Seed Germination and seedling formation of Bromelia antiacantha Bertol. at different temperatures and substrates

Authors

DOI:

https://doi.org/10.5902/2179460X39563

Keywords:

Native species, Thermal requirement, Vigor

Abstract

Bromelia antiacantha Bertol. is a native species of Brazil with food, medicinal, industrial and forest restoration potential. The objective of this study was to test different substrates and temperatures in the germination and seedling formation of B. antiacantha. Seeds obtained from fruits collected in situ from three localities, one in Paverama/RS and two in Taquari/RS, were washed in running water and homogenized in a single batch. After drying, the seeds were disinfested and seeded in medium sand and germibox paper, and exposed to constant temperatures of 25 and 30ºC. Firstly, the water content of the seeds were determined and, after installation of the experiment, the percentage of germination (G) and seedlings formed (SF), germination mean time (MTG) and seedling formation mean time (MTS), germination rate index (GRI) and seedling formation rate index (SRI) were calculated. The experimental design was completely randomized, in a 2 x 2 factorial arrangement with 4 replicates of 50 seeds. The water content and the weight of one thousand seeds corresponded to 17.02% and 27.09 g, respectively. The paper was superior to sand, with an average of 87% of germinated seeds, as well as a percentage of 86.25% of normal seedlings formed. Regarding the temperature, at 25 ºC, the seeds showed lower MTG and MTS and higher GRI and SRI. B. antiacantha seeds showed superior germination and initial seedling formation when sown on paper substrates and at 25 °C.

Author Biographies

Luciana Pinto Paim, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal do Pampa. Mestre e Doutora em Fitotecnia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Eduarda Demari Avrella, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Engenheira Florestal pela Universidade do Estado de Santa Catarina, e Mestre e Doutora em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Monique Caumo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Luciano Silva Alves, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Gabriel Wathier Almeida, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Estudante de Agronomia, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Kétlin Fernanda Rodrigues, Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, RS

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade do Vale do Taquari. Pós Graduanda em Análises Clínicas e Microbiologia pela Faculdade Dom Alberto. Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia na Universidade do Vale do Taquari.

Lucélia Hoehne, Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, RS

Graduada em Química Industrial, Graduada em formação Pedagógica- Licenciatura em Química pela Universidade de Santa Cruz do Sul, Mestre e Doutora em Química, pela Universidade Federal de Santa Maria.

Eduardo Miranda Ethur, Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, RS

Graduado em Química Industrial pela Universidade Federal de Santa Maria, Mestre e Doutor em Química pela Universidade Federal de Santa Maria. É professor titular da Universidade do Vale do Taquari.

Elisete Maria de Freitas, Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, RS

Bióloga, Mestre em Geografia, na área de Análise Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Doutora em Botânica, na área de Ecologia Vegetal, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Claudimar Sidnei Fior, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Graduado em Agronomia e Doutor em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

References

BASKIN CC, BASKIN JM. 2014. Seeds: ecology, biogeography and evolution of dormancy and germination, San Diego, Elsevier Science & Technology Books.

BEWLEY JD & BLACK M. 1994. Seeds: physiology of development and germination. 2. ed. New York: Plenum. 445p.

BRASIL. 2009. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pesca e Abastecimento, Brasília. 399p.

BROMELIA IN FLORA DO BRASIL 2020 EM CONSTRUÇÃO. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB5956. Acesso em: 11 mai. 2019.

CARVALHO NM, NAKAGAWA J. 2012. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5.ed.

Jaboticabal: FUNEP. 590p.

COIMBRA RA et al. Testes de vigor utilizados na avaliação da qualidade fisiológica de sementes de milho-doce (sh2). Ciência Rural. 2009; 39: 2402-2408.

FERREIRA AG, BORGHETTI F. 2004. Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre, Artmed. 324p.

FERRO VO, JORGE LIF.. Reconhecimento da espécie Bromelia antiacantha (Bertol.): características botânicas e fitoquímicas. Revista de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo. 1993; 29:69-72.

FIGLIOLIA MB et al. 1993. Análise de sementes. In: AGUIAR IB et al. (Coords.). Sementes florestais tropicais. Abrates: 137-174.

FILIPPON S et al. Bromelia antiacantha Bertol. (Bromeliaceae): Caracterização Demográfica e Potencial de Manejo em uma População no Planalto Norte Catarinense. Biodiversidade Brasileira. 2012; 83-91.

Títulodo artigo.Títulodo periódico. Ano de publicação;Volume(Número):Páginas.

GERBER D et al. Utilização de Bromelia antiacantha Bertol. em projetos de restauração ecológica. Acta Biológica Catarinense. 2017; 4(2):60-67.

KRUMREICH FD, CORRÊA APA, SILVA SDS, ZAMBIAZI RC. Composição físico-química e de compostos bioativos em frutos de Bromelia antiacantha Bertol. Rev. Bras. Frutic. 2015; 37(2):450-456.

LEME EMC, MARIGO LC. 1993. Bromélias na natureza. Rio de Janeiro: Marigo Comunicação Visual.

MELO LDFA et al. Biometric characterization and seed germination of giant mimosa (Mimosa bimucronata (DC) O. Kuntze). Australian Journal of Crop Science. 2018; 12: 108-115.

MARCOS FILHO J. 2015. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. 2.ed., Londrina: BRATES. 660p.

NASSIF SML et al. Fatores externos (ambientais) que influenciam na germinação de sementes. Disponível em: https://www.ipef.br/tecsem entes/germinacao.asp. Acesso em: 11 mai. 2019.

PILAU FG et al. Germinação de sementes de crambe em diferentes temperaturas e substratos. Semina. 2012; 33:1825-1830.

POPININGIS F. 1985. Fisiologia de sementes. Brasília, DF: Agriplan. 285p.

REIS, MSR et al. Uso sustentável e domesticação de espécies da Floresta Ombrófila Mista. In: LIN C.M; AMOROZO, C.M.; KFFURI, C.W. (Orgs.). Agrobiodiversidade no Brasil: experiências e caminhos da pesquisa. Recife: NUPEEA. 2010. p.183-214.

REITZ R. 1983. Bromeliáceas e a malária – bromélia endêmica. In: REITZ & RAULINO (Ed.). Flora ilustrada catarinense. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues. 856p.

SANTOS DS. Biologia reprodutiva de Bromelia antiacantha Bertol. (Bromeliaceae) em uma população natural sob cobertura de Floresta Ombrófila Mista. Dissertação (Mestrado em Recursos Genéticos Vegetais). Universidade Federal de Santa Catarina: UFSC; 2001. 96p.

SANTOS MG. Morfometria, desenvolvimento pós - seminal e germinação de Theobroma subincanum Martius in Buchner (Malvaceae). Dissertação de Mestrado. Mato Grosso: UNEMAT; 2011. 55p.

SMITH LB, DOWNS RJ. 1974. Flora neotropica: Pitcairnioideae (Bromeliaceae). New York: OFN-Halfner Press.

TAIZ L, ZEIGER E, MOLLER IM, MURPHY A. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.

VIZENTIN ETBS et al. Morfologia do fruto, semente e desenvolvimento pós-seminal de Aechmea angustifolia Poepp. & Endl. (Bromeliaceae). Magistra. 2016; 28:110-118.

WENDT T. Hibridização e isolamento reprodutivo em Pitcairnia (Bromeliaceae). Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: UFRJ; 1999. 141p.

Downloads

Published

2021-03-07

How to Cite

Paim, L. P., Avrella, E. D., Caumo, M., Alves, L. S., Almeida, G. W., Rodrigues, K. F., Hoehne, L., Ethur, E. M., Freitas, E. M. de, & Fior, C. S. (2021). Seed Germination and seedling formation of Bromelia antiacantha Bertol. at different temperatures and substrates. Ciência E Natura, 43, e27. https://doi.org/10.5902/2179460X39563

Issue

Section

Biology-Botany

Most read articles by the same author(s)