EQUAÇÕES HIPSOMÉTRICAS PARA Toona ciliata COM INCLUSÃO DE COVARIANTES

Joyce de Almeida Alves, Natalino Calegario, Sebastião Carlos da Silva Rosado, Geisi Azevedo Silva, Ernani Lopes Possato, Elliezer de Almeida Melo

Resumo


A relação hipsométrica é influenciada por muitas variáveis e isso dificulta a sua modelagem. A adição de covariantes em uma equação, por meio da decomposição de seus parâmetros, pode melhorar a precisão da mesma e auxiliar na construção de modelos hipsométricos genéricos. Neste estudo objetivou-se avaliar equações hipsométricas e testar a inclusão de covariantes para Toona ciliata, espécie ainda pouco estudada. Foram avaliados quatro modelos não lineares para representar a altura em função da idade. O efeito da progênie foi incluído em uma das equações por meio da decomposição dos parâmetros. Para representar a variação da altura em função do diâmetro foram testadas cinco equações, sendo que quatro delas não lineares. Os parâmetros de uma das equações foram decompostos e associados às variáveis: progênie, idade e altura dominante e codominante. A equação Assintótica foi mais precisa para representar o crescimento em altura. A inclusão da variável progênie na equação Logística aumentou sua precisão. Dentre as equações avaliadas para a relação altura-diâmetro, a Exponencial foi a de menor precisão. A inclusão de covariantes na equação Logística melhorou a precisão do ajuste e dentre as covariantes testadas a altura dominante e codominante permitiu um ganho de precisão de 23%.


Palavras-chave


cedro-australiano; relação altura-idade; relação altura-diâmetro; covariáveis.

Texto completo:

PDF

Referências


BATISTA, J. L. F.; COUTO, H. T. Z.; MARQUESINI, M. Desempenho de modelos de relações hipsométricas: estudo em três tipos de floresta. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 60, p. 149-162, dez. 2001.

CALEGARIO, N. et al. Melhoria da qualidade de ajuste de modelos biométricos florestais pelo emprego da teoria dos modelos não lineares generalizados. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 69, p. 38-50, 2005.

CRECENTE-CAMPO, F. et al. Can random components explain differences in the height-diameter relationship in mixed uneven-aged stands? Annals of Forest Science, Les Ulis, v. 71, n.1, p. 51-70, jan. 2014.

CURTIS, R. O. Height-diameter and height-diameter-age equations for second-growth Douglas-fir. Forest Science, Washington, v. 13, n. 4, p. 365-375, dec. 1967.

FANG, Z.; BAILEY, R. L. Nonlinear mixed effects modeling for Slash Pine dominant height growth following intensive silvicultural treatments. Forest Science, Washington, v. 47, n. 3, p. 287-300, aug. 2001.

GUIMARÃES, M. A. M. et al. Height-diameter models in forestry with inclusion of covariates. Cerne, Lavras, v. 15, n. 3, p. 313-321, jul./sept. 2009.

HUSCH, B.; MILLER, C. I.; BEERS, T. W. Forest mensuration. 3. ed. New York: J. Wiley, 1982. 402 p.

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES. Relatório IBÁ 2015. Brasília: IBÁ, 2015. 64 p. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2015.

LEITE, H. G.; ANDRADE, V. C. L. Importância das variáveis altura dominante e altura total em equações hipsométricas e volumétricas. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 27, n. 3, p. 301-310, 2003.

MENDES, B. R. et al. Desenvolvimento de modelos de crescimento de árvores individuais fundamentado em equações diferenciais. Cerne, Lavras, v. 12, n. 3, p. 254-263, 2006.

MENDONÇA, A. R. et al. Modelos hipsométricos e de crescimento em altura das árvores dominantes e codominantes para Pinus caribaea var. hondurensis. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 39, n. 90, p. 151-160, jun. 2011.

MENDONÇA, A. R.; CARVALHO, S. P. C.; CALEGARIO, N. Modelos hipsométricos generalizados mistos na predição da altura de Eucalyptus sp. Cerne, Lavras, v. 21, n. 1, p. 107-115, 2015.

MISIR, N. Generalized height-diameter models for Populus tremula L. stands. African Journal of Biotechnology, Ebène, v. 9, n. 28, p. 4348-4355, jul. 2010.

PINHEIRO, J. C.; BATES, D. M. Mixed-Effects Models in S and S-Plus. New York: Springer-Verlag, 2000. 528 p.

R CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2012.

RITZ, C.; STREIBIG, J. C. Nonlinear regression with R. New York: Springer, 2008. 148 p.

SAKAMOTO, Y.; ISHIGURO, M.; KITAGAWA, G. Akaike information criterion statistics. Dordrecht: Kluwer Academic, 1986. 256 p.

SCHWARZ, P. H. Estimating the dimension of a model. Annals of Statistics, California, v. 6, p. 461-464, 1978.

STANKOVA, T. V.; DIÉGUEZ-ARANDA, U. Height-diameter relationships for Scots pine plantations in Bulgaria: optimal combination of model type and application. Annals of Forest Research, Voluntari, v. 56, n. 1, p. 149-163, 2013.

ZHANG, L. Cross-validation of non-linear growth functions for modeling tree height-diameter relationships. Annals of Botany, London, v. 79, n. 3, p. 251-257, mar. 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509827738

Licença Creative Commons