SEGURANÇA AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DE ÁGUAS EMENDADAS NO DISTRITO FEDERAL

Alexandre Nascimento de Almeida, Bruno Gonçalves de Andrade, Philipe Ricardo Casemiro Soares, Humberto Angelo

Resumo


As Unidades de Conservação (UCs) possuem importância ecológica e econômica e, no Brasil, são divididas em duas categorias: as de proteção integral e as de uso sustentável. Dentro das UCs de proteção integral se encontram as Estações Ecológicas (ESEC), tipologia em que a visitação pública é proibida e que demanda um efetivo aparato de segurança para que a sua função ecológica seja alcançada. Assim, o objetivo deste trabalho foi analisar a segurança da Estação Ecológica de Águas Emendadas (ESECAE). Para tanto, com base nas respostas de questionários aplicados pessoalmente à Polícia Militar Ambiental (PMA) da ESECAE, empregou-se a análise de regressão para identificar os determinantes que afetam as condições de trabalho da segurança na unidade. Além disso, foi avaliado o perfil da PMA da ESECAE por meio de estatística descritiva e investigadas as condições de trabalho na unidade pela análise de correspondência. Os determinantes para a segurança efetiva da unidade foram o tamanho do contingente seguido pela valorização dos policiais pela administração e, por último, a quantidade de equipamentos necessários para a realização do trabalho da PMA na unidade. Os resultados revelaram que o batalhão que protege a ESECAE é experiente e em quantidade suficiente e, exceto pela carência de alguns equipamentos básicos, em geral, as condições de trabalho na unidade são satisfatórias e a segurança é efetiva, garantindo as limitações de uso na área previstas em lei.    


Palavras-chave


Polícia Militar Ambiental; Unidade de Conservação; Gestão Ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, L. G. Histórico. In: FONSECA, O. F. (Org.). Águas Emendadas. 2. ed. Brasília: SEDUMA, 2008. p. 21-44.

ALMEIDA, A. N. et al. Análise econométrica do mercado de madeira em tora para o processamento mecânico no Estado do Paraná. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 37, n. 84, p. 377-386, 2009.

BAGATINI, T. Evolução dos índices de atropelamento de vertebrados silvestres nas rodovias do entorno da Estação Ecológica águas emendadas, DF, Brasil, e eficácia de medidas mitigadoras. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

BERLINCK, C. N. Diagnóstico socioambiental do entorno da Estação Ecológica de Águas Emendadas (DF). Tese (Doutorado) - Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

BOURDETTE, M. D. S. Guarda-parques e a proteção de valores ambientais e culturais no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV). 2014. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

BRASIL. Decreto-lei 9.985, de 18 de julho de 2000. Estabelece critérios e normas para a criação, implantação e gestão das unidades de conservação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 jul. 2000.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Análise do desmatamento nas unidades de conservação federais localizadas na Amazônia. 2010. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. O Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2017.

BRODEUR, J. P. Por uma sociologia da força pública: considerações sobre a força policial e militar. Revista do Centro de Recursos Humanos da Universidade Federal da Bahia, Bahia, v. 17, n. 42, p. 481-489, 2004.

BRUNER, A. G. et al. Effectiveness of parks in protecting tropical biodiversity. Science, Washington, v. 291, n. 5501, p. 125-128, 2001.

CAPPELLE, M. C. A.; MELO, M. C. O. L. Mulheres policiais, relações de poder e de gênero na polícia militar de Minas Gerais. Revista Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 3, 2010.

COSTA, E. P. et al. Incêndios florestais no entorno de Unidades de Conservação: estudo de caso na Estação Ecológica de Águas Emendadas, Distrito Federal. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 19, n. 2, p. 195-206, 2009.

CUNHA, C. C. Percepção ambiental dos policiais do pelotão de Polícia Militar Ambiental do Estado de Sergipe. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, Aracaju, v. 4, n. 1, p. 15-32, 2013.

D’ARAÚJO, M. C. Pós-modernidade, sexo e gênero nas Forças Armadas. Security and Defense Studies Review, Washington, v. 3, n. 1, 2003.

EREZ, M.; KLEINBECK, U.; THIERRY, H. Work motivation in the context of a globalizing economy. London: Lawrence Erlbaum, 2001.

GOLDBERGER, A. S. A course in econometrics. London: Havard University Press, 1991.

GREENPEACE. Briefing. Amazônia: o desafio de tirar os parques do papel e proteger a biodiversidade. 2006. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2014.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C. Econometria básica. 5. ed. Porto Alegre: MacGraw Hill, 2011.

HAIR JUNIOR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HASSLER, M. L. A importância das Unidades de Conservação no Brasil. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 17, n. 33, p. 79-89, 2005.

HENDRY, D. F.; RINCHARD, J. F. The econometric analysis of economic time series. International Statistical Review, Reino Unido, v. 51, p. 3-33, 1983.

HOROWITZ, J.; JESUS, F. Estação Ecológica de Águas Emendadas. In: FONSECA, O. F. (Org.). Águas Emendadas. 2. ed. Brasília: SEDUMA, 2008. p. 45-55.

MACHADO, R. B. et al. Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. Brasília: Conservation International do Brasil, 2004.

MAROCO, J. Análise estatística: com utilização do SPSS. 3. ed. Lisboa: Edições Silabo, 2007.

MEDEIROS, R.; YOUNG; C. E. F. Contribuição das unidades de conservação brasileiras para a economia nacional: relatório final. Brasília: UNEP; WCMC, 2011.

MOTTA, A. C. D. C. Alternativas financeiras para a conservação dos recursos naturais em unidades de conservação: o Caso da Estação Ecológica de Águas Emendadas. 2005. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Economia, Universidade de Brasília, Brasília, 2005.

OLDHAM, S. Physical fitness training for police officers. Law and Order, Washington, v. 49, n. 5, p. 75-77, 2001. PESTANA, M. H.; GAGEIRO, J. N. Análise de dados para ciências sociais: a complementaridade do SPSS. 4. ed. Lisboa: Edições Silabo, 2005.

PRADO, A. O fenômeno das Águas Emendadas e sua importância para o saneamento no Brasil. 2012. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2017.

RIBEIRO, R.; MARINHO FILHO, J. Estrutura da comunidade de pequenos mamíferos (Mammalia, Rodentia) da Estação Ecológica de Águas Emendadas, Planaltina, Distrito Federal, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, Curitiba, v. 22, n. 4, p. 898-907, 2005.

SALMONA, Y. B.; RIBEIRO, F. F.; MATRICARDI, E. A. T. Parques “no papel” conservam? O caso do parque dos Pireneus em Goiás. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 34, n. 2, p. 295-310, 2014.

SANTOS, J. A. B. et al. Nível de adiposidade corporal e de aptidão física de Policiais Militares de Boa Vista – Roraima. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo, v. 7, n. 37, p. 21-28, 2013.

SCHIEHLL, E.; MORISSETTE, R. Motivation, measurement and rewards from a performance evaluation perspective. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 7-24, 2000.

SILVA, G. G. H. A importância das unidades de conservação na preservação da diversidade biológica. Revista Logos, Rio de Janeiro, n. 12, p. 127-151, 2005.

SILVA, H.; GONZAGA, G. A importância das unidades de conservação na preservação da diversidade biológica. Revista Logos, Rio de Janeiro, n. 12, p. 127-151, 2005.

TAMAYO, A.; PASCHOAL, T. A relação da motivação para o trabalho com as metas do trabalhador. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 7, n. 4, p. 33-54, 2003.

WIECHETECK, M. S. S. Spatial equilibrium analysis of conifer timber markets in southern Brazil and in the other Mercosur countries. 2001. 237 f. Thesis (Ph.D.) - Michigan State, 2001.

ZOREC, B. Anthropometric characteristics in police officers. Journal of Criminal Justice and Security, Slovenia, v. 1, p. 26-35, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509835047

Licença Creative Commons