HERMENÊUTICA FLEXÍVEL E DISCRICIONARIEDADE JUDICIAL

Eduardo Augusto Salomão Cambi, Luna Stipp

Resumo


O artigo tem como propósito discutir a discricionariedade judicial na aplicação dos princípios jurídicos, no contexto da modernidade líquida. O artigo procura, por meio do método de revisão bibliográfica, demonstrar as consequências e perigos na utilização de métodos interpretativos desvinculados do sistema normativo preestabelecido

Palavras-chave


Hermenêutica jurídica; Discricionariedade; Decisão judicial; Fundamentação; Segurança jurídica;

Texto completo:

PDF

Referências


ARRONE, Ricardo. Por uma nova hermenêutica dos direitos reais limitados. Rio de Janeiro: Renovar. 2001.

BAUMAN, Zygmunt .Modernidad Líquida.Buenos Aires:Fondo de Cultura Economica, 2002.

____________.Globalização: As conseqüências humanas. Traducao Marcus Penchel .Rio de Janeiro: Zahar,1999

BOBBIO Noberto. Teoria do Ordenamento Jurídico. Tradução de Ari Marcelo Solon. São Paulo: EDIPRO,2011.

BOBBIO, Noberto. A era dos Direitos. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Elsevier, 2004.

CAMBI, Eduardo; MARGRAF, Alencar Frederico. Casuísmos judiciários e precedentes judiciais. Revista de processo, vol. 248, out./2015.

CAMBI. Eduardo. Processo constitucional e democracia. In: Direito constitucional brasileiro. Organização do Estado e dos Poderes. Vol. II. Coord. Clèmerson Merlin Clève. São Paulo: RT, 2014.

_______. Neopositivismo e Neoconstitucionalismo. Direitos fundamentais, políticas públicas e protagonismo judiciário. São Paulo: Almedina. 2016.

SILVEIRA, Denis Coitinho. O papel da razão pública na teoria da justiça de Rawls. Filosofia Unisinos, vol. 10, jan./abr. 2009.

¬¬DWORIN, Ronald. Levando o direito a sério.São Paulo: Martins Fontes. 2011.

FALCÃO, João Emílio. Entrevista ao Jornal da Constituinte, no 63, caderno 1. 5 out. 1988.

GRAU, Eros Roberto. Porque tenho medo dos juízes (a interpretação/aplicação do direito e os princípios). São Paulo: Malheiros, 2013.

GUTEMBERG, Luiz. Mapa geral das idéias e propostas para a nova Constituição. Brasília: Ministério da Justiça/ Fundação Petrônio Portella, 1987

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. 2ª ed. Tradução de Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

______.A inclusão do outro.Tradução George Sperber. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

HARTH, Hebert L.A. O conceito de direito. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian,2001.

IKAWA, Daniela R. Hart, Dworkin e discricionariedade.Luanova, nº 61— 2004.

LIMA, Tadeu Augimeri Goes de. Neoconstitucionalismo: um breve panorama.Argumenta Journal Law, Jacarezinho PR. 2015.

MACHADO. EdinilsonDonisete. Ativismo Judicial. Letras Jurídicas. São Paulo:2012.

MARTIN, Andreia Garcia; PIGNATARI, Nínive Daniela Guimaraes. A decisão Judicial sob a perspectiva do princípio da prevalência dos direitos humanos: A humanização da hermenêutica judicial. Birigui: Boreal, 2012.

MONCLAIRE, Stéphane. As grandes características do último processo constituinte brasileiro. Revista de informação legislativa, v. 45, n. 179, p. 277-295, jul./set. 2008.

RAWLS, John. O liberalismo político. Trad. Dinah de Abreu Azevedo. Brasília: Editora Ática, 2000.

RIBEIRO, Ronaldo Paixão. Maintenant, à lafindutunnel, brillelalumière. Entrevista ao Jornal da Constituinte. no 63, caderno 1. 5 out. 1988.

ROHMANN, Chris. O Livro das ideias: pensadores, teorias e conceitos que formam nossa visão de mundo. Rio de Janeiro: Campus,2000.

SCHLEIERMACHER, Friedrich D.E. Hermenêutica- Arte e técnica da interpretação. Petrópolis,RJ:Vozes; SP:Editora Universitária São Francisco,2012.

SCHNAID, David. Filosofia do direito e interpretação. São Paulo: RT, 2004.

SILVA, Ovídio Araújo Baptista da. Processo e Ideologia: o paradigma racionalista.2ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2006.

STRECK, Lênio Luiz. Hermenêutica juridical e(m) crise: uma exploração hermenêutica da construção do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.

_______. O que é isto – decido conforme minha consciência?4. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2013.

_______. Constituição ou barbárie? – a lei como possibilidade emancipatória a partir do estado democrático de direito. Disponível em < https://ensaiosjuridicos.files.wordpress.com/2013/04/constituic3a7c3a3o-ou-barbc3a1rie-e28093-a-lei-como-possibilidade-lenio.pdf > acessado em 23.01.2016.

VIAL, Sophia martini. O fenômeno da codificação e da recodificação no Direito Privado. Irevista de direito privado, vol. 64, out./dez. 2015.

ZAGREBELSKY, Gustavo. Il diritto mite. Turim: Einadi, 1992.

_______. La ley e su justicia. Tres capítulos de justicia constitucional. Itália, 2007.

WAMBIER, Teresa Arruda Alvim. Precedentes e Evolução do Direito.In: Direito Jurisprudencial. Coord. Teresa Arruda Alvim Wambier. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1981369421193

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REVISTA ELETRÔNICA DO CURSO DE DIREITO DA UFSM - Qualis A1

RECDUFSM  /  ISSN 1981-3694   /  Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/19813694  http://periodicos.ufsm.br/revistadireito

Revista Qualis A1 área de Direito /  Classificações de Periódicos Quadriênio 2013-2016 (CAPES)