Análise da Qualidade da Água de Poços Artesianos do Município de Imigrante, Vale do Taquari/RS

Cristian Mateus Zerwes, Mariela Inês Secchi, Thanabi Bellenzier Calderan, Jaqueline de Bortoli, Jaqueline Fernandes Tonetto, Maicon Toldi, Eniz Conceição Oliveira, Eduardo Rodrigo Ramos de Santana

Abstract


Um dos maiores desafios enfrentados pelas presentes e futuras gerações é encontrar formas de preservação das fontes de água, livres de contaminações e adequadas ao consumo da população. Essa dificuldade está relacionada à contaminação dos lençóis freáticos devido à ocupação e uso do solo pela sociedade, alterando os processos físicos, químicos e biológicos dos sistemas naturais, causando inúmeras doenças e muitas vezes levando a morte. O presente trabalho objetivou avaliar a qualidade da água das principais fontes naturais do município de Imigrante, localizado no Vale do Taquari-RS a fim de averiguar a potabilidade das águas consumidas pelas comunidades do município. Na presente pesquisa foram selecionados dez poços para a verificação das características físico-químicas e biológicas, tais como: pH, condutividade, sólidos suspensos, turbidez, oxigênio dissolvido, carbono orgânico, carbono total, carbono inorgânico, nitrogênio, dureza média, temperatura, condutividade e análise microbiológica, comparando os resultados com os padrões preestabelecidos pela legislação vigente. Dos dez poços analisados, seis apresentaram-se fora dos parâmetros estabelecidos pela legislação.


Keywords


Água. Análise. Avaliação físico-química e biológica. Legislação Ambiental

References


Almeira, M. (2010). Geografia Global 2. São Paulo: Escala Educacional.

ANA - Agência Nacional de Águas. Indicadores de qualidade: índice de qualidade das águas. 2009. Disponível em: . Acesso em: 3 set. 2014.

APHA – American Public Health Association. (2001). Compendium of Methods for the Microbiological Examination of foods. 4ª Ed. Washington, DC,

Barros, F. G. N.; Amin, M.(2008). Água: um bem econômico de valor para o Brasil e o mundo. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 4, n. 1, p. 75-108. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2014.

Benedetti, S. (2012). Avaliação do teor de carbono orgânico total na qualidade da água: aplicação na radiofarmácia. 104 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Tecnologia Nuclear - Aplicações, Departamento de Autarquia Associada à Universidade de São Paulo, Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, São Paulo, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 set. 2014.

Bertoldi, M. R. Hidroguerras: o líquido cobiçado deixa de ser o petróleo. (2001). Jus Navigandi, Teresina, v. 49, n. 5, p.1-1. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2014.

Brasil. CONAMA. (2005). Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Brasília, 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. (2011). Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2014.

Brasil. Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2014.

Brasil. Ministério do Exército. (1980a). Garibaldi: Folha SH.22-V-D-II-4 MI 2952/4. Rio de Janeiro: Diretoria de Serviço Geográfico, 1980a.

Brasil. Ministério do Exército. (1980b). Lajeado: Folha SH.22-V-D-II-3 MI 2952/3. Rio de Janeiro: Diretoria de Serviço Geográfico.

Correia, A., Barros, E., Silva, J., Ramalho, J. (2008). Análise da turbidez da água em diferentes estados de tratamento. In: VIII ERMAC 8º ENCONTRO REGIONAL DE MATEMÁTICA APLICADA E COMPUTACIONAL, 8, 2008, Natal. Resumo das comunicações dos minicursos e do minisimpósio. São Carlos: SBMAC - Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional, p. 1 - 5. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2014.

Dias, J. C., Lima, W. N. de. (2004). Comparação de métodos para a determinação de matéria orgânica em amostras ambientais. Revista Científica da UFPA, Belém, v. 4, p.1-16. Disponível em: . Acesso em: 3 set. 2014.

Eckhardt, , R. R. Diedrich, V. L. FerreiraE, E. R., Strohshoen, E.; Demaman, L. C. (2009). Mapeamento e avaliação da potabilidade da água subterrânea do município de Lajeado, RS, Brasil. Ambiente & Água: An Interdisciplinary Journal of Applied Science, Taubaté, v. 4, n. 1, p. 58-80.isponível em: . Acesso em: 3 set. 2014.

Heberle, D. R., Zervielli, C. J. (Org.). (2011). Perfil socioeconômico do Vale do Taquari. Lajeado: FUVATES, UNIVATES, BDR - Banco de Dados Regional, 2011. 38 p. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2014.

Janzen, J. G. Schultz, H. E., Lamon, A. W. (2008) Medidas da concentração de oxigênio dissolvido na superfície da água. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p.278-283. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2014.

Libânio, M., Libânio, P. A. C., Costa, B. M. P., Sperling, E. von. (2000). Avaliação da relevância do carbono orgânico total como parâmetro de caracterização de águas de abastecimento. RBRH - Revista Brasileira de Recursos Hídricos, Porto Alegre, v. 5, n. 4, p.41-55. Disponível em: . Acesso em: 3 set. 2014.

Lobo, E. A., Callegaro, V. L. (2000). Avaliação da qualidade de águas doces continentais com base em algas diatomáceas epilíticas: enfoque metodológico. In: TUCCI, C. E. M.; MARQUES, D. M. (Org.). Avaliação e Controle da Drenagem Urbana. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, p. 277-300.

Parron, L. M.; Muniz, D. H. de F.; Pereira, C. M. (2011). Documentos 232: Manual de procedimentos de amostragem e análise físico-química de água. Colombo: Embrapa Florestas, 67 p. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2014.

Rio Grande do Sul. Secretaria do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã. (2008). Conselho Regional de Desenvolvimento Vale do Taquari. 2008. Elaboração: SEPLAG/DEPLAN - 05/2010. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2014.

Rossi, P., Miranda, J. H., Duarte, S. N. (2007). Curvas de distribuição de efluentes do íon nitrato em amostras de solo deformadas e indeformadas. Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 27, n. 3, p.675-682, 2007. Disponível em:

. Acesso em: 1 set. 2014.

Rutkowski, E. W.., Lessa, S. N., Oliveira, E. G. de. (1999). Desenvolvimento Brasileiro x Meio Ambiente: trajetória da problematização da água. Revista de Ciência & Tecnologia, Piracicaba: Unimep, v. 7, n. 14, p. 23-30. 1999.

Sampaio, S. C., Silvestro, M. G., Frigo, E. P., Borges, C. M. (2007). Relação entre série de sólidos e condutividade elétrica em diferentes águas residuárias. Irriga, Botucatu, v. 12, n. 4, p.557-562, 2007. Disponível em: . Acesso em: 3 set. 2014.

Teixeira, E. C., Senhorelo, A. P. (2000). Avaliação de correlação entre turbidez e concentração de sólidos suspensos em bacias hidrográficas com uso e ocupação diferenciada. Em: XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental 27. Porto Alegre. Anais... São Paulo: AIDIS - Associação Interamericana de Engenharia Sanitária, 2000. p. 1 - 5. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2014.




DOI: https://doi.org/10.5902/2179460X17385

Copyright (c)



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.