IRRIGAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO INICIAL DE Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis e Eucalyptus grandis x Eucalyptus camaldulensis

Leandro Henrique Jung, Adriano da Silva Lopes, Gabriel Queiroz de Oliveira, Jean Carlos Lopes de Oliveira, Eder Duarte Fanaya Júnior, Kelvin Rosalvo Melgar Brito

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento inicial de dois híbridos de eucalipto (Grancam e Urograndis), irrigados por gotejamento e microaspersão e sem irrigação dos 7 aos 17 meses após o plantio (MAP). O experimento foi instalado na área experimental de irrigação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, no município de Aquidauana - MS. O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, em parcelas subdivididas, com quatro blocos e duas replicações dentro de cada bloco, sendo as parcelas compostas pelos tratamentos de irrigação (gotejamento, microaspersão e sequeiro) e as subparcelas pelos híbridos (Grancam e Urograndis). Foi avaliada a altura de plantas, o diâmetro de caule, a área basal de caule, a relação entre altura e diâmetro de caule, volume de caule por hectare e incremento médio mensal das variáveis analisadas. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste Tukey em nível de 5% de probabilidade de erro. Em todos os meses os sistemas de irrigação por gotejamento e microaspersão propiciaram maior altura de plantas, diâmetro do caule, área basal do caule e volume de caule por hectare. O híbrido Grancam apresenta parâmetros dendrométricos superiores ao Urograndis.


Palavras-chave


Eucalyptus spp.; gotejamento; microaspersão; silvicultura.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, R. G. et al. Crop Evapotranspiration: guidelines for computing crop requirements. Roma: FAO, 1998. 301 p.

ALVES, M. E. B. Disponibilidade e demanda hídrica na produtividade da cultura do eucalipto. 2009. 136 f. Tese (Doutorado em Meteorologia Agrícola) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.

ANDRADE, L. R. M. Corretivos e fertilizantes para culturas perenes e semiperenes. In: SOUSA, D. M. G.; LOBATO, E. Cerrado, correção do solo e adubação. 2. ed. Brasília: EMBRAPA, 2004. p. 317-366.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS. Anuário estatístico da ABRAF 2012: ano base 2011. Brasília: ABRAF, 2012. 150 p.

BANZATTO, D. A.; KRONKA, S. N. Experimentação Agrícola. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2006. 237 p.

BERNARDO, S.; SOARES, A. A.; MANTOVANI, E. C. Manual de irrigação. 8. ed. Viçosa: UFV, 2006. 625 p.

BISON, O. Melhoramento de eucalipto visando à obtenção de clones para a indústria de celulose. 2004. 169 f. Tese (Doutorado em Agronomia - Genética e Melhoramento de Plantas) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2004.

CHAEBO, G. et al. Silvicultura em Mato Grosso do Sul: desafios e perspectivas a formulação de um arranjo produtivo local. Campo Grande: [s. n.], 2010.

EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Rio de Janeiro: Centro Nacional de Pesquisa de Solos; Embrapa Solos, 2006. 306 p.

FERNANDES, A. L. T.; FLORÊNCIO, T. M.; FARIA, M. F. Análise biométrica de florestas irrigadas de eucalipto nos cinco anos iniciais de desenvolvimento. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 16, n. 5, p. 505-513, 2012.

GONÇALVES, M. R.; PASSOS, C. A. M. Crescimento de cinco espécies de eucalipto submetidas a déficit hídrico em dois níveis de fósforo. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 10, n. 2, p. 145-161, 2000.

GONÇALVES, F. et al. Progresso genético por meio de seleção de clones de eucalipto em plantios comerciais. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 25, p. 295-301, 2001.

HUBBARD, R. M. et al. Effects of irrigation on water use and water use efficiency in two fast growing Eucalyptus plantations. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 259, p. 1714-1721, 2010.

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES. Ibá 2014. São Paulo: Indústria Brasileira de Árvores, 2014. Disponível em: . Acesso em: 2 jul. 2015.

JALEEL, C. A. et al. Alterations in morphological parameters and photosynthetic pigment responses of Catharanthus roseus under soil water deficits. Colloids and Surfaces B: Biointerfaces, Amsterdam, v. 61, p. 298-303, 2008.

KELLER, J.; BLIESNER, R. D. Sprinkle and trickle irrigation. New York: Van Nostrand Reinold, 1990. 652 p.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: Rima, 2000. 531 p.

MUNNS, R. Comparative physiology of salt and water stress. Plant, Cell and Environment, New York, v. 25, p. 239-250, 2002.

OLIVEIRA, G. Q. et al. Initial development of two eucalyptus hybrid submitted to irrigation. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 33, n. 6, p. 1099-1109, 2013.

QUEIROZ, L. R. S.; BARRICHELO, L. E. G. O eucalipto: um século no Brasil. 1. ed. São Paulo: Neoband, 2007. 127 p.

QUEIROZ, M. M. et al. Comportamento de materiais genéticos de eucalipto em Paty de Alferes, RJ. Floresta e Ambiente, Seropédica, v.16, n. 1, p. 1-10, 2009.

REIS, G. G. et al. Crescimento de raízes e da parte aérea de clones de híbridos de Eucalyptus grandis x Eucalyptus urophylla e de Eucalyptus camaldulensis x Eucalyptus spp. submetidos a dois regimes de irrigação no campo. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 30, n. 6, p. 921-931, 2006.

SANTOS, J. C. P. O cultivo de eucalipto como alternativa de renda aos produtores da Região Sul de Mato Grosso do Sul. In: ENCONTRO CIENTÍFICO DE ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA E CONTABILIDADE, 1., 2011, Dourados. Anais… Dourados, 2011.

SAS INSTITUTE. SAS/STAT User s Guide: Version 8. Cary: SAS Institute, 1999. 3809 p.

SASSE, J.; SANDS, R. Comparative responses of cuttings and seedlings of Eucalyptus globulus to water stress. Tree Physiology, Victoria, v. 16, n. 1/2, p. 287-294, 1996.

SEGHATOLESLAMI, M. J.; KAFI, M.; MAJIDI, E. Effect of drought stress at different growth stages on yield and water use efficiency of five proso millet (Panicum miliaceum L.) genotypes. Pakistan Journal of Botany, Karachi, v. 40, n. 4, p. 1427-1432, 2008.

SILVA, P. H. M. et al. Volume de madeira e concentração foliar de nutrientes em parcela experimentais de Eucalyptus grandis fertilizadas com lodos de esgoto úmido e seco. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 32, n. 5, p. 845-854, 2008.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia Vegetal. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

TATAGIBA, S. D.; PEZZOPANE, J. E. M.; REIS, E. F. Avaliação do crescimento e produção de clones de Eucalyptus submetidos a diferentes manejos de irrigação. Cerne, Lavras, v. 13, n. 1, p. 1-9, 2007.

VILAS BÔAS, O.; MAX, J. C. M.; MELO, A. C. G. Crescimento comparativo de espécies de Eucalyptus e Corymbia no município de Marília, SP. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v. 21, n. 1, p. 63-72, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509827750

Licença Creative Commons