-763, out./dez. 2009a.

ALMEIDA, A. N. et al. Evolução da produção e preço dos principais produtos florestais não madeireiros

extrativos do Brasil. Cerne, Lavras, v. 15, n. 3, p. 282-287, jul./set. 2009b.

ALMEIDA, A. N.; SILVA, J. C. G.; ANGELO, H. Performance of softwood lumber export of Brasil e

Canadá during the subprime crisis. Scientia Forestalis, Santa Maria, v. 40, n. 94, p. 267-277, 2012.

BAKHSHINEJAD, M.; ZADEH, A. H. Comparative advantage of selected agriculture products in Iran:

a revealed comparative advantage assessment. World Applied Sciences Journal, Deira, v. 19, n. 10, p.

-1452, 2012.

BALASSA, B. ‘Revealed’ comparative advantage revisited: an analysis of relative export shares of the

industrial countries, 1953-1971. The Manchester School of Economic and Social Studies, Manchester,

v. 45, n. 4, 1977.

BALASSA, B. Trade liberalization and ‘revealed’ comparative advantage. The Manchester School of

Economic and Social Studies, Oxford, v. 33, n. 2, p. 99-123, 1965.

BRAKMAN, S. et al. Cross-Border Merger and Acquisition activity and revealed comparative advantage

in manufacturing industries. Journal of Economics and Management Strategy, Massachutts, v. 22, n. 1,

p. 28-57, 2013.

BRASIL, A. A. As exportações brasileiras de painéis de madeira. Dissertação (Mestrado em Ciências

Florestais) – Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Área de economia e política

florestal, Curitiba, 2002.

BRASIL. Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Aliceweb2: exportação 1997 - 2012 NCM

dígitos. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2012.

CARVALHO, K. H. A. et al. Desempenho das exportações brasileiras de papel. Scientia Forestalis,

Piracicaba, v. 38, n. 86, p. 263-271, jun. 2010.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (Brasil). Pesquisa: os problemas da empresa

exportadora brasileira: 2008. CNI: Brasília, 2008. 130 p.

COSTA, S. G. A erva mate. Curitiba: Secretaria do Estado do Planejamento e Coordenação Geral; Scientia

et Labor, 1989.

COUTO, D. L. A.; FERREIRA, A. V. Vantagens comparativas reveladas das exportações do agronegócio

mineiro para a União Européia: Um estudo de comércio exterior no período de 1996 a 2003. In: CONGRESSO

BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 48., 2010, Campo Grande. Anais... [s. l.: s. n],

CD-ROM.

COXHEAD, I. A new resource curse? Impacts of China’s boom on comparative advantage and resourse

dependence in Southeast Asia. World Development, Michigan, v. 35, n. 7, p. 1099-1119, 2007.

DANIEL, O. Erva-mate: sistema de produção e processamento industrial. Dourados: UFGD, 2009. 288 p.

DE PAULA, M. L.; CHOCIAI, J. G. A erva-mate em cosméticos. In: MACCARI JUNIOR, A. (Coord.)

Produtos alternativos e desenvolvimento da tecnologia industrial na cadeia produtiva da erva-mate. Curitiba:

Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Erva-Mate do Paraná; Ministério da Ciência e Tecnologia; Conselho

Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, 2000. p. 136-160.

DIAS, L. C.; GIBBERTT, G. M.; SHIKIDA, P. F. A. Competitividade do açúcar brasileiro no mercado

internacional. Revista de Economia e Agronegócio, Viçosa, MG, v. 4, n. 4, p. 457-484, 2008.

DIETER, M.; ENGLERT, H. Competitiveness in the global forest industry sector: an empirical study with

special emphasis on Germany. European Journal of Forest Research, [s. l.], v. 126, n. 3, p 401-412, 2007.

FAJNZYBERG, F. Inserción internacional e inovación institucional. CEPAL, Santiago, n. 44, p. 137-166, 1991.

FERNANDES, C. L. L.; VIEIRA FILHO, J. E. R. Especialização e competitividade de Minas Gerais no

mercado internacional: um estudo de indicadores de comércio exterior no período de 1992 a 1999. 2000.

Disponível em: Acesso em: 18 set. 2013.

GUJARATI, D. Econometria básica. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

GUO, T.; WANG, Y.; NIE, Y. The study of the trade partner in China’s agricultural products. Advances in

Information Sciences and Service Science, Busan, v. 4, n. 19, p. 373-380, 2012.

HAN, X.; WEN, Y.; KANT, S. The global competitiveness of the Chinese wooden furniture industry. Forest

Policy and Economics, Germany, v. 11, n. 8, p. 561-569, 2009.

HIDALGO, A. B. Especialização e competitividade do Nordeste no mercado internacional. Revista

Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 29, nesp, p. 491-515, jul. 1998.

IBGE. Produção da extração vegetal e da silvicultura. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. v. 26. 53 p.

ILHA, A. S.; CORONEL, D. A. Vantagens comparativas reveladas e orientação regional da soja brasileira

frente à União Européia e ao foro de cooperação econômica da Ásia e no Pacífico (1992-2004). Revista de

Economia e agronegócio, Viçosa, MG, v. 4, n. 1, 2006.

ILHA, A. S.; SOUZA, M. J. P. Índices de vantagem comparativas reveladas e orientação regional para

alguns produtos do agronegócio brasileiro no período de 1992 a 2002. In: CONGRESSO BRASILEIRO

DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 43., 2005, Ribeirão Preto. Anais... Ribeirão Preto: SOBER,

CD-ROM.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (Brasil). Base de dados. [2013].

Disponível: . Acesso em: 21 jun. 2013.

JACKMAN, M. et al. Evaluating tourism competitiveness of small island developing states: a revealed

comparative advantage approach. Anatolia, London, v. 22, n. 3, p. 350-360, 2011.

KARAALP, H. S.; YILMAZ, N. D. Comparative advantage of textiles and clothing: evidence for Bangladesh,

China, Germany and Turkey. Fibres and Textiles in Eastern Europe, Kaunas, v. 97, n. 1, p. 14-17, 2013.

LAURSEN, K. Reveladed comparative advantage and the alternative as measures of internacional

specialization. DRUID Working Paper, Copenhagen, n. 98-30, 1998.

LI, L.; DUNFORD, M.; YEUNG, G. International trade an industrial dynamics: geographical and structural

dimensions of chinese and Sino-EU merchandise trade. Applied Geography, Georgia, n. 32, p.130-142,

LINHARES, T. História econômica do mate. Rio de Janeiro: José Olímpio, 1969.

MAHANZULE, R. Z. Dinâmica das exportações e avaliação da competitividade do setor de base

florestal de Moçambique. 2013. 112 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade

Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Centro de Ciências Florestais e da Madeira, Curitiba, 2013.

MANDENG, O. International competitiveness and specializacion. CEPAL Review, Santiago, n. 45, p. 25-

, 1991.

MAZUCHOWSKI, J. Z. Influência de níveis de sombreamento e nitrogênio na produção de massa

foliar da erva-mate Ilex paraguariensis St. Hil. 2004. 113 f. Dissertação (Mestrado em Solos e Engenharia

Agrícola) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Curitiba, 2004.

MAZUCHOWSKI, J. Z.; RUCKER, N. G. A. Erva-Mate: prospecção tecnológica da cadeia produtiva.

Documento Executivo. Curitiba: Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná,

Departamento de Economia Rural, 1997. 27 p.

MEDRADO, M. J. S.; VILCAHUAMAN, L. J. M. Importância socioeconômica e ambiental. Sistema

de Produção. Brasília: EMBRAPA Florestas, 2010. Disponível em:

embrapa.br/>. Acesso: 21 jun. 2013.

MOREIRA, S. L.; HERREROS, M. M. A. G. Uma análise da dinâmica competitiva internacional dos clusters

exportadores no Brasil, 1990-2006. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA

RURAL, 2010, Campo Grande. Anais... Campo Grande: SOBER, 2010.

NAÇÕES UNIDAS. Comissão Econômica para a América Latina e Caribe. TradeCan 2002: un programa

computacional sobre la competitividad internacional de los países. 2002. Disponível:

org/ddpe/noticias/paginas/9/13779/guiatradecan_2002.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2013.

OLIVEIRA, M. C. Estudo da erva-mate no Paraná: 1939-1967. Dissertação (Mestrado em História) - Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1974.

OLIVEIRA, P. B. Competitividade e saldos comerciais da indústria agroalimentar no Brasil. 2005.

f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Instituto de Economia, Universidade Federal de Uberlândia,

Uberlândia, 2005.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA ALIMENTAÇÃO E AGRICULTURA. Forest Products

statistics. 2012. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2012.

PAIS, P. S. M.; GOMES, M. F. M.; CORONEL, D. A. A análise da competitividade das exportações

brasileiras de minério de ferro, de 2000 a 2008. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 13,

n. 4, p. 121-145, jul./ago. 2012.

PENA, H. W. A. Brasil e Coréia do Sul: uma análise comparativa da dinâmica das exportações no comércio

internacional, 1985-2000. 2004. 197 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Universidade da Amazônia,

Belém, 2004.

PETRAUSKI, S. M. F. C. Competitiveness of Brazil in the wood international market. Cerne, Lavras, v.

, n. 1, p. 99-104, 2012.

RICARDO, D. On the principles of political economy and taxation. 1821. Disponível em:

econlib.org/library/Ricardo/ricP1.html>. Acesso em: 20 ago. 2013.

SAINT-HILAIRE, A. Viagem à Comarca de Curitiba (1820). 4. ed. São Paulo: Companhia Editora

Nacional, 1964.

SAMPIERI, R. H. Metodologia de pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw Hill, 2006.

SERIN, V.; CIVAN, A. Revealed comparative advantage and competitiveness: a case study for Turkey

towards the EU. Journal of Economic and Social Research, Istanbul, v. 10, n. 2, p. 25-41, 2008.

SILVA, P. P. M. G. Análise da competitividade revelada das flores de corte brasileiras no Mercosul

e União Européia. 2012. 88 f. Dissertação (Mestrado em Administração e Desenvolvimento Rural) -

Departamento de Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Guaranhuns,

UN COMTRADE. United Nations Commodity Trade Statistics Database: statistics division. 2012.

Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2012.

U. S. DEPARTAMENT OF BUREAU OF LABOR STATISTICS. Consumer Price Index (CPI) Databases.

Disponível em: < https://www.bls.gov/cpi/data.htm>. Acesso em: 14 jun. 2012.

VEGRO, C. L. R. Mercado de erva-mate no Brasil: História, situação e perspectivas. Informações

Econômicas, São Paulo, v. 24, n. 12, dez. 1994.

WEI, Y.; FANG, R.; FENG, Y. The RCA index comparison of five countries: the analysis of potential

impact upon Chinese tourism export and e-tourism services’ trade. In: INTERNATIONAL CONFERENCE

ON ARTIFICIAL INTELLIGENCE, MANAGEMENT SCIENCE AND ELECTRONIC COMMERCE, 2.,

, Dengfeng. Anais… Dengfeng: IEEE, 2011, p. 5242-5245.

WORLD CUSTOMS ORGANIZATION. What is the Harmonized System (HS). 2013. Disponível

em: .

Acesso em: 01 jun. 2013.

XAVIER, C. L. Padrões de especialização e saldos comerciais no Brasil. 2001. Disponível em:

anpec.org.br/encontro2001/artigos/200103253.pdf >. Acesso em: 19 jun. 2013.

YUE, C.; HUA, P. Does comparative advantage explains export patterns in China? China Economic

Review, Ohio, n. 13, p. 276-296, 2002.

ZHU, X.-Y.; ZHANG, Z.-G. Study on the international competitiveness of Chinese paper products from

the point of view of forestry-paper integration. China Pulp and Paper, China, v. 29, n. 3, p. 71-75, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509835360

Licença Creative Commons