PROEJA no IFMT: possibilidades de inclusão ou exclusão?

Nadir de Fátima Borges Bittencourt, Maria de Fatima Pereira Alberto, Antonio Cezar da Costa Santos

Resumo


Este artigo objetiva apresentar alguns fatores de exclusão e de inclusão de alunos do PROEJA do XXX, a partir de dados de uma pesquisa qualitativa e de outra quantitativa. Como embasamento teórico, utilizou-se a teoria Histórico-Cultural de Vygotsky, que concebe o homem histórica e socialmente construído. A amostra compreendeu 184 participantes, discentes (jovens e adultos) e docentes do programa PROEJA no XXX, no período de 2010 a 2013. Analisaram-se os dados qualitativos utilizando as práticas discursivas de Spink (2004), com Mapas de Associação e repertórios interpretativos; na quantitativa, usou-se o SPSS. Os dados apontaram que existem fatores na operacionalização do PROEJA possibilitadores de inclusão, como grande alcance social, recuperação da escolaridade, efetivação da cidadania e inserção no trabalho. Por outro lado a não contextualização dos conteúdos, a não flexibilização dos cursos, os currículos não adequados e a falta de capacitação dos docentes podem desestimular o aluno e provocar a exclusão.


Palavras-chave


Educação de adultos; Exclusão; Inclusão

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALBERTO, Maria de Fatima Pereira. A dimensão subjetiva do trabalho precoce de meninos e meninas em condição de rua em João Pessoa (PB). Tese de Doutorado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.

CAVALCANTI, Lana de Souza. Cotidiano, mediação pedagógica e formação de conceitos: Uma contribuição de Vygotsky ao ensino de geografia. Cadernos CEDES, Campinas, 25( 66), 185-207, mai/ago. 2005.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Decreto nº 5.840, institui, no âmbito federal, o Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA, e dá outras providências, 2006.

BRASIL. Lei nº 5.692, fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências, 1971.

BRASIL. Lei nº 9.394, estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. PROEJA: Programa nacional de integração da educação profissional com a educação básica na modalidade de educação de jovens e adultos – documento base, 2007.

FIELD, Andy. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Porto Alegre, RS: Editora Artmed, 2ª ed., 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 13ª ed., 1987.

FREIRE. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1999.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A relação da educação profissional e tecnológica com a universalização da educação básica. Educação & Sociedade, Campinas, 28(100), 1129-1152, out. 2007.

KUENZER, Acacia Zeneide. Exclusão includente e inclusão excludente: A nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In.: D. Savani, J. L. Sanfelice, & J. C. Lombardi (Orgs.), Capitalismo, trabalho e educação (pp. 77-96). Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. PROEJA: O significado sócio econômico e o desafio da construção de um currículo inovador. In Ministério da Educação e Cultura, Secretaria de Educação a Distância, TV Escola, Salto para o Futuro (Orgs.), EJA: Formação técnica integrada ao ensino médio (pp. 36-53), 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde, 12ª ed., São Paulo, SP: Hucitec, 2010.

MOURA, Dante Henrique. Algumas considerações críticas ao programa de integração da educação profissional ao ensino médio na modalidade de educação de jovens e adultos – PROEJA. Anais do II colóquio internacional políticas e práticas curriculares: Impasses, tendências e perspectivas. João Pessoa, Paraíba, 2005.

OLIVEIRA, Marta Kohl. Ciclos de vida: Algumas questões sobre a psicologia do adulto. Educação e Pesquisa, São Paulo, 30(2), 211-229, maio/ago. 2004.

UNESCO. Conferência internacional sobre a educação de adultos (V: 1997: Hamburgo, Alemanha): Declaração de Hamburgo: Agenda para o futuro, 1999.

PEREIRA, Alexandre. Guia prático de utilização do SPSS. Lisboa: Edições Dilabo, 2ª ed, 1999.

RODRIGUEZ, Lidia Mercedes. Educação de jovens e adultos na América Latina: Políticas de melhoria ou de transformação; reflexões com vistas à VI CONFINTEA. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, 14(41), 326-334, maio/ago. 2009.

SANTOS, Simone Valdete. O PROEJA e o desafio das heterogeneidades. In Ministério da Educação e Cultura, Secretaria de Educação a Distância, TV Escola, Salto para o Futuro (Orgs.), EJA: Formação técnica integrada ao ensino médio (pp. 54-60), 2006. Disponível em http://tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/141327Proeja.pdf. Acesso em: 10 jan. 2013

SPINK, Mary Jane. Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: Aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo, SP: Cortez, 3ª ed., 2004.

SPOSITO, Marilia Pontes. Algumas reflexões e muitas indagações sobre as relações entre juventude escola no Brasil. In H. Abramo, & P. P. M. Branco (Orgs.), Retratos da juventude brasileira: Análises de uma pesquisa nacional (pp. 87- 127). São Paulo, SP: Instituto Cidadania; Fundação Perseu Abramo, 2005.

VYGOTSKY, Lev Semenovitch. Pensamento e linguagem. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1993.

VYGOTSKY. A formação social da mente: O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo, SP: Martins Fontes, 7ª ed., 2007. Editora, ano, p. 3-9.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644435818

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar