A JUDICIALIZAÇÃO DA POLÍTICA E O PROTAGONISMO DOS JUÍZES NAS DECISÕES QUE ENVOLVEM O DIREITO CONSTITUCIONAL À SAÚDE: reflexões acerca da jurisdição constitucional

Patrícia de Carli

Resumo


A despeito das fervorosas críticas da doutrina, direcionadas à Jurisdição constitucional e ao protagonismo dos juízes, sob o argumento que a atuação destes tem judicializado a política, o que vem se observando é um protagonismo cada vez maior do Poder Judiciário no Brasil. Em questões como a do direito constitucional à saúde, tal protagonismo apresenta-se de forma consorciada com uma grande esperança dos cidadãos no que se refere à efetivação desses direitos mais fundamentais e que historicamente foram relegados a um segundo plano pelos demais poderes constituídos. Entretanto, mesmo diante da euforia e da relevância dessa atuação comprometida com o aspecto social e humanitário, urge que não sejam esquecidas as bases do Constitucionalismo Democrático e que o princípio da proporcionalidade seja plenamente observado a cada decisão proferida.


Palavras-chave


Constituição, Direito à saúde, Judicialização da política, Protagonismo dos Juizes

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, Robert. Tradução de Luís Afonso Heck. In: Revista de Direito Administrativo. Direitos Fundamentais no Estado Constitucional democrático: para a relação entre direitos do homem, direitos fundamentais, democracia e jurisdição constitucional. Rio de Janeiro, 1999. n. 217, pg 55-66.

BARROSO, Luís Roberto. In: Revista Eletrônica de Direito do Estado. 2009, n. 18.

BÖCKENFÖRDE, Ernst-Wolfgang. Estudios sobre el Estado de Derecho y La Democracia. Madrid: Trotta, 2000.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Agravo de instrumento com seguimento negado em relação a fornecimento de remédios de necessitado por parte do estado. Agravo de instrumento Nº 70039976527. Noeli Maria Knieling de Moraes e Estado do Rio Grande do Sul. Relator: Carlos Eduardo Zietlow Duro. Disponível em: http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal+de+Justi%E7a&versao=&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70039976527&num_processo=70039976527&codEmenta=3869239&temIntTeor=true. Acesso em: 28 nov. 2010.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Agravo de instrumento com seguimento de recurso negado em relação a fornecimento de remédios de necessitado por parte da prefeitura de Passo Fundo. Agravo de instrumento Nº 70039928411. Relator: Rogério Gesta Leal. Disponível em: http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal+de+Justi%E7a&versao=&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70039928411&num_processo=70039928411&codEmenta=3868411&temIntTeor=true. Acesso em: 28 nov. 2010.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Apelação cível com provimento negado em relação ao fornecimento de medicamentos com legitimidade passiva estatal. Apelação Cível Nº 70039645072. Relator: Rui Portanova. Disponível em: http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal+de+Justi%E7a&versao=&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70039645072&num_processo=70039645072&codEmenta=3869961&temIntTeor=true. Acesso em: 28 nov. 2010.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Apelação cível com provimento negado unânime, em relação ao fornecimento de medicamentos com ilegitimidade passiva. Apelação Cível Nº 70038803870. Relator: Luiz Felipe Brasil Santos. Disponível em: http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal+de+Justi%E7a&versao=&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70038803870&num_processo=70038803870&codEmenta=3870230&temIntTeor=true. Acesso em: 28 nov. 2010.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Sentença Cível Processo Nº 020/1.09.0004540-8. Juíza Prolatora: Lisiane Marques Pires Sasso. Disponível em: http://www1.tjrs.jus.br/busca/?tb=proc. Acesso em: 28 nov. 2010.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Agravo regimental improvido em relação a políticas públicas do direito à saúde. Agravo regimental AI 734487. Relatora: Min. Ellen Gracie. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/jurisprudencia/listarJurisprudencia.asp?s1=%28734487%2ENUME%2E+OU+734487%2EACMS%2E%29&base=baseAcordaos&url=http://tinyurl.com/lffdroj. Acesso em: 28 nov. 2010.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Agravo regimental com provimento negado unânime em relação ao direito de saúde e a regulamentação dos serviços de saúde prestados por hospitais públicos. Agravo regimental SL 47. Relator: Min. Gilmar Mendes. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/jurisprudencia/listarJurisprudencia.asp?s1=%2847%2ENUME%2E+OU+47%2EACMS%2E%29+%28%28GILMAR+MENDES%29%2ENORL%2E+OU+%28GILMAR+MENDES%29%2ENORV%2E+OU+%28GILMAR+MENDES%29%2ENORA%2E+OU+%28GILMAR+MENDES%29%2EACMS%2E%29&base=baseAcordaos&url=http://tinyurl.com/m2v3ug2asp?. Acesso em: 28 nov. 2010.

CITTADINO, Gisele. Judicialização da política, constitucionalismo democrático e separação dos poderes. In: VIANNA, Luiz Werneck (org.). A democracia e os três poderes no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ/FAPERJ, 2002.

HÄBERLE. Peter. Constituição e cultura: O direito ao feriado como elemento de identidade cultural do Estado Constitucional. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.

HÄBERLE, Peter. Hermenêutica Constitucional: a sociedade aberta dos intérpretes da Constituição- contribuição para a interpretação pluralista e procedimental da Constituição. Tradução de Gilmar Ferreira Mendes. Porto Alegre: Fabris, 1997.

HÄBERLE, Peter. Libertad, igualdad, fraternidad: 1789 como historia, actualidad y futuro del Estado Constitucional. Madrid: MinimaTrotta, 1998.

HÄBERLE, Peter. Os problemas da verdade no Estado Constitucional. Tradução de Urbano Carvelli. Porto Alegre: Fabris, 2008.

HÄBERLE, Peter. Teoria de laConstitución como ciencia de la cultura.Tradução de Emilio Mikunda. Madrid: Tecnos, 2002.

LEAL, Mônia Clarissa Henning. Jurisdição Constitucional aberta: reflexões sobre a legitimidade e os limites da jurisdição constitucional na ordem democrática. Uma abordagem a partir das teorias constitucionaisalemã e norte-americana. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

MAUS, Ingeborg. Tradução de MartonioMont’ Alverne Barreto Lima e Paulo Menezes de Albuquerque. In: Novos Estudos. O Judiciário como superego da sociedade- sobre o papel da atividade jurisprudencial na “sociedade órfão”. São Paulo: CEBRAP, 2000. n. 58.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1981369413741

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REVISTA ELETRÔNICA DO CURSO DE DIREITO DA UFSM - Qualis A1

RECDUFSM  /  ISSN 1981-3694   /  Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/19813694  http://periodicos.ufsm.br/revistadireito

Revista Qualis A1 área de Direito /  Classificações de Periódicos Quadriênio 2013-2016 (CAPES)