Geotechnology applied in the analysis of the impacts on the land use and land cover caused by the construction of a hydroelectric plant

Matheus Morais Ziembowicz, Juliana Marchesan, Jakeline Baratto, Elisiane Alba, Robson Righi da Silva, Rudiney Soares Pereira

Abstract


The objective of the research was to verify the changes in land use and land cover in the area of influence of the São José Hydroelectric Plant, Rio Grande do Sul state, between the years 2007 and 2017, using images of medium spatial resolution. For this, was used images of the TM/Landsat 5 sensor were used for the year 2007 and images the OLI/Landsat 8 sensor for 2017. Classification was supervised using the Battacharyya classifier, with the creation of six land use and land cover classes: Agriculture, Water, Urban Area, Field, Native Forest and Exposed Soil. The image processing and analysis were performed in the SPRING software version 5.4.2. With the results, it was noticed that the most expressive classes of use and land cover in the study area included Agriculture, Field and Exposed Soil, however, they reduced their occupation areas from 75% to 68% of the study area in 2017, while the native forest increased its area comprising 26% in 2017. Thus, it was concluded that with the construction of the São José hydroelectric plant there were environmental impacts in which areas were suppressed due to flooding, however, native forest areas increased after the installation hydroelectric plant.


Keywords


Environmental impact; Landsat; Remote sensing

References


ABG ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE, IJUÍ ENERGIA S/A., 2007. Primeiro Relatório Semestral de Andamento dos Programas dos Plano Básico Ambiental da UHE São José. Disponível em: http://livrozilla.com/doc/799182/primeiro-relat%C3%B3rio-semestral-de-andamento-dos

ABG ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE, IJUÍ ENERGIA S/A., 2014. Relatório trimestral de andamento dos programas do plano básico ambiental da UHE São José. Disponível em: http://docplayer.com.br/18499003-Relatorio-trimestral-de-andamento-dos-programas-do-plano-basico-ambiental-da-uhe-sao-jose-abril-maio-junho-2014-porto-alegre-agosto-de-2014.html

ALVARES CA, STAPE JL, SENTELHAS PC, GONÇALVES JLM, SPAROVEK G. Köppen climate classification map for Brazil. Meteorol. Z. [Internet]. 2013 [citado 09 ago 2017];22(6):711-728. Disponível: http://www.lerf.eco.br/img/publicacoes/Alvares_etal_2014.pdf.

ARAÚJO MMV, PINTO KJ, MENDES FO. A usina de Belo Monte e os impactos nas terras indígenas. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas [Internet]. 2014 [citado 11 ago 2017];6:43-51. Disponível em: https://periodicos.unifap.br/index.php/planeta/article/download/1651/MayaraN6.pdf.

AVZARADEL PCS. Licenciamento de usinas hidrelétricas, reservatórios e Áreas de Preservação Permanente. Revista de Direito da Cidade [Internet]. 2015;7(2):609-625. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/rdc/article/view/16969.

BATISTA BM, SÁNCHEZ DCM, SILVA JV, MARTINEZ DT, PASA, M C. Revisão dos Impactos ambientais gerados na fase de instalação das hidrelétricas: Uma análise do Alto Juruena – MT. Biodiversidade [Internet]. 2012 [citado 04 ago 2017];11(1):69-85. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/707.

BOLZAN N. Mudanças na Paisagem em duas Microbacias do Bioma Pampa Gaúcho-RS: Uma Análise com Base de Mapas, Índices descritores e Sistemas de acesso à terra [tese]. Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC; 2006.154 p.

COELHO SJ. Transformações na paisagem decorrentes da construção de Usina Hidrelétrica do Funil – UHE-Funil e o impacto no município de Ijaci, MG. [tese]. Lavras: Universidade Federal de Lavras/UFLA; 2008. 172 p.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução Conama Nº 371, de 5 de abril de 2006 - Estabelece diretrizes aos órgãos ambientais para o cálculo, cobrança, aplicação, aprovação e controle de gastos de recursos advindos de compensação ambiental. Brasília (Brasil); 2006.

COSTA BBS, SANTOS GOS, MENEZES AC, OLIVEIRA IFS, MELO IC, SANTOS WL, et al. Licenciamento ambiental no brasil sobre usinas hidrelétricas: um estudo de caso da usina de Belo Monte, no rio Xingu (PA). Cadernos de Graduação: Ciências Exatas e Tecnológicas [Internet]. 2012 [citado 12 ago 2017];1(15):19-33. Disponível em:

FACCO DS, BENEDETTI ACP, PEREIRA FILHO W, KAISER EA, DAL OSTO JV. Geotecnologias para monitoramento florestal no município de Nova Palma - Rio Grande Do Sul – BR. REGET [Internet]. 2016 [citado 31 jul 2017];20(1):417−426. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reget/article/viewFile/19946/pdf.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO AMBIENTAL. Regiões Hidrográficas do Estado do RS. 2017. Disponível em: http://www.fepam.rs.gov.br/qualidade/bacia_uru_ijui.asp.

GOOGLE - Inc. Google Earth. Disponível em: https://www.google.com/earth/.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades: Rio Grande do Sul, Informações Estatísticas de Pecuária e Produção Agrícola Municipal – Lavoura Temporária. 2015. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=43&search=rio-grande-do-sul.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. Rio de Janeiro. 2. ed. 2012. 275 p.

LANDIS JR, KOCH GG, The measurement of observer agrément for categorical data. Biometrics [Internet]. 1997; 33(1):159-174. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/843571.

LIBOS M, ROTUNNO FILHO O, ZEILHOFER P. Sensoriamento remoto (SR) e sistema de informações geográficas (SIG) para modelagem de qualidade da água. Estudo de caso: bacia do rio Cuiabá. In: Anais do 12º Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto [Internte]; 2005 Abril 12-16; Goiânia, Brasil. 2005 [citado 10 ago 2017]. Disponível em: http://marte.dpi.inpe.br/col/ltid.inpe.br/sbsr/2004/11.21.20.54/doc/2219.pdf.

PÉRICO E, CEMIN G. Caracterização da paisagem do município de Arvorezinha, RS, com ênfase na dinâmica dos fragmentos florestais, por meio de sistemas de informações geográficas (SIGs). Scientia Forestalis [Internet]. 2006 [citado 04 ago 2017];70: 09-21. Disponível em: . Acesso: 04 ago. 2017.

PINTO PHP, OLIVEIRA LPA. Construção da Usina Hidrelétrica de Estreito no estado do Tocantins, Brasil: Um exemplo de injustiça ambiental. REMEA [Internet]. 2013 [citado 07 ago 2017];30(1):237-251. Disponível: https://www.seer.furg.br/remea/article/view/359.

ROSA PA, GALLIO E, BREUNING FM, BALBINOT R. Análise do uso e cobertura da terra de uma microbacia hidrográfica do Rio Fortaleza, no norte do RS. In: Anais do 16º Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto [Internet]; 2013 Abril 13-18; Foz do Iguaçu, Brasil. 2013 [citado 07 ago 2017]. Disponível em: http://www.dsr.inpe.br/sbsr2013/files/p0235.pdf.

SILVA AB. Sistemas de Informações Geo-Referenciadas: conceitos e fundamentos. Campinas: Editora Unicamp. 2003. 236 p.

STEFANELLO MM, WEBER LS, FELKER RM, PIAZZA EM, JUNG PH. Modificações na paisagem decorrentes da construção da usina hidrelétrica São José, região noroeste do Rio Grande do Sul. Enciclopédia Biosfera [Internet]. 2015 [citado 07 ago 2017];11(22):2254-2267. Disponível em: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2015c/agrarias/modificacoes%20na%20paisagem.pdf.

TRAMONTINA J, BREUNIG FM. Impacto da construção de uma usina hidrelétrica no uso e cobertura da terra: estudo da bacia Lajeado Bonito-RS. Ciência e Natura [Internet]. 2015 [citado 08 ago 2017];37(4):95-106. Disponível em: http://oaji.net/articles/2017/1602-1486468005.pdf.

UNITED STATES GEOLOGICAL SURVEY [Internet]. 2017 [citado 27 ago 2017]. Disponível em: https://landsat.usgs.gov/what-are-band-designations-landsat-satellites.

XAVIER JS, ZAIDAN RT. Geoprocessamento e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2179460X29847

Refbacks

  • There are currently no refbacks.